Artigas segura García e vence primeira na Moto3 em Valência. Acosta abandona

Xavier Artigas conquistou sua primeira e a última vitória da Moto3 em 2021. Sergio García e Jaume Masià fecharam o top-3. Campeão de 2021, Pedro Acosta abandonou após cair em decorrência de toque com Dennis Foggia

MOREIRA CONQUISTA VAGA NA MOTO3 PARA 2022 E COLOCA BRASIL NO MUNDIAL | GP às 10

Imprevisível como é, a última etapa da Moto3 em 2021 teve troca de posições até os momentos finais. Quem se assegurou a derradeira vitória da temporada, em Valência, no entanto, foi Xavier Artigas, que aproveitou a queda do então líder e campeão mundial, Pedro Acosta, segurou Sergio García, e conquistou o primeiro triunfo na Moto3.

Atrás dele, García e Masià, este último que também escalou o pelotão no final para tomar terceiro lugar, fecharam o top-3. Filip Salac, que se despede da Moto3, e Deniz Öncü completaram as cinco primeiras posições.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Xavier Artigas venceu pela primeira vez na Moto3 (Foto: Leopard)

WEB STORY
Como ficou o grid de 2022 da MotoGP

Vice-campeão de 2021, Dennis Foggia chegou a liderar, quase a beliscar a vitória, mas foi superado e, por isso, fechou apenas na sétima posição, mas acabou punido com 3s por pilotagem irresponsável e terminou só em 13º. Stefano Nepa foi promovido a sétimo, seguido por Izán Guevara — que largou da pole-position —, Carlos Tatay, Niccolò Antonelli e Ayumu Sasaki, que completam o top-10.

Com o resultado, Acosta conclui a temporada com 259 pontos, 43 a mais que Foggia. García fechou o Mundial em terceiro, seguido por Masià, Romano Fenati, Niccolò Antonelli, Darryn Binder, Guevara, Sasaki e Andrea Migno.

Saiba como foi o GP da Comunidade Valenciana da Moto3:

O domingo amanheceu com sol na província de Cheste, mas isso não significou temperaturas elevadas. Quando a Moto3 alinhou no grid valenciano, os termômetros mediam 18°C, com o asfalto chegando a 13°C. A umidade relativa do ar estava na casa de 52%, com o vento soprando a 6 km/h.

Para este último GP da temporada, todos os pilotos escolheram os pneus dianteiros M, enquanto a maioria calçou o traseiro S2, exceto Izán Guevara e Xavier Artigas, que escolheram o H4 para as 23 voltas previstas no circuito Ricardo Tormo.

Quando as luzes se apagaram na reta de largada, Acosta sustentou a ponta, com Tatsuki Suzuki avançando para segundo, mas logo sendo destronado por Guevara. Ainda no primeiro giro, o japonês da Sic58 respondeu e voltou a se colocar atrás de Pedro, que já tinha aberto um pouco mais de 0s26.

Largada da Moto3 aconteceu sem maiores problemas em Valência (Vídeo: MotoGP)

Na passagem pela curva 4, um susto: Darryn Binder sofreu um hig-side e foi seguido por Ryusei Yamanaka e Lorenzo Fellon em incidentes separados no meio do bolo, mas todos escaparam ilesos.

Na abertura do segundo giro, o pelotão colou em Acosta, mas sem conseguir lançar um ataque. Na curva 3, porém, o piloto da Red Bull KTM Ajo deu uma escorregada, o que facilitou a passagem de Suzuki e Salac.

Pedro, contudo, não demorou a recuperar a liderança, se colocando à frente de Guevara, Salac e Migno. Suzuki errou e desceu para a quinta posição.

Izán chegou a tomar a liderança, mas o já campeão Acosta conseguiu devolver rapidamente. De volta de suspensão, Deniz Öncü subiu para terceiro, diante de Suzuki e Salac.

Pedro Acosta e Izán Guevara reeditaram os tempos de CEV com a disputa em Valência (Vídeo: MotoGP)

No início da volta cinco, Guevara conseguiu tomar a liderança de Acosta mais uma vez, mas o troco de Pedro não tardou a chegar. Enquanto isso, Joel Kelso sofreu um high-side na curva 2 e acabou coletando Jose Antonio Rueda, mas os dois escaparam de lesões maiores.

Pedro conseguiu manter a ponta até o início da oitava volta, quando Guevara tomou a ponta. A liderança de Izán foi breve mais uma vez, já que Acosta voltou ao comando. Öncü e Guevara conseguiram passar o espanhol da Aspar, subindo para segundo e terceiro, respectivamente.

Na abertura do giro seguinte, Öncü passou Acosta e assumiu a ponta da corrida. Salac era terceiro, diante de Guevara, García, Masià e Suzuki. As posições, porém, não se sustentaram por muito tempo, já que Pedro voltou à ponta.

Deniz, porém, estava firme na disputa e retomou a ponta, com Salac passando Acosta brevemente antes de perder o lugar para o ‘tubarão’.

Deniz Öncü voltou de suspensão em boa forma (Vídeo; MotoGP)

Pouco depois, Jaume Masià, que tinha largado em 23º, avançou para o segundo posto e, na abertura da volta 12, tomou a ponta de Öncü. Acosta era terceiro, com Salac em quarto após uma bela manobra na curva 14. Guevara tinha caído para oitavo.

O fim do giro foi movimentado, com os pilotos da Ajo e Öncü ficaram lado a lado na disputa pela liderança, mas tomando o bote de García. Xavier Artigas, porém, deu um golpe melhor e assumiu o comando.

Öncü, no entanto, retomou a liderança pouco depois, com Acosta em segundo, diante de Artigas, Masià e Guevara.

Restando nove voltas para o fim, Öncü foi punido com uma volta por repetidamente extrapolar os limites da pista. Antes mesmo de cumprir a sanção, o turco foi engolido por Acosta e Artigas, que usou o vácuo para tomar o top-2. Outro punido com a volta longa foi Salac, que também não se atentou às dimensões da pista.

Com sete voltas para o fim, Artigas conseguiu retomar a ponta, mas ainda pertinho de Acosta, que não demorou a atacar e se instalar na liderança. Terceiro, Masià também vinha bem pertinho.

Pouco depois de uma queda de Suzuki na curva 1, Masià aproveitou o início da volta 18 para tomar a liderança de Acosta. García era o terceiro, diante de Artigas e Foggia.

Acosta caiu após toque com Foggia (Foto: Reprodução)

Depois de pagar a pena, Öncü começou a tentar reescalar o pelotão. Mesmo depois de um susto, o piloto da Tech3 avançou para sétimo, diante de Salac.

Com quatro voltas para o fim, Artigas retomou a liderança, mas logo perdeu para Foggia, que vinha quietinho avançando pouco a pouco. Xavier era o terceiro, seguido por García.

Pedro não deixou o piloto da Leopard muito tempo na liderança e tratou de retomar comando com uma manobra por dentro. Na curva 11, o piloto da Ajo encontrou até espaço para olhar para trás de localizar os rivais. Artigas, Öncü e García vinham em sequência.

Com três voltas para o fim, Alberto Surra abandonou a disputa depois de uma queda na curva 2. O italiano não se feriu com gravidade.

Enquanto isso, Foggia retomou a ponta, com Artigas brevemente se colocando à frente de Acosta. Öncü seguia em quarto, bastante próximo do pelotão da ponta.

Artigas garantiu a vitória ao segurar García (Foto: Reprodução)

Dennis abriu a volta final da liderança em Valência, mas logo foi ultrapassado por Acosta. Pouco depois, contudo, o campeão de 2021 caiu na curva 2 depois de um toque com Foggia.

Artigas assumiu a ponta, mas logo foi superado por García, que ficou com o comando. Xavier atacou nos metros finais e garantiu a vitória diante de García e Masià.

Moto3 2021, GP da Comunidade Valenciana, Valência, Corrida:

1X ARTIGASLeopard Honda38min30s302
2S GARCÍAAspar KTM+0.043
3J MASIÀRed Bull KTM Ajo+0.232
4F SALACPrüstel KTM+0.443
5D ÖNCÜTech3 KTM+0.540
6S NEPARBA KTM+1.156
7I GUEVARAAspar KTM+1.209
8C TATAYAvintia KTM+2.109
9N ANTONELLIAvintia KTM+2.185
10A SASAKITech3 KTM+2.322
11J MCPHEESRT Honda+2.791
12R FENATIMAX Husqvarna+2.461
13D FOGGIALeopard Honda+3.819
14A FERNÁNDEZMAX Husqvarna+13.298
15J ALCOBAGresini Honda+13.348
16R ROSSIRBA KTM+13.369
17K TOBACIP KTM+17.249
18A MIGNOSnipers Honda+45.481
19R YAMANAKAPrüstel KTM+33.756
20P ACOSTARed Bull KTM AjoAbandonou
21A SURRASnipers HondaAbandonou
22T SUZUKISIC58 HondaAbandonou
23Y KUNIIAsia HondaAbandonou
24J KELSOCIP KTMAbandonou
25J RUEDAGresini HondaAbandonou
26L FELLONSIC HONDANão completou
27D BINDERSIC HONDANão completou
BINDER FAZ LAMBANÇA NO ALGARVE E AMPLIA DEBATE POR IDA PRECOCE À MOTOGP | GP às 10
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar