Kart

Merhi voa e coloca surpreendente G-Drive na pole das 500 Milhas. Scuderia Stratum GP larga em 55º e 57º

A classificação das 500 Milhas de Kart da Granja Viana teve uma grande volta de Roberto Merhi para deixar a G-Drive com a pole no kart #8. A Scuderia Stratum GP ficou com o 55º e o 57º lugares no grid, com os karts #44 e #5 separados por 0s001
Warm Up, de Cotia / GABRIEL CURTY, da Granja Viana
 André Mansano (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
A definição da pole das 500 Milhas de Kart da Granja Viana é sempre recheada de surpresas. Neste sábado (1), contrariando a lógica de que quem faz a volta no final tem vantagem, a G-Drive surpreendeu e, com Roberto Merhi no comando, colocou o kart #8 na primeira posição do grid com 56s901.
 
A volta do espanhol foi excelente e, do top-5, apenas o #8 e o #10 - da Medina -, que sai em terceiro, estiveram entre os primeiros karts a irem para a pista na sessão decisiva. O segundo lugar é da Sambaíba, com o kart #25 tendo ficado 0s067 atrás do #8, que é formado por, além de Merhi, Beto Monteiro, Felix Porteiro, Gustavo Yacamán e Carlos Crespo.

"Estou muito contente de fazer essa pole para a equipe. Agradeço ao Carlos Crespo e todos da equipe. Eles me convidam todos os anos para vir participar da prova e fazer um bom trabalho e dessa vez deu certo. Estou muito feliz de largar na primeira posição na corrida deste domingo, mas vamos ver como estará o kart na corrida amanhã. Nosso objetivo é lutar pela vitória", disse o espanhol pole.
Roberto Merhi cravou a pole pela G-Drive (Foto: José Mario Dias)
A Scuderia Stratum GP andou com os dois karts no segundo grupo e, o tempo todo, o #44 e o #5 foram se empurrando. No fim, André Mansano foi impressionante 0s001 mais veloz que Márcio Simão, com o 55º e o 57º lugares do grid garantidos.

Horas depois da classificação, o lucky dog foi sorteado e Nelsinho Piquet, Yan Cunha, Luiz Cordeiro, Marcos Regadas, Lucas Salles e Luis Miranda levaram a melhor, saltando para a segunda colocação do grid.
 
As duas surpresas da fase inicial que classificou para o top qualify foram o #120 da Amcom e o #181 da Pachá. E ambos mantiveram o bom desempenho na reta final, com o quarto e o quinto lugares garantidos para a corrida.
 
O top-10 ainda teve os karts #60, #144, #0, #1 e #73, sendo dois deles da Shell Fittipaldi, um da Sambaíba, um da Mauro/Forcolin e um da Barrichello Nutriex. 
Simão e Mansano no treino de classificação (Foto: Gabriel Pedreschi/Grande Prêmio)
Confira como foi a definição da pole das 500 Milhas da Granja Viana
 
A definição do grid de largada das 500 Milhas de Kart da Granja Viana começou às 11h40 (em Brasília). Foram dois grupos com 10 minutos cada para a busca pelas 20 vagas no top qualify, a verdadeira decisão da pole-position.
 
No primeiro grupo, os tempos do warm-up já foram despencando de cara e não demorou muito para a Shell Fittipaldi tomar conta da tabela, puxando a fila com os três karts. O #1 ficou na frente com 54s013, seguido bem de perto pelo #2 e pelo #0, com o #293 da America Net sendo o melhor do resto, em quarto.
 
O #72 da Barrichello Nutriex veio em quinto, com o #13 da Spirit, o #4 da FS Hero, o #10 da Medina, o #73 da Barrichello Nutriex e o #81 da Ygor fechando o top-10 e ficando com as vagas entre os 20 que definiriam a pole.



Karts da Scuderia Stratum GP cravam tempos parecidos

O segundo grupo foi para a pista logo na sequência, com os dois karts - #5 e #44 - da Scuderia Stratum GP presentes. Márcio Simão foi o responsável por guiar o #5, enquanto André Mansano ficou com o #44.
 
Repetindo o desempenho excelente do warm-up, a Amcom colocou o kart #120 na frente e, de quebra, ainda bateu a marca estabelecida pelos karts da Shell Fittipaldi. O #120 virou 53s942, garantindo a posição ímpar do grid para os demais karts do segundo grupo que não avançassem ao top qualify.
 
Foi o caso da Scuderia Stratum GP, que andou o tempo todo com os dois karts colados puxando um ao outro. E ambos viraram muito próximos, com o #44 com 55s320 e o #5 com 55s321, o que significa o 55º e o 57º lugares do grid de largada da corrida deste domingo e o 16º e 17º da categoria Thunder Light.

"Mesma coisa do ano passado, vamos largar de trás, vamos ver. É corrida de 12 horas, tem coisa no kart para acertar, tem 0s5, 0s7 para tirar de kart, de pilotagem, de acerto, tem coisa para fazer até amanhã, tem muito trabalho para fazer até amanhã. Hoje vamos embora umas 21h, 22h, tranquilo. Mas tem bastante coisa para acertar, dá para melhorar bastante coisa, dá para melhorar pilotagem, kart, motor, bastante coisa. Na chuva, o kart está alinhadinho, no seco, ainda está um pouco difícil", comentou o chefe de equipe Renato Ribeiro.

O estrategista da Scuderia Stratum, Marcos Nunes, acredita que a troca de motores foi o fator primordial para a melhora dos treinos livres para a classificação. "Melhoramos a calibragem dos pneus, mas o que acho que mudou demais foi a melhora de rendimento do motor. Isso acarreta uma série de coisas, porque você faz todo o acerto pensando em uma condição de motor. Mas ainda estamos tentando descobrir o acerto ideal que está faltando para nós rendermos o esperado na corrida de amanhã", afirmou.
 
No resultado geral do grupo, o kart #181 da Pachá veio em segundo, 0s152 atrasado em relação aos líderes da Amcom. O top-10 que avançou ao top qualify ainda teve os karts de número #35, #25, #60, #21, #88, #8, #144 e #11, com os destaques ficando por conta da Sambaíba com três karts, da G-Drive com dois e da CPKA, único da classe Thunder Light, que conseguiu se colocar no top-20.

Anderson Vieira, diretor de produtos da Stratum, parceira do GRANDE PRÊMIO, exaltou o clima das 500 Milhas, reforçando o trabalho feito pela Scuderia. "É pesado, já estou há dois dias aqui e é cansativo, mas gratificante ver uma evolução. Estávamos apreensivos que não víamos evolução, mas para mim é tudo novidade, é tudo graça, estou deixando quem tem que ficar com a cabeça quente ficar", falou.

"É uma realização pessoal minha, não sabia como funcionava, achava o máximo, via pela TV, e agora estou aqui. Eu confesso que estou bem feliz. O kart está lindo, os macacões e as camisetas da equipe, enche de orgulho. Estou orgulhoso e o pessoal está orgulhoso. Independente do resultado, estamos bem felizes da parceria e de ver a marca nas mãos de pessoas tão competentes", completou.
Os pilotos da Scuderia Stratum GP na classificação (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
G-Drive surpreende e fica com pole das 500 Milhas

O top qualify começou às 12h40 (em Brasília), com os pilotos indo para a pista na posição reversa à fase inicial de classificação. Assim, o #81 da Ygor abriu os trabalhos com 57s497, se colocando em vantagem em relação ao #11 da CPKA, que virou 57s7.
 
O #73 da Barrichello Nutriex virou 57s370 e começou a indicar que a pista vinha melhorando progressivamente. E o mesmo se viu com o #144 da Mauro/Forcolin, que baixou para 57s275. Foi logo depois que os tempos realmente caíram. O #10 da Medina foi de 56s974, mas durou pouco na dianteira, com o #8 da G-Drive voando em 56s901.
 
Dois tempos mais fracos vieram logo depois. Primeiro, o #4 da FS Hero ficou com apenas a sexta posição, enquanto o #88 da G-Drive apareceu em sétimo. O #13 da Spirit também não fez muito e se colocou justamente entre o #4 e o #88, mais de 0s7 atrás do líder da G-Drive. 
 
O #21 da Sambaíba e o #72 da Barrichello Nutriex foram em sequência para a pista e andaram muito próximos. O #21 levou ligeira vantagem e ficou em quinto, justamente entre os dois karts da Barrichello Nutriex.
 
Com Tuka Rocha no comando, o Sambaíba #60 veio para ficar com a terceira colocação, 0s3 atrasado em rela~ção aos líderes do #8. O #293 da America Net KTF teve uma quebra e já praticamente terminou com a 20ª posição, sem nem completar a volta rápida.
 
A Sambaíba arrumou sua melhor volta em 56s9 com o #25 e se colocou na segunda posição parcial. Um dos favoritos, o Shell Fittipaldi #0 não foi tão bem assim e apareceu em sexto, 0s383 atrás da G-Drive, que seguia surpreendendo na frente. O #35 da CKS veio para o 13º melhor tempo de 16 pilotos.
 
Assim como o #0, o Shell Fittipaldi #2 também caiu bastante em relação ao fortíssimo desempenho no grupo inicial de classificação. O kart fechou em décimo, com o #181 da Pachá mantendo o excelente desempenho e se enfiando em quarto com apenas dois restando.
 
O Shell Fittipaldi #1, líder do primeiro grupo, apenas seguiu o ritmo dos demais da equipe e ficou em oitavo, mas logo caiu para nono com uma grande volta do #120 da Amcom, que se meteu em quarto. No fim, a surpreendente G-Drive na pole.