Indy

Rosenqvist quebra domínio de Herta e puxa 1-2 da Ganassi no grid do GP de Indianápolis. Newgarden é 13º

A Honda dominou a classificação do GP de Indianápolis, mas não foi Colton Herta quem ficou com a pole. As Ganassi deram o bote na hora certa e, assim, Felix Rosenqvist vai largar pela primeira vez na posição de honra na Indy, seguido por Scott Dixon. Josef Newgarden foi só 13º e Alexander Rossi ficou em 17º

Grande Prêmio / GABRIEL CURTY, de São Paulo
Colton Herta vinha dominando completamente as ações desde o segundo treino livre, mas não conseguiu manter a dianteira no Fast Six. Nesta sexta-feira (10), a Ganassi deu o bote na hora certa e, com Felix Rosenqvist e Scott Dixon, garantiu o 1-2 no grid do GP de Indianápolis da Indy. Foi a primeira pole de Felix na categoria.

O resultado foi bastante positivo para Dixon que, de longe, foi o melhor dos favoritos ao título na classificação do misto do IMS. O terceiro lugar ficou com a zebra do dia. Jack Harvey foi outro que conseguiu superar Herta e colocou a Meyer Shank na frente da Harding. Ed Jones e Will Power foram os melhores da Chevrolet, mas não conseguiram passar perto da marca de 1min08s278 de Rosenqvist.

Graham Rahal não conseguiu chegar ao Fast Six, mas parte de um bom sétimo lugar, na frente de Simon Pagenaud, Marcus Ericsson e Sébastien Bourdais. 
Felix Rosenqvist é pole em Indianápolis (Foto: IndyCar)
Líder do campeonato, Josef Newgarden sequer passou da primeira fase e parte de 13º. Outro que terá de remar muito é Alexander Rossi, que sai ainda mais atrás, de 17º. 

Os brasileiros não tiveram bons desempenhos e também caíram na primeira fase. Helio Castroneves larga em 15º, Matheus Leist sai de 21º e Tony Kanaan de 24º.

Confira como foi a definição do grid em Indianápolis

A definição do grid de largada do GP de Indianápolis começou pontualmente às 17h35 (em Brasília). O primeiro grupo tinha Josef Newgarden, Helio Castroneves, Matheus Leist, Felix Rosenqvist, Will Power, Sébastien Bourdais, Ed Jones, Alexander Rossi, Pato O'Ward, Takuma Sato, Jack Harvey e Marco Andrett.
 
Rossi e Sato foram os primeiros que viraram bem, mas ainda com os pneus duros, o que representava bem pouco para o resultado final. Aí que Castroneves, antes mesmo da metade da sessão, colocou os macios pra girar em 1min08s8.
 
Mas o tempo do brasileiro também não era assim tão forte considerando o que ainda podia estar por vir. E basicamente todo mundo guardou a melhor volta para o estouro do cronômetro.
 
Foi aí que o modo loucura total foi acionado e alguns dos favoritos rodaram. Newgarden até parecia que iria se classificar, mas ficou fora justamente para o companheiro Power, que voltou a mostrar como é bom de classificação ao se garantir na segunda fase no limite.
 
Além de Will, Jones passou com a Chevrolet, em quinto. Só que, considerando a força da Honda na pista, surpreendeu mesmo o péssimo desempenho de Rossi, eliminado em nono, logo atrás de Castroneves. 
 
O'Ward, Leist e Andretti, em mais uma jornada horrível, também ficaram de fora, com Sato, Bourdais, Rosenqvist e Harvey avançando ao lado dos dois da Chevrolet. O japonês da RLL fez 1min08s066, 0s2 melhor que o francês da Dale Coyne.
O líder do campeonato Josef Newgarden sai em 13º (Foto: Indycar)
Dixon se safa e é único dos favoritos na segunda fase

O segundo grupo foi para a pista logo depois. Nele estavam James Hinchcliffe, Marcus Ericsson, Scott Dixon, Tony Kanaan, Graham Rahal, Santino Ferrucci, Spencer Pigot, Simon Pagenaud, Zach Veach, Ryan Hunter-Reay, Max Chilton e Colton Herta.
 
Como vem acontecendo em todas as classificações em mistos e rua, os primeiros minutos foram basicamente de passar pneus duros, já que as marcas não significavam absolutamente nada, sendo muito altas.
 
Então, foi de novo no giro final que tudo se decidiu e, novamente, a Honda bateu a Chevrolet, com os quatro primeiros lugares para Herta, Dixon, Ericsson e Rahal. O novato americano fez 1min08s192 e os companheiros da montadora japonesa apareceram logo atrás, bem próximos.
 
Pagenaud e Pigot conseguiram se colocar na segunda fase, eliminando Ferrucci, Hunter-Reay, Hinchcliffe, Veach - que teve volta invalidada por passar os limites da pista -, Chilton e Kanaan, novamente sofrendo com a Foyt.
Jack Harvey foi a surpresa da classificação (Foto: Indycar)
Herta mantém domínio e Harvey surpreende

A segunda fase da classificação em Indianápolis começou às 18h10. Nela estavam as duas Ganassi, duas Penske, as duas Carpenter, as duas RLL, uma Dale Coyne, uma Harding, uma Schmidt Peterson, uma Meyer Shank e, incrivelmente, nenhuma Andretti.
 
Desta vez as duas últimas voltas que acabaram contando para a definição dos seis classificados e, apesar de decepção com Pigot, que ficou apenas em 12º, e com Pagenaud, que não passou de décimo, a Chevrolet salvou ainda duas vagas no Fast Six com Power e Jones.
 
O líder não foi nada surpreendente. Mais uma vez, Herta mostrou toda a força da Harding nos mistos e se garantiu com a primeira colocação, virando 1min07s889. A Ganassi também se deu bem com Rosenqvist e Dixon garantidos no Fast Six, assim como Harvey, da zebra do dia Meyer Shank.
 
Rahal, Ericsson, Bourdais e Sato não conseguiram repetir o bom desempenho da primeira fase e ficaram pelo caminho.
Colton Herta parecia com a pole na mão (Foto: Stephen King/IndyCar)
Ganassi dá bote em Herta e Rosenqvist crava primeira pole na Indy

No Fast Six, o domínio que Herta vinha impondo não foi repetido. O americano guardou, como os outros, o melhor para a última volta, mas não foi nem perto do que Rosenqvist conseguiu fazer.
 
Para piorar, Dixon acompanhou o companheiro de Ganassi também com uma volta bem rápida e Harvey, surpreendentemente, achou dois ótimos giros que o garantiram em terceiro, abrindo a fila em que Herta vai largar.
 
Como estava se desenhando no resto da classificação, Jones e Power virou praticamente um duelo para ver quem era a melhor Chevrolet e, consequentemente, quinto no grid. O piloto da Carpenter até deu uma volta bem competitiva, se garantindo facilmente na frente do australiano da Penske.

Indy, GP de Indianápolis, Grid de Largada:

1 F ROSENQVIST Ganassi Honda 1:08.279  
2 S DIXON Ganassi Honda 1:08.298 +0.019
3 J HARVEY Meyer Shank Honda 1:08.324 +0.045
4 C HERTA Harding Honda 1:08.374 +0.095
5 E JONES Carpenter Chevrolet 1:08.461 +0.182
6 W POWER Penske Chevrolet 1:08.790 +0.511
7 G RAHAL RLL Honda 1:08.215  
8 S PAGENAUD Penske Chevrolet 1:08.245  
9 M ERICSSON SPM Honda 1:08.250  
10 S BOURDAIS Dale Coyne Honda 1:08.300 +0.021
11 T SATO RLL Honda 1:08.330 +0.051
12 S PIGOT Carpenter Chevrolet 1:08.470 +0.191
13 J NEWGARDEN Penske Chevrolet 1:08.624 +0.345
14 S FERRUCCI Dale Coyne Honda 1:08.450 +0.171
15 H CASTRONEVES Penske Chevrolet 1:08.650 +0.371
16 R HUNTER-REAY Andretti Honda 1:08.624 +0.345
17 A ROSSI Andretti Honda 1:08.699 +0.420
18 J HINCHCLIFFE SPM Honda 1:08.771 +0.492
19 P O'WARD Carlin Chevrolet 1:08.749 +0.470
20 Z VEACH Andretti Honda 1:08.817 +0.538
21 M LEIST Foyt Chevrolet 1:08.775 +0.496
22 M CHILTON Carlin Chevrolet 1:08.957 +0.678
23 M ANDRETTI Andretti Honda 1:08.900 +0.621
24 T KANAAN Foyt Chevrolet 1:09.123 +0.844


 
A partir do GP de Indianápolis, o DAZN vai transmitir as corridas da temporada 2019 da Indy. Experimente grátis por um mês e assista quando e onde quiser.
 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.