Após reunião no Catar, organização divulga equipes para temporada de estreia da Copa do Mundo de Moto-e

A Dorna, promotora do Mundial de Motovelocidade, anunciou nesta sexta-feira (16) as 11 equipes que vão participar da Copa do Mundo de Moto-e. Além dos sete times satélites da MotoGP, estarão presentes também VR46, Pons, IntactGP e Sic58

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A Dorna, promotora do Mundial de Motovelocidade, anunciou nesta sexta-feira (16) as 11 equipes que vão participar da Copa do Mundo de Moto-e. A primeira temporada do certamente de motos elétricas vai acontecer em 2019.
 
Após o primeiro encontro da chamada ‘Reunião Constituinte’ no Catar, a organização divulgou que, além dos sete times satélites da MotoGP ― Tech3, LCR, Marc VDS, Pramac, Ángel Nieto, Avintia e Gresini ―, também estarão no grid VR46, Pons e IntactGP, da Moto2, e a Sic58, da Moto3.
Times da Copa do Mundo de Moto-e se reuniram no Catar (Foto: Divulgação/MotoGP)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

O encontro em Losail contou com a participação de Nicolas Goubert, diretor da categoria; Carmelo Ezpeleta, diretor-executivo da Dorna; Manel Arroyo e Pau Serracanta, diretores da Dorna; o diretor-esportivo Carlos Ezpeleta; e Mike Trimby, diretor-executivo da IRTA (Associação Internacional das Equipes de Corrida).
 
“Nós tivemos um primeiro encontro com todos os times que vão competir no próximo ano na Moto-e”, disse Goubert. “Serão 11 times comandando 18 motos. Todas as motos serão da Energica, a mesma, então será uma Copa. Teremos cinco etapas no ano que vem na Europa. Ainda não decidimos as pistas para onde iremos, mas, como eu disse, foi um primeiro encontro, então todas as coisas têm de ser colocadas no lugar”, seguiu.
 
“Basicamente, isso começa agora. Era importante ver todos os times, porque agora eles têm informações suficientes para se organizarem, começarem a buscar pilotos e olhar para a equipe que terão”, completou.
 
A moto da Energica, aliás, já será vista neste ano, com voltas de demonstração em todas as pistas do calendário deste ano. Neste fim de semana, no Catar, a EgoGP será guiada por Simon Crafar, comentarista oficial da MotoGP e vencedor de provas das 500cc.

#GALERIA(8329)

Aos 39 anos, Rossi acelera para se afastar da aposentadoria na MotoGPAo provar que Ducati pode vencer, Dovizioso mira concluir o que iniciouLorenzo vai para segundo ano na Ducati tentando recuperar performance

”VOCÊ TEM DE RESPEITAR”

EMOÇÃO GENUÍNA DE BARRICHELLO É EXEMPLO DE MOTIVAÇÃO

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube