Vencedor da Indy 500, Kanaan comenta dificuldade para encontrar patrocínio: “É uma situação real”

Sem dar detalhes, Tony Kanaan disse que conseguiu, com a vitória em Indianápolis, fechar um patrocínio para o restante da temporada e disse que quer definir logo o orçamento para a próxima temporada

Conseguir patrocínio não é nada fácil, mesmo para um campeão da Indy e vencedor das 500 Milhas de Indianápolis. É nessa situação que Tony Kanaan se encontra. Foi só com o triunfo do último domingo, inédito na carreira, que o brasileiro conseguiu levantar o orçamento necessário para completar a temporada 2013. Contudo, ele ainda não divulgou detalhes sobre o acerto.

Nesta quarta-feira (29), em entrevista coletiva concedida por meio de teleconferência, Kanaan falou sobre a dificuldade em angariar recursos. Segundo ele, o principal motivo é a crise financeira mundial. E, para uma equipe pequena como a KV, essa questão é ainda mais fundamental.

Tony Kanaan não deu detalhes sobre o acordo de patrocínio que fechou para o restante de 2013 (Foto: Carsten Horst)

“Quando você atinge o topo do automobilismo e conquista o título que você quer, a tendência é você querer mais”, afirmou o piloto sobre a vitória na Indy 500. “É a lei natural das coisas. Eu não sei o que vou fazer ainda, com essa dificuldade de patrocínios, a gente conseguiu agora, depois dessa vitória, garantir patrocínio para o resto dessa temporada… Eu espero que a gente consiga arrumar patrocínios suficientes para continuar aí na Indy [no ano que vem],” continuou.

Kanaan começou o ano com apoios confirmados para apenas dez das 19 etapas previstas. Em São Petersburgo, palco da primeira corrida, ele apresentou a marca de suplementos Hydroxycut, cujo vínculo era válido para nove provas. Além disso, correu com um carro nas cores da Itaipava na São Paulo Indy 300.

Mas conseguir patrocínios nunca foi uma preocupação de Kanaan. Passou a ser desde que ele perdeu o apoio da 7Eleven e deixou a equipe Andretti, no fim de 2010. “Desde então, as coisas ficaram complicadas”, falou. Em um primeiro momento, Tony se juntou a Gil de Ferran, que tinha uma equipe na categoria. Foi após o fechamento do time do bicampeão da Indy que teve início a parceria do baiano com a KV.

“Nossa equipe não é uma equipe sólida, então eu ainda tenho que contribuir para poder continuar correndo. Então, a não ser que alguém me contrate de novo, como aconteceu nos anos passados, eu com certeza vou ter que arrumar patrocínio”, declarou.

E encontrar gente disposta a investir no automobilismo está complicado por conta da crise econômica dos últimos anos. “Essa é uma situação financeira mundial. É uma situação real, não só no Brasil como no mundo inteiro. É difícil, às vezes, de engolir… Mas é melhor não pensar no porquê. A gente tem que correr atrás”, disse.

Kanaan, então, falou a respeito do planejamento para 2014: “Agora é aproveitar a onda dessa vitória. Quem sabe isso vai ajudar a gente a conseguir mais patrocínios para que a gente aumente o nosso orçamento e consiga arrumar um lugar para o ano que vem.”

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube