Bagnaia lamenta abandono em Misano e fala em “queda estranha demais”

Italiano de Torino caminhava para a primeira vitória na MotoGP no GP da Emília-Romanha e da Riviera de Rimini, mas caiu na curva 6 com sete voltas para o fim da corrida

Francesco Bagnaia não sabe explicar a causa da queda que lhe tirou a chance de vencer pela primeira vez na MotoGP no domingo (20). O italiano de 23 anos acredita que tocou em alguma coisa ou escorregou em um ponto sujo do asfalto do circuito Marco Simoncelli.

O titular da Pramac Ducati assumiu a liderança do GP da Emília-Romanha e da Riviera de Rimini na volta 6 e abriu pouco mais de 1s de vantagem para Maverick Viñales, mas com sete giros para o fim, caiu na curva 6 e abandonou.

Pecco Bagnaia, Pramac, MotoGP 2020, GP da Emília-Romanha
Pecco Bagnaia liderou boa parte da corrida de domingo (Foto: Pramac)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“A primeira coisa que pensei quando caí foi que realmente queria que a moto fosse levada logo aos boxes para ver o que aconteceu, pois a queda foi estranha demais”, disse Bagnaia. “Estava completamente sob controle com a vantagem que tinha para Maverick, estava controlando-o com a diferença. Ele estava forçando muito, claro, e eu estava sendo muito esperto para controlar a vantagem. E a queda foi incrível, porque, olhando para os dados, a velocidade era a mesma, o ângulo de inclinação era o mesmo, a linha era a mesma” continuou.

“Parece que toquei em alguma coisa, como uma sobreviseira ou algo sujo na pista. Só pode ser isso, pois, se não for, fico um pouco assustado para as próximas corridas, porque cair daquele jeito sem nenhum aviso antes é muito estranho”, comentou.

Companheiro de Pecco na Pramac, Jack Miller precisou abandonar a corrida em Misano depois que uma sobreviseira de Fabio Quartararo tampou a entrada de ar do motor Ducati, o que afetou a potência.

Após chegar perto da primeira vitória da carreira na elite do Mundial de Motovelocidade, Bagnaia não escondeu a decepção com o abandono. É a segunda vez no ano que o italiano de Torino passa por uma situação assim, já que não completou em Jerez com problemas no motor quando caminhava para o primeiro top-3 da carreira na classe rainha.

“Pela primeira vez, fui muito rápido em todas as sessões. Perder uma corrida assim é muito, muito decepcionante”, comentou.

A performance de Bagnaia, porém, contrasta com as outras Ducati, que tiveram um fim de semana mais discreto. Melhor Desmosedici na corrida, Andrea Dovizioso ficou em oitavo, com Danilo Petrucci em décimo e Johann Zarco em 11º.

“Em comparação com as outras Ducati, sou mais forte na primeira parte da freada e na entrada [das curvas]”, apontou Pecco. “Posso recuperar muito da diferença em relação às outras motos, as Yamaha e as Suzuki. E o motor é incrível, então, posso usar melhor o limite do pneu, abrir o acelerador com cuidado, pois nosso motor é muito potente, potente demais. E posso conseguir melhor aderência na traseira com essas coisas”, indicou.

“Mas acho que o ponto, no momento, em que estou batendo os outros pilotos da Ducati é simplesmente na freada e na entrada. Não tenho dificuldade para virar a moto”, ressaltou.

Por fim, Bagnaia celebrou a chance de voltar para a pista imediatamente, já que o GP da Catalunha acontece no próximo fim de semana.

“Depois de um fim de semana como este, realmente preciso correr o mais cedo possível! Perder uma corrida como perdi hoje não é bom para mim, então estou feliz que a próxima pista seja mais adequada à nossa moto e uma de que realmente gosto”, observou. “Espero ser rápido desde o primeiro dia. Acho que isso é muito importante, pois estamos perdendo muitos pontos. A única coisa boa é que eu sou forte. E sem a falha de motor de Jerez e o resultado de hoje, a classificação seria diferente”, expressou.

“Mas é melhor não pensar nisso e só me concentrar em ser rápido como neste fim de semana em todo o resto da temporada”, concluiu.

LEIA TAMBÉM
+ De destemido a desempregado: Dovizioso faz graça com macacão na Emília-Romanha
Francis Bradfield, o homem que protesta contra o racismo sozinho na MotoGP

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube