MotoGP

Após protesto rejeitado, Honda homologa já na Argentina versão própria de defletor similar ao da Ducati

A Honda já foi atrás da homologação de seu próprio defletor. Na Argentina, após o protesto feito contra a Ducati e seu dispositivo, a equipe japonesa conseguiu a homologação de sua peça própria após primeira negativa

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
A Honda conseguiu a aprovação de uma nova peça para sua moto. Na Argentina, a equipe recebeu luz verde de Danny Aldridge, diretor-técnico da MotoGP, para utilizar seu defletor na prova em Termas de Río Hondo.
 
Na quinta-feira, o time japonês foi o primeiro que procurou o diretor-técnico para a homologação de sua proposta de um dispositivo semelhante ao utilizado pela Ducati no Catar - peça que esteve no centro da investigação que foi encerrada nessa semana, após um protesto feito pela Suzuki, KTM, Aprilia e a própria Honda.
 
Em um primeiro momento, Aldridge não liberou o modelo apresentado pela Honda, afirmando que as explicações sobre a função principal da peça estavam de desacordo com os regulamentos do Mundial. A equipe não escondeu que o defletor tinha um papel aerodinâmico na moto, efeito também reconhecido pela Ducati.
Marc Márquez (Foto: Repsol)
Entretanto, o time já esperava a negativa e mudou seu discurso na segunda tentativa, apresentando uma nova versão para Aldridge. Agora, a fábrica japonesa apontou a função principal como aumentar a rigidez do braço oscilante, recebendo o sinal positivo. Segundo informações, o objetivo era destacar as brechas do regulamento.
 
A Honda conseguiu uma dupla vitória com o episódio. Além de poder utilizar uma peça que pode trazer mais estabilidade para sua moto, ainda pôde provar seu ponto em relação ao regulamento.
 
Nesta semana, a Ducati recebeu a decisão favorável no caso do defletor utilizado no Catar, podendo manter a vitória de Andrea Dovizioso e sendo liberada para usar o dispositivo durante toda a temporada. Gigi Dall’Igna afirmou, em entrevista na Argentina, que os gastos de  todo o processo foram equivalentes a ‘cinco dias no túnel de vento’.