Indy

Rossi passa Herta na largada e some para vencer ótimo GP de Elkhart Lake. Newgarden é 3º

O GP de Elkhart Lake foi muito bom, mas do segundo lugar para trás. Alexander Rossi passou Colton Herta na largada e simplesmente sumiu na dianteira para vencer com larga margem e embolar de vez a disputa pelo título com Josef Newgarden, que chegou em terceiro

Grande Prêmio / GABRIEL CURTY, de São Paulo
Alexander Rossi teve o desempenho mais dominante da temporada 2019 da Indy neste domingo (23). E a vitória contundente em Elkhart Lake ganha ainda mais valor, afinal, a corrida foi muito boa e cheia de ultrapassagens, mas do segundo lugar em diante. Rossi passou Colton Herta na largada e sumiu completamente da vista de todo mundo, terminando quase 28s439 na frente de Will Power, que cruzou a linha final em segundo.

O triunfo de Alexander veio com a maior margem registrada desde a corrida 1 de Detroit em 2015, quando Carlos Muñoz, em uma prova completamente modificada pela chuva, colocou 30s270 em cima de Marco Andretti.

Além disso, é claro, foi um triunfo que colocou fogo de vez no campeonato e desenhou ainda mais o duelo com Josef Newgarden. Agora, sete pontos separam os dois e o cenário só não é pior para Josef porque o #2 ainda terminou em terceiro.

De Newgarden para trás que o bicho pegou mesmo, especialmente nas últimas voltas. Graham Rahal bem que tentou voltar ao pódio, mas teve de se contentar com o quarto lugar, enquanto Scott Dixon foi quinto colocado com duas manobras nas últimas duas voltas e saindo de último após acidente na largada.

Felix Rosenqvist ficou em sexto, seguido por James Hinchcliffe e Herta, que brigaram duro e se enroscaram até os metros finais. Simon Pagenaud, em mais uma prova ruim e Takuma Sato, também com diversos erros cometidos, fecharam o top-10.

As Foyt sofreram muito em mais um misto e ficaram na parte final do pelotão. Matheus Leist completou em 20º e Tony Kanaan foi o 21º colocado.
Alexander Rossi venceu em Elkhart Lake (Foto: Indycar)
Saiba como foi o GP de Elkhart Lake
 
A corrida em Elkhart Lake começou às 13h50 (em Brasília). Alexander Rossi saiu muito bem e superou Colton Herta após bons metros dos dois lado a lado. Logo atrás, Josef Newgarden não largou bem e, além de não conseguir acompanhar Will Power, ainda foi superado por Graham Rahal e Takuma Sato.
 
Ruim mesmo ficou para Scott Dixon, que foi fechado na primeira curva por Ed Jones e tomou uma paulada de Ryan Hunter-Reay, despencando para último.
 
O início de prova era muito animado e as ultrapassagens iam acontecendo sem parar, com Newgarden retomando o quinto lugar em cima de Sato e deixando o japonês brigar com James Hinchcliffe. Aí, o canadense jogou duro e Sato foi andar na grama, caindo para 11º.
 
Várias mudanças iam rolando no meio do grid, incluindo uma boa recuperação de Simon Pagenaud, que já pintava em nono. Enquanto isso, Santino Ferrucci abria a primeira janela de paradas logo na volta 5.
 
Em uma pista que não teve muitas amarelas nos últimos tempos, Ericsson quase abriu os trabalhos cedo. O sueco foi passar Jones e travou tudo, escapando e até dando uma encostada na barreira de pneus, mas voltando rapidamente.
 
Lá no fundo, Dixon buscava reagir e colava novamente em Hunter-Reay, em uma briga que já valia a 14ª colocação. Mais para frente, Pagenaud seguia veloz e tirava Bourdais da sétima posição.

A prova, que estava bem mais animada atrás do sexto lugar, mudou um pouco de figura com um erro bobo de Herta, que escapou, travou roda e, além de perder contato com Rossi, ainda foi alcançado por Power e Rahal.

As paradas seguiam acontecendo no pelotão intermediário, especialmente com quem largou de pneus macios. Mas o bicho pegava lá na frente, com Power e Rahal, em boas brigas e até toques, tirando Herta do caminho.

A corrida de Colton foi sendo arruinada aos poucos. Logo depois de cair para quarto, foi para os boxes e o abastecimento foi problemático, com a mangueira presa. O resultado foi voltar para a pista com Bourdais e Hunter-Reay colados em seu #88.

Rossi foi aos boxes e fez uma parada bem tranquila, retornando com margem imensa para cima de Power. Rahal, que parecia sossegado em terceiro, errou e foi superado por Newgarden na saída dos boxes, em mais uma boa estratégia da Penske. 
 
No reposicionamento após todo mundo ter parado, Rossi tinha 9s2 de frente para Power e 9s5 para Newgarden, que já estavam colados. Hinchcliffe, Rahal, Pagenaud, Rosenqvist, Herta, Ferrucci e Dixon, em impressionante recuperação, completavam o top-10. Aliás, a Ganassi era outra que ia bem na estratégia, cortando caminho com os dois carros.
 
Na volta 20, o pelotão intermediário tornou a ficar próximo e aí só poderia dar ruim. Pagenaud jogou pesado e não quis perder a posição para Herta, mas os dois bateram e Dixon recebeu sossegado o sétimo lugar. Colton ainda voltou da grama na frente de Simon, em oitavo.
 
A zica de Marco Andretti seguia e o piloto, que fazia uma corrida bem segura, teve problemas e recolheu o carro, perdendo bons pontos. Leist, enquanto isso, fazia a segunda parada e ia de 15º para 22º. 

A prova chegava na metade e Rossi, com pneus duros, abria um caminhão de frente, 17s na frente das duas Penske que o perseguiam de longe. Hinch e Rahal começavam a ficar próximos e Herta, com maestria, passava Dixon e encostava em Rosenqvist.
 
No 28º giro, foi quase que metade do grid para os boxes ao mesmo tempo. A outra metade, com Rossi ali no meio, foi no giro seguinte. O americano voltou com 18s de vantagem, mas aí a briga entre Power e Newgarden estava explodindo, com o australiano se defendendo do jeito que dava e sem pensar em jogo de equipe.
 
Hinch, Rahal, Herta, Dixon, Rosenqvist, Pagenaud e Hunter-Reay eram os pilotos que fechavam o top-10 ali na volta 30, com Leist em um competitivo 13º lugar, enquanto Tony era 21º, uma volta atrás.

O momento de maior tensão para Rossi desde a largada veio na volta 34, quando pedaços da zebra acabaram soltando no meio da pista. Isso aí, em outros anos, era bandeira amarela certa, mas a Indy provou que mudou mesmo o comportamento e mandou o jogo seguir, mantendo os 19s de frente de Rossi e a boa briga entre Rahal e Herta pelo top-5.

Enquanto a previsão do tempo indicava chuva para as voltas finais, a última janela de paradas durou novamente duas voltas, com todo mundo do grid praticamente na mesma tática a corrida inteira, variando apenas em um giro para mais ou menos em cada stint. 
 
Rossi, incrivelmente, abriu mais, puxando para 23s a vantagem em cima de Power. Newgarden perdeu um pouco de contato com o colega, mas não o suficiente para ser pressionado pelos adversários que vinham logo atrás.
 
Aliás, Rahal se dava bem nessa briga, voltando na frente de Herta e de Hinchcliffe, com Dixon colando no grupo. Hinch ainda passou Colton na saída do garoto nos boxes com um chega para lá e voltou ao top-5.
 
Em mais uma corrida bem ruim em sequência, O'Ward cometeu outro erro em briga com Chilton e escapou, perdendo posição em um modesto 15º lugar. Por posições mais prestigiadas, Herta botava de lado e tirava Hinchcliffe do caminho.

Acontece que a briga pelo terceiro lugar, do nada, ficou de tirar o fôlego. O ritmo de Newgarden caía muito e o americano acabava formando um pelotão ali com Rahal, Herta, Hinch, Dixon e até Rosenqvist pintando na mesma imagem.

Newgarden e Rahal conseguiram desgrudar um pouco do resto e aí que a coisa esquentou ainda mais. Hinch passou Herta, mas o americano foi para dar o troco, os dois se estranharam e Dixon, na inteligência, levou as duas posições em sequência.

Para Hinch foi ainda pior, porque o canadense foi facilmente superado por Rosenqvist e foi ficando sem ritmo. Por quase que um milagre, ainda voltou para sétimo, com Herta se enroscando com Rosenqvist e recuando. O sueco foi sexto.

Boa parte dos eventos aconteceu já quando Rossi havia, tranquilo, cruzado a linha de chegada, com Power e Newgarden fechando o pódio.

Indy 2019, GP de Elkhart Lake, Final:

1 A ROSSI Andretti Honda 1:39:40.474 55 voltas
2 W POWER Penske Chevrolet +28.439  
3 J NEWGARDEN Penske Chevrolet +31.844  
4 G RAHAL RLL Honda +33.409  
5 S DIXON Ganassi Honda +39.117  
6 F ROSENQVIST Ganassi Honda +41.783  
7 J HINCHCLIFFE SPM Honda +45.552  
8 C HERTA Harding Honda +47.694  
9 S PAGENAUD Penske Chevrolet +53.895  
10 T SATO RLL Honda +58.905  
11 R HUNTER-REAY Andretti Honda +1:01.088  
12 S BOURDAIS Dale Coyne Honda +1:03.972  
13 M ERICSSON SPM Honda +1:17.786  
14 S PIGOT Carpenter Chevrolet +1:19.603  
15 J HARVEY Meyer Shank Honda +1:42.246  
16 M CHILTON Carlin Chevrolet +1:46.531  
17 P O'WARD Carlin Chevrolet +1 volta  
18 Z VEACH Andretti Honda +1 volta  
19 S FERRUCCI Dale Coyne Honda +1 volta  
20 M LEIST Foyt Chevrolet +1 volta  
21 T KANAAN Foyt Chevrolet +1 volta  
22 E JONES Carpenter Chevrolet +1 volta  
23 M ANDRETTI Andretti Honda +37 voltas NC


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.