MotoGP

“Bem velho”, Rossi diz que seguir na MotoGP aos 40 é desafio, mas sonha: “Espero correr com meu irmão”

Valentino Rossi se disse “bem velho” e reconheceu que vai ser um desafio seguir na MotoGP aos 40 anos. O #46, porém, admitiu que gostaria de correr com o irmão Luca Marini na classe rainha antes da aposentadoria
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Valentino Rossi (Foto: Yamaha)
Às vésperas de completar 40 anos — em 16 de fevereiro —, Valentino Rossi reconheceu que é um desafio seguir na MotoGP. O multicampeão se disse “bem velho” e afirmou que precisa de muito empenho para seguir na ativa, mas já falou até em correr com o irmão, Luca Marini, na classe rainha do Mundial de Motovelocidade.
 
 
“Infelizmente, vou completar 40 anos na próxima semana e, sim, sou bem velho”, disse Rossi. “Mas para mim é um desafio tentar competir nessa idade”, seguiu.
Valentino Rossi vai completar 40 anos no próximo dia 16 (Foto: Yamaha)
Rossi, que vai ser o primeiro piloto da era moderna da MotoGP a seguir competindo com mais de 40 anos, avaliou que, no futuro, outros também tenham a chance de ter uma carreira tão longeva. 
 
“Talvez no futuro alguns outros pilotos continuem a correr por um longo prazo”, comentou Rossi. “O importante é a motivação, mas, especialmente, é importante ser forte. Eu tenho um contrato de dois anos assinado, então este é o próximo”, lembrou. “Vai ser difícil se manter no topo, mas vou tentar”, disse.
 
Para se manter em forma, porém, Rossi entende que precisa trabalhar cada vez mais nos aspectos além da pista.
 
“Você tem de trabalhar muito em casa, tentar treinar de moto todos os dias, mas também na academia. Mas acho que não muda muito entre 40 e 36, mas, com certeza, muda muito entre os 40 e os 25”, afirmou. “Então você tem de trabalhar mais duro, mas, de qualquer forma, é possível”, frisou.
 
Vindo de sua primeira temporada sem vitórias vestindo as cores da Yamaha, Rossi admitiu que espera seguir correndo por um tempo suficiente para poder dividir as pistas com Luca.
 
“Sim, eu espero correr junto com o meu irmão. Eu espero que Luca possa ser forte na Moto2 neste ano e talvez possa chegar na MotoGP antes de eu parar. Seria bom se corrêssemos juntos. Também seria algo que, sinceramente, eu nunca imaginei. Ninguém esperava!”, reconheceu. 
 
Valentino falou também sobre seus planos pós-MotoGP e admitiu até a possibilidade de disputar o Rali Dakar. “Quando parar com a MotoGP, quero tentar continuar com os carros, porque é minha grande paixão”, declarou. “O Dakar é uma corrida muito interessante. Então por que não? Quer dizer, é muito duro, difícil, então você tem de se preparar de uma boa maneira, mas estou curioso para tentar uma vez. Talvez aconteça”, sugeriu.
 
Por fim, ao ser questionado sobre uma eventual terceira geração de Rossi no Mundial de Motovelocidade, Valentino admitiu que gostaria de ver um filho seguindo os mesmos passos do avô Graziano. Mas sem pressão. “Com certeza, se eu tiver um filho, ficaria feliz se ele corresse de moto. Mas, sabe, não posso escolher. Teria de ser escolha dele”, concluiu.