Vitórias, confiança e motivação: Palou define bases para buscar título da Indy em 2021

Álex Palou, atual líder da Indy, analisou a situação em que se encontra. O espanhol passou pela decepção der ser segundo na Indy 500, mas vem forte para brigar pelo título

Castroneves passou Palou para vencer a Indy 500 (Vídeo: NBC)

Após terminar as 500 Milhas de Indianápolis na segunda colocação, sendo superado por Helio Castroneves, o clima para Álex Palou não foi de terra arrasada. Pelo contrário: é de motivação e felicidade. Afinal, o espanhol é o atual líder da Indy e já coloca no horizonte o passo a passo que precisa trilhar para faturar o tão sonhado título da Indy em 2021.

Em entrevista ao site Indystar, Palou dissecou o momento especial que vive na categoria e apontou que necessita de mais vitórias e regularidade se quiser sonhar com o tão desejado caneco da Indy. Além disso, o espanhol fez uma análise geral da Indy 500 e do campeonato, reiterando a importância de sempre se manter competitivo e na briga pelas vitórias.

“É muito cedo, e não importa”, disse Palou sobre a briga pelo título. “Para ter chances de vencer um campeonato, você tem que vencer corridas, e quando você faz isso, creio que tudo fica mais tranquilo. Você consegue criar uma vantagem, esse é o objetivo. Não acho que nenhum outro piloto da Indy venceu o campeonato tendo vencido apenas uma corrida, então precisamos de mais vitórias. Uma vez que estivermos com duas ou três garantidas, podemos começar a dizer, ‘Hum, talvez dê”, afirmou.

“Quando se está no primeiro stint, claramente você pensa que vai ganhar. Não pensava que iria terminar em oitavo. Pensava, ‘Ok, vamos para os dois pit-stops, e daí começaremos a pensar na corrida e no resultado final”, seguiu, recordando a Indy 500.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Álex Palou é o atual líder da Indy (Foto: IndyCar)

“Você não pode planejar estar na frente, mas tem que se preparar para as brigas no fim. Você não pode vencer [a Indy 500] estando em décimo a 20 voltas do fim, e você não pode vencer se cair de primeiro para segundo na última volta, o mesmo com o campeonato. Você tem que se manter focado e vencendo com regularidade”.

Após ter experiências na Europa e no Japão antes de chegar a Indy, Palou lembrou do passado complicado que teve em outras categorias, vivendo sempre sob pressão e com a incerteza o rondando. O espanhol, desta vez, afirma que finalmente as coisas se encaixaram e que o atual momento vivido na Ganassi o permite ter maior estabilidade na carreira.

“Essa oportunidade foi o oposto de estar mais pressionado. Eu me senti aliviado, porque estava fazendo isso a minha vida toda, e muitas vezes não sabia se conseguiria terminar o ano, ou onde iria correr na sequência. Sempre tive que trazer resultados para seguir em frente e, mesmo assim, às vezes não tinha recursos ou carro para fazer isso. Isso é pressão, quando você não tem carro e planos para o próximo ano. E isso faz parte da minha vida desde que sou criança”, analisou.

“Eu não tive que fazer coisas fora da curva para colocar o carro no pódio. É um carro vencedor, um carro para levar o campeonato. É um alívio, segue sendo, mas não significa que estou relaxado ou que não penso na obrigação de vencer. Eu sei o que faço, continuo me esforçando e trabalhando o mais duro possível, mas agora eu não tenho preocupações com esse carro. Está tudo sob minha responsabilidade e como lidar com essas situações”, disse.

Líder do campeonato com 248 pontos, Palou revelou que ganhou mais confiança com os bons resultados obtidos em ovais neste ano, tendo um quarto e um sétimo lugares no Texas, além da segunda colocação na Indy 500. Ainda, o espanhol revelou o clima de pé no chão que a Ganassi tem com a oportunidade de brigar com o campeonato se tornando mais sólida.

“É como se estivéssemos ganhando confiança, motivação e experiência. Está completo agora. Com certeza, há vezes em que as coisas oscilam, mas sabemos que isso faz parte do esporte. No momento, estamos em alta, e isso só nos fará ainda melhores”, comentou.

“Nunca nos provamos capazes de brigar pelo campeonato até agora, talvez essa seja a razão. As pessoas não sabem o que vai acontecer porque nunca estivemos nessa posição. Mas estamos nos sentindo felizes, livres e motivados.”

“Você nunca fala a respeito realmente. ‘Ok, como o campeonato está indo? Porque isso não importa. No fim das contas, se você for bem nas corridas, você terá competitividade e estará na briga para criar uma vantagem. Porque com essa liderança, precisamos disso no fim da temporada. Esse é o objetivo, agora que temos essa situação, o que podemos fazer é sermos consistentes e vencer mais corridas”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar