Álex Márquez reconhece que tem de “melhorar muitíssimo” para estar na MotoGP

O piloto da Honda tem contrato com a HRC para correr com a LCR apenas até a temporada 2022. Irmão de Marc Márquez comentou que não pegou a Honda no melhor momento da marca na MotoGP

Álex Márquez admitiu que precisa “melhorar muitíssimo” para estar na MotoGP. O irmão de Marc considerou que não pegou a Honda no melhor momento, mas garantiu que a construtora japonesa está empenhada em buscar soluções.

Passadas 14 das 18 etapas da temporada 2021, Álex soma apenas 50 pontos e ocupa a 16ª colocação na classificação. Ano passado, então com o time de fábrica da Honda, o caçula dos irmãos de Cervera somou 74 pontos também em 14 corridas.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Álex Márquez apontou o motor como um problema da Honda (Foto: LCR)

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Márquez avaliou que o início de temporada foi difícil e reconheceu que é complicado entender de onde vem o problema com a RC213V.

“A temporada, em geral, começou de forma difícil”, disse Álex em entrevista ao serviço de streaming DAZN. “Não vivo os anos mais fáceis da Honda. Mas é preciso ser positivo e seguir adiante. Foi difícil entender muitas coisas, especialmente, se é você, a moto ou o que está acontecendo”, seguiu.

Mesmo sem dizer claramente, Álex indicou o motor como o problema principal da Honda, já que é o componente que tem a evolução congelada.

“Acho que o problema principal está onde não podemos evoluir neste ano por regulamento. Mas é aí que tentam dar um passo para o ano que vem. A Honda tem atitude e estão receptivos a este grande passo”, indicou.

Na reta final de 2021, Álex sabe que precisar dar um passo no próximo ano, já que o contrato com a HRC o garante na LCR apenas até o ano que vem. Na próxima temporada, muitos pilotos estarão sem contrato.

“Aprendi que neste mundo não se vive de passado, nem se pode viver pensando no futuro. Para estar na MotoGP, tenho de melhorar muitíssimo”, reconheceu. “Veremos o que acontece em 2022 e aí vamos pensar. Os contratos irão mais lentos, não tão antecipados como nos outros anos. Mas em 2022 é o ano em que temos de dar tudo para um passo adiante”, concluiu.

MotoGP volta às pistas no próximo dia 3 de outubro para o GP das Américas, em Austin, no Texas. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2021.

VEJA TAMBÉM
Como fica o grid da MotoGP para a temporada 2022?
Marc Márquez atende chamado de mãe e surpreende fã mirim em Misano
Bagnaia corta 5 pontos da vantagem de Quartararo na MotoGP. Veja classificação
Bagnaia vai da explosão à sobrevivência e gabarita de novo na pós-graduação da MotoGP
Quartararo mantém alto nível e se permite queimar gordura na reta final da MotoGP 2021
Bastianini brilha em Misano e mostra que Ducati tem mais um diamante nas mãos na MotoGP
Yamaha x Ducati: diferentes e parecidas, construtoras partilham protagonismo em 2021
KTM volta a perder rendimento e vive de raros lampejos na reta final da MotoGP em 2021

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar