MotoGP

Após vitória na Itália, Ducati fala em oferecer renovação a Petrucci nos próximos dias

A Ducati pretende definir seu futuro nos próximos dias. De acordo com o site 'Motorsport', Paolo Ciabatti, diretor-esportivo da equipe, revelou que a esquadra de Borgo Panigale quer manter as coisas como estão hoje, oferecendo uma renovação de contrato para Danilo Petrucci

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
A Ducati vai definir o destino de seus pilotos nos próximos dias. Paolo Ciabatti, diretor-esportivo da equipe, declarou que a marca italiana vai sentar nos próximos dias para fechar os acordos para a temporada 2020, como noticiou o site ‘Motorsport’.
 
Danilo Perucci chegou à esquadra de Borgo Panigale em uma situação delicada, pois assinou contrato de apenas um ano, encerrando no final de 2019. Para seguir no time, foi imposto algumas condições, e uma delas era alcançar sua primeira vitória na MotoGP.
 
Pois bem, logo em sua corrida caseira, na Itália, subiu no degrau mais alto do pódio e viu suas chances de permanecer na equipe subirem drasticamente. Quem também está na briga pela vaga é Jack Miller, que hoje defende a Pramac.
 
Entretanto, Paolo deixou claro que quer deixar as coisas como estão atualmente, tanto no time de fábrica quanto no satélite. “Nosso desejo é manter as coisas como neste ano. Se temos a chance de manter uma equipe e fábrica que trabalha tão bem, com [Andrea] Dovizioso e Petrucci, e com a Pramac que funciona igualmente, então manteremos”, disse.
Petrucci e Dovi (Foto: Ducati)
“Nos próximos dias vamos conversar com os empresários dos pilotos envolvidos e com a Pramac para tentar fechar isso. Há pessoas que esperavam ver [Álvaro] Bautista novamente na MotoGP, mas, para nós, é importante que ele continue no Mundial de Superbike”, seguiu.
 
“Temos Danilo, que subiu ao pódio nas duas últimas corridas e venceu seu primeiro GP. Isso é exatamente o que pedimos para ele. Agora, temos que ver como vamos lidar com os empresários. É tudo sobre sentar com eles”, pontuou.
 
Apesar de nada ainda estar fechado, Miller já fez sua única exigência para o próximo campeonato. O australiano deixou claro que não aceita correr com uma moto defasada, alegando que já começaria o ano em desvantagem.
 
Sobre o assunto, Ciabatti afirmou que “uma moto do ano anterior não é o que Jack merece, pois é um piloto que valorizamos muito. Vamos ver o que podemos fazer para que, no ano que vem, ele continue com uma moto idêntica as da fábrica”, encerrou.
 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.