Indy

RLL reclama de punição dada a Rahal no GP de Long Beach e diz que Indy “abriu um precedente”

Presidente da RLL, Piers Phillips teme que pilotos evitarão se defender após a punição dada a Graham Rahal no GP de Long Beach da Indy. Bobby Rahal pediu que a categoria deixe a regra mais clara para os pilotos e equipes no futuro

Grande Prêmio / Redação GP, de Campinas
A punição dada a Graham Rahal após o GP de Long Beach da Indy causou discórdia por parte dos membros da RLL. O piloto foi sancionado após fechar Scott Dixon na curva 8, já na última volta da corrida, em um movimento julgado como bloqueio ao ataque do neozelandês, e não como antecipação. Rahal, assim, caiu para o quarto lugar.

Presidente de operações da RLL, Piers Phillips discorda da decisão da direção de prova. Para o dirigente, o movimento de Rahal não foi uma reação exagerada à tentativa de ultrapassagem de Dixon, mas a decisão da Indy está mantida, com Dixon em terceiro e Rahal em quarto.

"Foi defesa, mas ele tem o direito de fazer isso. Discordo da direção de prova. Se você olhar a câmera de dentro do carro, o Graham acerta a zebra e instantaneamente vem para a esquerda pra se defender. Na minha opinião, não foi reação ao movimento do Dixon. Infelizmente, eu, Ricardo [Nault, engenheiro de Rahal] e Bobby Rahal falamos com a direção de prova e não vão mudar a decisão. Então, imagino que teremos de tolerar e esperar uma mudança", comentou.
Graham Rahal ficou em quarto (Foto: Indycar)
Para Phillips, a punição em Long Beach pode representar mudanças na Indy, com os pilotos mais cautelosos na hora de se defender e tornando as corridas mais 'educadas'.
 
"Mas acho que abriram um precedente agora. Teremos muitos pilotos com medo de se defender, e você tem de ser consistente nas decisões. É decepcionante, estou com medo que isso intimidará os pilotos. Não é pra ser algo educado, isso é corrida, e uma boa defesa é uma ferramenta tão importante para o piloto quanto um bom ataque. Penso que o Graham fez certo, se moveu antecipando o ataque do Dixon, não poderia ter feito isso mais cedo após sair da curva 8. Aconteceu do Dixon estar no caminho". completou.

Após uma corrida difícil em Barber, Graham lamentou a perda do pódio após a bandeirada, e também não concordou com a punição, mas demonstrou uma postura mais conformada do que a de Phillips. 

"Não é tão difícil de engolir, perderíamos a posição mesmo assim, meus pneus estavam gastos. Não tinha aderência nos freios, mas me movi o mais rápido possível e dei espaço pra ele. Nas regras, você pode fazer o seu movimento, que foi o que fiz na saída da curva, foi isso. Não estou totalmente chateado por conta disso, foi um bom dia, nosso carro não era ótimo, mas nos esforçamos muito, é o que posso fazer. Fechei ele? Sim, eu fechei. Mas você pode fechar nessa categoria", comentou Graham.

Já Bobby Rahal pede uma regra mais clara para os pilotos e as equipes. O chefe afirma que não viu problema no movimento do seu piloto e filho, e acredita que a Indy precisa explicar e dar uma definição sobre as fechadas.

"É difícil por conta da definição. O que é a fechada? O que é isso, o que é aquilo? Acho que foi uma decisão ruim, mas é opinião pessoal. Acho que é difícil se colocar nestas situações, porque quando você julga, você se coloca em uma posição difícil. O que você vai fazer na próxima vez? O que constitui uma fechada? Qual a definição? Este é o problema", declarou ao site norte-americano 'Motorsport.com'
 
"Se você está fazendo isso [Rahal simula um piloto mudando de direção], isso é uma fechada. Se o Dixon estivesse ali e o Graham espremesse ele contra a grade, concordaria totalmente com a punição. Mas não foi assim, e isso coloca todos nós em uma situação tênue. Precisamos de uma definição, porque enquanto eles não souberem, vai continuar acontecendo", concluiu.
 
 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.