Dixon valoriza vitória da Ganassi em Barber e já projeta “briga intensa” com Palou

Scott Dixon encheu Álex Palou de elogios, destacou a capacidade do novo companheiro de aprender rápido e explicou que o catalão é muito esforçado. O neozelandês deixou claro que a relação tem sido ótima, mas espera uma batalha dura com o parceiro no campeonato

Álex Palou venceu o GP do Alabama e, assim, Scott Dixon começa a temporada 2021 atrás do companheiro de equipe, algo que, definitivamente, não tem sido comum nos últimos anos de Indy. No entanto, por mais que espere um duelo forte com o novo parceiro de Ganassi, o neozelandês ficou feliz com o triunfo do catalão, valorizou o relacionamento até aqui e, claro, destacou a forma como a equipe iniciou o campeonato.

O atual campeão falou do fato de Palou ter vencido logo na estreia pela Ganassi. Para o neozelandês, o catalão já tem mostrado potencial faz tempo, mas a grande notícia foi a equipe tão forte, especialmente na classificação, com três carros no top-6.

“É difícil dizer se eu já esperava que ele chegasse vencendo de cara, simplesmente porque tem muito time bom aqui, ainda mais falando de início de campeonato, ninguém sabe como os outros estão. Mas a velocidade dele impressiona desde a pré-temporada. A verdade é que nós três [Ericsson também] gostamos de muitas coisas em comum, isso ajuda no acerto, por isso foi tão bom ver três carros nossos no Fast Six”, disse.

Scott Dixon começou o ano no pódio (Foto: IndyCar)

Dixon destacou o resultado do carro #10 da Ganassi, que vem de temporadas complicadas desde a aposentadoria de Dario Franchitti, já projetando uma disputa real com Palou dentro do campeonato.

“Foi um desempenho especial da equipe, não lembro de uma classificação tão boa de todo mundo. Mas ele já mostrava qualidade desde o ano passado, fazendo pódio em Elkhart Lake, sempre muito rápido em todas as sessões, ele é muito rápido. Ele chegou com tudo, não tinha como começar melhor que isso. Fico feliz pelo pessoal do #10 e por ele, vai ser, definitivamente, uma briga intensa”, seguiu.

Dixon, que chegou em terceiro em Barber, destacou também o triunfo de Palou, mas, principalmente, como tem sido entrosada a relação dos companheiros na Ganassi, incluindo Marcus Ericsson, que também foi top-10 na estreia.

“É ótimo ver alguém tão fácil de trabalhar junto. Existem pilotos que têm dificuldades em alguns aspectos no entrosamento, ele não, ele é disposto, quer muito aprender, pergunta muito, manda mensagens, está sempre tentando fazer o melhor trabalho. Tem sido um prazer trabalhar com ele, com Marcus e Jimmie”, completou.

GUIA INDY 2021
+ Dixon e Newgarden chegam favoritos em duelo que pode marcar geração
+ Pós-pandemia, Indy mantém regulamento e atrasa nova geração de carros
Pietro Fittipaldi retorna à Indy depois de três anos e consolidação é objetivo
+ Ganassi muda tudo, mas ainda precisa apostar fichas em Dixon na Indy

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar