Motociclismo

Piloto do SuperBike Brasil, Danilo Berto morre após sofrer grave acidente neste domingo em Interlagos

Danilo Berto escapou no Laranjinha, ainda no warm-up da categoria SBK Extreme, e foi levado com lesão na perna e trauma no tórax ao Hospital das Clínicas, que confirmou ao GRANDE PRÊMIO a morte do piloto. Esse é o segundo acidente fatal consecutivo na categoria

Grande Prêmio / FERNANDO SILVA, de Sumaré / GABRIEL PEDRESCHI, de Interlagos / ANDRÉ AVELAR, de Interlagos
Pouco mais de um mês depois da morte de Maurício Paludete, o SuperBike Brasil é palco de um novo acidente fatal. Morreu Danilo Berto, piloto da categoria, na tarde deste domingo (26) no Hospital das Clínicas, em São Paulo. O competidor tinha 35 anos.

Berto, da Pitico Race Team, bateu ainda no warm-up da categoria SBK Extreme, no início desta manhã — a largada para a corrida foi realizada pouco mais de uma hora depois do acidente. O piloto passou reto na curva do Laranjinha, bateu na barreira de proteção e caiu em um barranco fora do traçado. A moto, uma Kawasaki ZX10, foi levada para inspeção. 

Assim que Berto bateu, uma ambulância entrou na pista e levou o piloto para o Centro Médico. De lá, depois de um procedimento para estabilização do quadro clínico, foi transferido pelo helicóptero da Polícia Militar para o Hospital das Clínicas. O Boletim de Ocorrência foi registrado no 101º DP, no Jardim das Imbuais, também na zona sul de São Paulo.
Danilo Berto morreu após sofrer grave acidente neste domingo em Interlagos (Foto: Sampafotos/Facebook)
Poucas horas depois da sua internação, Berto foi declarado morto pelo Hospital das Clínicas. A entidade, por meio da sua assessoria de imprensa, confirmou a informação ao GRANDE PRÊMIO. Oficialmente, o boletim médico sobre a morte de Berto foi divulgado às 17h03 (horário de Brasília). 

Organizador da categoria, Bruno Corano disse ao GRANDE PRÊMIO que, claro, lamenta a morte do amigo e já apresentou projetos para melhorias a segurança do autódromo, que tem como principal evento a Fórmula 1.

"Antes de tudo, estou muito triste por que o Danilo era o meu amigo e eramos companheiros de pista, os dois apaixonados pelo mesmo esporte, cientes do risco. A minha preocupação é dar suporte para a família e prosseguir implementando melhorias que não se iniciaram nem este ano, nem no ano passado. Já faz anos que estamos em um processo de melhorias constantes para mitigar os riscos", disse Corano.

O clima no autódromo tornou-se ainda mais pesado entre os pilotos e equipes após o trágico acidente, já que essa foi a etapa do SuperBike seguinte à morte de Maurício Paludete. Linguiça, como era conhecido, chocou-se violentamente contra a barreira de proteção do S do Senna, quando a corrida da SuperSport Extreme inclusive já havia acabado.

Em março do ano passado, Berto já havia sofrido um acidente grave, também em Interlagos. Na largada, ele deixou a moto empinar e foi atropelado por outros pilotos. Naquela oportunidade, ele teve de passar por uma reconstrução da perna direita, além de cirurgias para corrigir fraturas nas vértebras. 


Histórico de mortes

O acidente fatal de Danilo Berto é o segundo apenas neste ano, com o já citado Maurício Paludete sendo outra vítima no SuperBike Brasil, em abril.

Outras três mortes aconteceram desde 2015: Joãozinho Treze, que perdeu a vida após sofrer acidente em Goiânia, além de Sérgio dos Santos e Rogério Munuera, em 2017 e 2018, respectivamente, em Interlagos.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.