Grosjean culpa fiscais por batida com Sato em St. Pete: “Não havia bandeiras amarelas”

Romain Grosjean discordou das reclamações do japonês da Coyne e deu a sua versão sobre o acidente grotesco no TL2 da etapa de abertura da Indy em 2022

Romain Grosjean não conseguiu desviar de Takuma Sato

A surpreendente pole de Scott McLaughlin, da Penske, para o GP de St. Pete não foi o único assunto em destaque no segundo dia de atividades na etapa de abertura da Indy em 2022. No treino livre 2, Romain Grosjean perdeu o controle do Andretti e encheu a traseira do Dale Coyne de Takuma Sato. Questionado sobre o grotesco acidente, o francês revelou que não concorda com as reclamações do japonês e culpou a direção de prova por não acionar a bandeira amarela no setor.

Grosjean vinha em uma volta rápida, e foi pego de surpresa por um grupo de carros praticamente estacionados que aguardavam para iniciar suas voltas rápidas. Sem ter muito para onde ir, o francês não conseguiu frear a tempo e acabou acertando em cheio a traseira de Sato.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Irritado, o japonês da Coyne reclamou após ter o seu carro atropelado. “Eu não sei o que ele estava pensando”, questionou Sato. “Ele podia ver claramente os carros à frente, não consigo entender. Eu vi ele andando rápido, mas tinha um carro na minha frente e na minha esquerda, então não tinha como ir para lugar nenhum”, explicou.

Romain Grosjean acertou com força a traseira do carro de Takuma Sato durante o TL2 (Foto: Reprodução)

Após as declarações do japonês, Grosjean deu a sua versão sobre o grotesco acidente e não concordou com as declarações de Sato. “Acho que concordamos em discordar de Takuma sobre o que aconteceu, então tudo bem”, afirmou.

O francês também criticou a direção de provas por não sinalizar bandeira amarela no setor do acidente. “Simplesmente não havia bandeiras [amarelas] na pista. Acho que deveríamos ter bandeiras quando os carros estão lentos”, disse.

Além disso, Grosjean repreendeu Conor Daly, Will Power, Alexander Rossi, McLaughlin e Sato por estarem tão juntos e lentos a poucos metros da linha de chegada. “Se tiver só um, o cara deve acelerar. Acho que não deveriam dirigir tão devagar na linha de chegada”, acrescentou. Depois de ficar com a pole, McLaughlin provocou ao dizer que está acostumado frear com pessoas na frente.

Por sorte, o #28 da Andretti ficou apenas com danos na asa dianteira, enquanto o #51 da Dale Coyne sofreu com quebra na asa traseira. Os dois tiveram suas sessões comprometidas, completando apenas 12 voltas, mas os prejuízos não impediram os pilotos de participar normalmente da classificação. “Quando acertei o meio do carro [de Sato], eu sabia que haveria o mínimo de dano possível”.

Leia também

+Penske e Andretti prometem briga em St. Pete para evitar dinastia Ganassi
+Power reclama de estratégia de combustível na classificação: “Uma volta só seria melhor”

Com a frente do carro reconstruída, Grosjean ficou com a quinta posição na sessão e vai largar na terceira fila no GP de St Pete. O francês não ficou desapontado com o resultado, mas acredita que o carro tinha potencial para se posicionar mais à frente no grid. “Estou feliz por ser quinto, mas penso que ainda podemos alcançar um pouco de potencial no carro para ir mais rápido”, concluiu.

A corrida que abre a temporada 2022 da Indy acontece neste domingo, às 14h30.

DO CAMPEÃO PALOU A O’WARD: QUAIS OS MAIORES CANDIDATOS AO TÍTULO DA INDY 2022?
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar