Ferrari escapa no fim e vence na MotoE em San Marino. Granado é décimo

O piloto da Gresini deu o bote para cima de Mattia Casadei já na metade final da disputa e escapou na ponta para vencer pela primeira vez na temporada. Xavier Siméon e Dominique Aegerter completam o pódio. O brasileiro ficou em décimo

Campeão vigente da Copa do Mundo de MotoE, Matteo Ferrari conquistou neste domingo (13) a primeira vitória na temporada 2020. O piloto da Gresini assumiu a ponta na metade final da disputa e disparou na ponta para não ser mais incomodado.

Punido por um acidente com Eric Granado na etapa anterior, Ferrari largou em quarto, mas logo se colocou entre os postulantes a vitória. Dono da pole, Mattia Casadei sustentou a liderança até três voltas pata o fim, quando foi superado por italiano da moto #11.

Ferrari, então, abriu vantagem na ponta para receber a bandeirada com 0s213 de frente de Xavier Siméon, que também deixou Casadei para trás, assim como Dominique Aegerter e Jordi Torres, que fecham o top-4.

Matteo Ferrari venceu e assumiu a vice-liderança do campeonato (Foto: Divulgação/MotoGP)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Casadei recebeu a bandeirada em quinto, 0s606 atrás do vencedor. Mike Di Meglio foi o sexto, seguido por Alessandro Zaccone, Alex De Angelis e Tomasso Marcon.

Último no grid após ter a volta cancelada na classificação por exceder os limites da pista, Eric Granado precisou lançar mão de uma prova de recuperação. O brasileiro saltou para 13º ainda nos primeiros metros e recebeu a bandeirada em décimo, 5s056 atrás do vencedor.

Com o resultado, Aegerter chegou a 57 pontos e lidera o campeonato com 12 de vantagem para Ferrari. Torres tem o terceiro posto, apenas dois pontos atrás de Matteo. Casadei aparece na sequência, seguido por Siméon. Granado caiu para a sexta colocação, 23 pontos atrás do suíço.

Saiba como foi o GP de San Marino e da Riviera de Rimini de MotoE:

A MotoE abriu o domingo de corridas do GP de San Marino e Riviera e de Rimini. No momento da disputa, o sol brilhava no circuito, com o termômetro atingindo 27ºC e o asfalto chegando a 23ºC. O vento soprava a 10 km/h.

Quem saiu da pole-position foi Mattia Casadei. Quem foi o mais rápido da classificação foi Matteo Ferrari, mas uma punição na última etapa o fez perder três posições no grid e o italiano alinhou em quarto.

Xavier Simeon largou da segunda colocação, sendo sua segunda primeira fila na categoria elétrica. Lukas Tulovis, estreante da temporada 2020, saiu em terceiro, também sendo sua segunda primeira linha do grid.

Eric Granado largou da 18ª, e última, colocação do grid. Na classificação, o brasileiro chegou a anotar tempo para se colocar em primeiro, mas por exceder os limites de pista, teve sua marca deletada, o derrubando para o fim.

Sem volta de instalação, as luzes se apagaram e largada autorizada para o GP de sete voltas. Nas três primeiras colocações, as primeiras colocações se mantiveram. Mas pouco depois, o líder da classificação deu o bote em cima de Tulovic e se colocou em terceiro.

No fundo do pelotão, o brasileiro da Avintia havia ganhado apenas um pouco na saída, mas ao fim do primeiro giro já aparecia na 13ª colocação, escalando cinco postos.

Com duas voltas completadas, a ordem era Casadei, Siméon, Ferrari, Jordi Torres e Dominique Aegerter completando os cinco primeiros colocados. Neste ponto, o espanhol da Pons foi quem anotou o melhor giro da corrida com 1min43s321, a marca mais veloz do fim de semana.

Após os primeiros giros em Misano, Alex de Angelis, que aparecia na nona colocação, e Granado, o 11º, eram os nomes que mais ganharam terreno com sete posições cada. Já Tulovic, aparecendo em 12º, foi quem mais perdeu: 12.

A briga pelas primeiras posições estava bastante agitada, com Aegerter tentando dar o bote em cima de Torres na curva 14, mas viu a porta fechada. O suíço tentou mais uma investida na curva 15, colocou lado a lado, mas não conseguiu consumar a ultrapassagem e ainda foi ultrapassado por Mike di Meglio. Logo recuperou o posto.

Enquanto isso, na ponta, com duas voltas para a bandeira quadriculada, Ferrari conseguiu se adiantar e ultrapassar Casadei para se tornar o novo líder. O italiano logo abriu 0s650 de vantagem na ponta, enquanto Mattia precisou lidar com a pressão de Siméon e sem conseguir segurar o adversário, caiu para terceiro.

A ordem na corrida era Ferrari, Siméon, Casadei, Torres, Aegerter, Di Meglio, De Angelis, Marcon e Granado completando os dez primeiros colocados em Misano.

Na abertura do último giro, Xavier cortou quase todo o atraso para o líder da classificação, despencando a diferença para 0s308. Entretanto, o competidor da LCR não conseguia se aproximar da ponta e ainda via a aproximação de Casadei.

As coisas estavam bastante abertas quando os pilotos entraram no último setor do circuito. Em movimento ousado, Aegerter conseguiu se colocar na terceira colocação. O competidor ainda trouxe Torres junto, derrubando Casadei para a quinta posição.

Com bandeira quadriculada, Ferrari conquistou sua primeira vitória da temporada. Siméon, o segundo, subiu pela primeira vez no pódio na temporada, seu segundo na categoria. Estreante em 2020, Aegerter terminou na terceira colocação. Eric Granado cruzou a linha de chegada em décimo.

Copa do Mundo de MotoE 2020, GP de San Marino e da Riviera de Rimini, Misano, Final:

1M FERRARIGresini12:14.3317 voltas
2X SIMÉONLCR+0.213 
3D AEGERTERIntactGP+0.372 
4J TORRESPons+0.474 
5M CASADEISIC58+0.606 
6M DI MEGLIOMarc VDS+0.780 
7A ZACCONEGresini+4.393 
8A DE ANGELISPramac+4.476 
9T MARCONTech3+4.915 
10E GRANADOAvintia+5.056 
11N CANEPALCR+5.439 
12L TULOVICTech3+5.705 
13A MEDINAAspar+8.448 
14X CARDELUSAvintia+8.582 
15M HERRERAÁngel Nieto+8.813 
16J KORNFEILSIC+11.795 
17N TUULIAjo+12.892 
18J HOOKPramac+36.401 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube