MotoGP

Arbolino bate Dalla Porta por 0s029 na linha de chegada de Mugello e vence pela primeira vez na Moto3

Tony Arbolino completou um bom fim de semana com chave de ouro: com uma bela atuação na volta final, bateu Lorenzo Dalla Porta por 0s029 na linha de chegada para vencer pela primeira vez na Moto3. Jaume Masià completou o pódio

Grande Prêmio / JULIANA TESSER, de São Paulo / NATHALIA DE VIVO, de São Paulo
A Moto3 nunca decepciona. Neste domingo (2), Tony Arbolino conquistou sua primeira vitória no Mundial ao bater Lorenzo Dalla Porta na linha de chegada de Mugello por apenas 0s029.
 
Dono da pole, Arbolino largou mal e perdeu a ponta para Gabriel Rodrigo ainda nos primeiros metros, mas logo se recuperou e retomou a liderança. Mas, como sempre, a Moto3 foi aquela loucura, com um montão de trocas na ordem dos pilotos.
 
Lorenzo Dalla Porta, no entanto, se destacou nas primeiras voltas, já que conseguiu manter a liderança por um período maior, ainda que sem afastar a concorrência.
A chegada do GP da Itália (Foto: Reprodução)
Na 12ª volta, o piloto da Leopard cometeu um erro na entrada da Correntaio, mas evitou a queda e logo começou a escalar, lançando mão, inclusive, de uma belíssima ultrapassagem na Bucine, quando deu o bote em todo um pelotão.
 
O #48 logo se recolocou na liderança e passou a controlar os ataques da concorrência, ainda que sem abrir uma margem definitiva. Nas voltas finais, porém, o cenário mudou, com uma lista de pilotos entrando na briga pela vitória.
 
Na volta final, Jaume Masià assumiu o comando, mas com Dalla Porta coladinho atrás. O #48 passou na Correntaio, mas acabou batido por Arbolino, que usou perfeitamente o vácuo na reta para receber a bandeirada na frente por só 0s029.

A vitória de Arbolino, aliás, estende uma sequência incrível na Moto3: já são 11 vencedores diferentes em 11 corridas da classe de entrada do Mundial de Motovelocidade ― o sexto de 2019.
 
Jaume Masià entrou tarde na disputa pela ponta, mas aparece para completar o pódio só mais 0s049 atrás do #48. Niccolò Antonelli fez uma vigorosa prova de recuperação para terminar em quarto. O #23 teve seu melhor tempo na classificação cancelado pelo Painel de Comissários por ter entrado na pista antes da hora e acabou largando em 18º. O italiano chegou a cair para 21º, mas se recuperou para receber a bandeirada apenas 0s156 atrás do vencedor.
 
Dennis Foggia ficou com o quinto, à frente de John McPhee, que também fez uma bela prova de recuperação depois de largar em 17º.
 
Arón Canet ficou apenas em sétimo na pista da Toscana, mas não perdeu a liderança do campeonato. Dalla Porta, entretanto, agora aparece apenas três pontos atrás. Tatsuki Suzuki, também punido no grid por iniciar a classificação antes da hora, completou a disputa em oitavo, com Celestino Vietti e Darryn Binder completando o top-10.

Paddockast #20
Punições tardias, circuitos chatos... O que tem de acabar no esporte a motor?



Saiba como foi o GP da Itália de Moto3:
 
Assim como nos dias anteriores, o domingo amanheceu com sol e tempo firme em Mugello. Às vésperas da largada da Moto3, a temperatura estava na casa dos 25°C, com o asfalto chegando aos 38°C. A velocidade dos ventos era de 10 km/h.
 
Pela terceira vez na carreira, Tony Arbolino tinha a pole-position, à frente de Gabriel Rodrigo e Lorenzo Dalla Porta, o que representa a primeira vez que a Honda consegue dois top-3 consecutivos no grid desde Itália e Catalunha no ano passado.
 
Vencedor do GP da Itália de 2017, Andrea Migno abre a segunda fila, seguido por Romano Fenati e Kaito Toba. Líder do campeonato, Arón Canet ficou com o oitavo posto.
 
As luzes se apagaram em Mugello e a largada estava autorizada em solo italiano. Gabriel Rodrigo fez ótima saída, se colocando na primeira colocação, enquanto Arbolino tentou dar o troco em cima do #81, com sucesso.
 
Enquanto isso, Suzuki vinha em terceiro e precisando segurar as investidas de Dalla Porta, que sustentava o quarto posto. Fenati era quem aparecia para fechar os cinco primeiros após o início da corrida.
 
E ainda no primeiro giro, na curva 11, Kazuki Masaki protagonizou o primeiro incidente da disputa ao ir ao chão. O piloto caiu no meio da pista, mas os demais adversários conseguiram desviar sem grandes problemas.
 
O pelotão da ponta estava bastante próximo e contava com sete nomes na briga pela primeira colocação. Quem aparecia puxando o restante do grid agora era Rodrigo, que tinha Dalla Porta em sua cola. McPhee, Fenati, Arbolino, Suzuki, Masià, Canet, Migno e Binder completavam o top-10.
 
Tony era novamente o piloto que aparecia na primeira colocação do pelotão. Entretanto, Gabriel estava na sua cola, com apenas 0s103 de atraso. Mas quem acabou dando o bote para assumir o primeiro posto foi Suzuki, o novo líder.
 
Os pilotos estavam colados nas primeiras colocações, com a mudança de colocações sendo frenética. Com 18 giros para o final, Dalla Porta era o primeiro, com Arbolino e Suzuki em seguida. 
 
Rodrigo, que vinha apresentando grande desempenho, então, sofreu um grande golpe de má sorte. O piloto acabou caindo sozinho na curva 4, encerrando de forma prematura sua participação em Mugello.
A ordem na pista era Dalla Porta, Arbolino, Suzuki, Binder, McPhee, Foggia, Canet, Migno, López e Masià.
 
O #48 conseguiu a abrir  uma ligeira vantagem na ponta do pelotão, conseguindo um respiro de 0s442.Enquanto isso, as demais posições seguiam todas em aberto, com Binder, Arbolino, Suzuki e McPhee completando o top-5.

A briga pela primeira colocação recomeçou, com Dalla Porta e Arbolino constantemente se superando. Com 12 voltas para a bandeira quadriculada, era o #48 quem puxava o pelotão. Binder, McPhee, Foggia, Suzuki, Canet, Antonelli, Masià e Migno vinham logo atrás.
 
O #40 também acabou se colocando novamente na disputa pelo degrau mais alto do pódio. Mas o #48 estava disposto a vencer, conseguindo se colocar novamente na liderança, trazendo Foggia junto.
 
Em um erro, Lorenzo acabou caindo da primeira colocação para sexto. Entretanto, em uma linda ultrapassagem, se catapultou novamente para a ponta do pelotão. Mas não por muito tempo, já que as primeiras posições estavam bastante próximas.
 
A corrida entrava em sua fase final e as coisas seguiam em aberto no circuito italiano. Dalla Porta tentava se desgarrar dos adversários, mas abriu apenas 0s397 de frente. Suzuki, Binder, Arbolino e Foggia eram o top-5.
 
Quem vinha escalando aos poucos o pelotão era Fenati. O piloto, que chegou a andar entre os primeiros e depois caiu para o meio do pelotão, aparecia no décimo posto com sete voltas para a bandeira quadriculada.

Eram 13 pilotos que estavam colados no pelotão da ponta da prova e que estavam constantemente na briga pelo pódio. Dalla Porta estava em primeiro, mas precisava se defender dos ataques de Suzuki e Arbolino.
 
Até que, com cinco voltas para o encerramento da prova, Migno e Fenati acabaram se envolvendo em um incidente. Na curva 15, os dois pilotos acabaram caindo e parando na caixa de brita, encerrando suas provas prematuramente. Pouco depois, foi a vez de Toba e Sasaki irem ao chão.
 
Perto do fim, Lorenzo tentava se afastar do pelotão, mas sem muito sucesso. Antonelli era quem vinha em segundo, com McPhee, Suzuki e Arbolino completando o top-5.
 
Até que, com dois giros para a bandeira quadriculada, o japonês conseguiu dar o bote em cima do italiano para tomar a liderança. Mas as coisas ainda estavam totalmente em aberto, com a última volta protagonizando uma grande briga.
 
Depois de Dalla Porta reassumir a ponta, a primeira colocação ainda passou por Arbolino, Suzuki e agora era Masià quem sustentava a posição mais alta do pódio. Mas o #48 estava disposto a superar o #5.
 
O italiano então conseguiu reassumir a primeira colocação, mas precisava segurar o ímpeto de Arbolino que, na linha de chegada, conseguiu superar o #48 para conseguir sua primeira vitória no Mundial. Masià foi quem completou o pódio.

Moto3 2019, GP da Itália, Mugello, Final:
 
1 T ARBOLINO Snipers Honda 39:29.874 220 voltas
2 L DALLA PORTA Leopard Honda +0.029  
3 J MASIÀ Worldwide KTM +0.078  
4 N ANTONELLI SIC58 Honda +0.156  
5 D FOGGIA VR46 KTM +0.267  
6 J MCPHEE SIC HONDA +0.403  
7 A CANET MAX KTM +0.559  
8 T SUZUKI SIC58 Honda +0.595  
9 C VIETTI VR46 KTM +1.566  
10 D BINDER CIP KTM +1.597  
11 R FERNANDEZ Ángel Nieto KTM +2.519  
12 A ARENAS Ángel Nieto KTM +2.554  
13 S GARCIA Estrella Galicia 0,0 Honda +2.578  
14 J KORNFEIL Prüstel KTM +22.830  
15 M YURCHENKO RBA KTM +26.669  
16 G SALIM Asia Honda +26.745  
17 R YAMANAKA Estrella Galicia 0,0 Honda +26.777  
18 C ÖNCÜ Red Bull KTM Ajo +26.779  
19 V PEREZ Avintia KTM +26.873  
20 F SALAC Prüstel KTM +29.782  
21 R ROSSI Gresini Honda +51.331  
  A SASAKI SIC HONDA NC  
  K TOBA Asia Honda NC  
  A MIGNO Worldwide KTM NC  
  R FENATI Snipers Honda NC  
  M RAMÍREZ Leopard Honda NC  
  T BOOTH-AMOS CIP KTM NC  
  A LÓPEZ Estrella Galicia 0,0 Honda NC  
  K ZANNONI RGR TM NC  
  G RODRIGO Gresini KTM NC  
  K MASAKI RBA KTM NC  
         
VMR N ANTONELLI SIC58 Honda 1:56.713 161.7 km/h
REC F DI GIANNANTONIO Gresini Honda 1:56.628 161.8 km/h
MV T ARBOLINO Snipers Honda 1:56.407 162.2 km/h
         
  Condições do tempo PISTA SECA   ar: 26ºC | pista: 42ºC




Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.