MotoGP

3º, Miller se declara para Ducati e manda recado: “Estou aqui para garantir uma vaga na equipe de fábrica”

Jack Miller era só sorrisos em Austin. Após uma prova em que mostrou bom desempenho, cruzou a linha de chegada na terceira colocação. Fazendo uma declaração para a Ducati após a disputa, ainda deixou claro: está de olho na equipe de fábrica

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Jack Miller foi o responsável por levar a Ducati ao pódio do GP das Américas da MotoGP. Em Austin, o piloto mostrou não só bom desempenho, como também soube administrar os pneus, para ver a bandeira quadriculada na terceira colocação.
 
O australiano segue a boa fase do início de 2019. Em solo norte-americano, foi responsável por bater os dois pilotos de fábrica, Andrea Dovizioso e Danilo Petrucci, para garantir o seu lugar no top-3 da prova. O resultado marca o primeiro pódio após a vitória no GP da Holanda, em 2016.
 
“Fui capaz de largar bem e colocar um bom ritmo. Não foi fácil, particularmente tendo escolhido os pneus macios. Sabia que sofreria no final como resultado. O problema foi esse, não tendo o treino do sábado não tinhas uma ideia muito clara”, explicou.
 
Como disse, o titular da Pramac optou por pneus macios, mesmo sabendo o risco que correria na parte final. Apesar disso, mostrou mais confiança do que com a opção de Marc Márquez, os médios. “Poderia ter funcionado, mas não estava convencido”, falou.
Jack Miller (Foto: Red Bull Content Pool)
“Marc o usou, mas acho que Marc exigiu demais no início, assim como [Cal] Crutchlow, e os dois caíram. Não foi fácil com os pneus em uma pista como essa. Quando cheguei no final estava no limite e tinha que me defender de Dovizioso”, continuou.
 
Apesar das dificuldades em Austin, Miller celebrou o pódio conquistado e deixou claro qual é seu objetivo na MotoGP. “Estava sentindo falta do champagne do pódio e acho que vou tomar outro essa noite, perdi minha voz. Brincadeiras a parte, só posso ficar satisfeito com esse resultado”, pontuou.
 
“Vocês todos sabem o que aconteceu no Catar, e então nos aproximamos do pódio na Argentina. Trabalhamos duro para melhorar durante o inverno e adoro a Ducati. Estou aqui para garantir uma vaga na equipe de fábrica”, completou.
 
Por fim, Jack frisou os problemas encontrados no traçado texano. “Eu tenho um estilo particular, gosto de frear forte e sou agressivo, mas o traçado é um problema. Na curva 2 estava sofrendo bastante, algo precisa ser feito para o ano que vem. A moto tendia a chacoalhar na curva 1”, encerrou.