Bezzecchi corre sem falhas em pista secando na Argentina e vence na Moto3. Martín aposta nos slicks e é só 11º

Mesmo com pneus de chuva em uma pista secando, Marco Bezzecchi foi capaz de manter um ritmo fortíssimo e escapou do pelotão para conquistar sua primeira vitória na Moto3. Arón Canet e Fabio Di Giannantonio completam o pódio. Vencedor do GP do Catar, Jorge Martín apostou nos slicks na última hora e, mesmo contando com um ritmo excelente, acabou apenas em 11º

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Marco Bezzecchi teve uma atuação sem falhar em Termas de Río Hondo. Correndo com pneus de chuva em um asfalto secando neste domingo (8), o italiano conseguiu manter um ritmo forte e escapou do pelotão para buscar sua primeira vitória no Mundial de Moto3.
 
Sem chuva na hora da largada, o pole Tony Arbolino arriscou com os slicks, mas Nicolò Bulega, Marcos Ramírez, Jorge Martín e Philipp Oettl decidiram apenas na volta de aquecimento pela borracha lisa. Como as classes menores do Mundial de Motovelocidade não contam com motos reservas, os pilotos tiveram de esperar pela troca, um procedimento um tanto mais demorado. 
 
Bezzecchi, por outro lado, aproveitou o bom ritmo mostrado ao longo de todo o fim de semana para disparar na ponta ainda no início da corrida, abrindo mais de 2s3 em relação segundo colocado ainda na segunda volta.
Marco Bezzecchi venceu pela primeira vez na Moto3 (Foto: Prüstel)
Passadas as primeiras quatro voltas, Martín era o único entre os pilotos com slicks a rodar no ritmo do líder Bezzecchi, que vinha abaixo de 2min00s. O titular da Gresini, no entanto, era o 27º.
 
Volta após volta, Martín ia fazendo os melhores registros em Termas, mas a escalada no pelotão ainda era bastante lenta. O espanhol ia precisar que os rivais fossem aos boxes para trocar de pneus para poder sonhar com um bom resultado.
 
Bezzecchi, porém, manteve um ritmo forte durante toda a disputa e chegou a abrir mais de 7s de margem para Fabio Di Giannantonio em determinado ponto do GP ― com nove voltas para o fim, no caso.
 
Marco, então, seguiu firme e forte até a bandeirada e cruzou a linha de chegada com 4s689 de vantagem para Arón Canet, que venceu Fabio Di Giannantonio em uma disputa nas últimas voltas.
 
Enea Bastianini aparece na sequência, à frente de Adam Norrodin, Alonso López, Lorenzo Dalla Porta, Niccolò Antonelli, Gabriel Rodrigo e Tony Arbolino. Martín, por sua vez, ficou em 11º.
 
Com o resultado deste domingo, Canet assumiu a liderança do Mundial, dez pontos à frente de Martín. Bezzecchi vem em terceiro, seguido por Di Giannantonio e Dalla Porta. A Honda lidera o Mundial de Construtores, com a Gresini levando a melhor na disputa de Equipes.
LEIA TAMBÉM

Stop & Go: Franco Morbidelli

Saiba como foi o GP da Argentina de Moto3:
 

A Moto3 deu sorte com o clima em Termas de Río Hondo neste domingo. Depois de uma manhã de pista encharcada, os pilotos

contaram com o asfalto em melhores condições, ainda que o céu permanecesse bastante nublado. Pouco antes da largada, a temperatura era medida em 21°C, com o asfalto alcançando os 23°C. A velocidade do vento estava em 10 km/h.
 

Pela primeira vez na carreira, Tony Arbolino tinha a pole-position. O piloto da Snipers se tornou, assim, o sétimo italiano a conquistar a posição de honra desde a introdução da Moto3, em 2010, mas é o primeiro nascido a partir de 2000.
 
Estreando na primeira fila, Marco Bezzecchi tem o segundo posto e aparece como melhor KTM, à frente de Gabriel Rodrigo. O #19 é o primeiro argentino no top-3 na Argentina desde que Sebastian Porto em 1999 na corrida das 250cc.
 
Adam Norrodin aparece para abrir a linha seguinte, à frente de Enea Bastianini e Fabio Di Giannantonio. Líder do Mundial, Jorge Martín sai só em nono, seu pior grid desde o GP da Áustria do ano passado, quando foi 13º.
 
Para a largada, a condição da pista era molhada. Entre os pilotos, o pole-position Arbolino era optou por calçar pneus slick, e Nicolò Bulega também decidiu por última hora. Pouco antes do apagar das luzes, Jorge Martín foi para os boxes para trocar os compostos.
 

Quando a largada foi autorizada, Bezzecchi pulou para a ponta, com Bastianini, Gabriel Rodrigo que encontrou um atalho no pelotão para pular para a segunda colocação. Enquanto isso, o ponteiro do grid não fez boa saída, perdendo boas posições e indo para trás da tabela, na 21ª colocação.

 
Com 19 voltas para o fim, o #12 seguia na ponta do pelotão, sendo seguido de perto por Rodrigo, Di Giannantonio, Norrodin e Masiá. Dos competidores, Bulega, Oettl, Martín e Arbolino estavam com pneus slick.
 
Marco seguia imprimindo ritmo impressionante na pista. Com 17 voltas para o encerramento da prova, o piloto sustentava uma liderança de 4s490 para o restante do pelotão.

Martín fez uma aposta certeira ao escolher os pneus slick, pois vinha mais veloz do que Bezzecchi. No entanto, como perdeu muito tempo nos boxes na largada, aparecia apenas no fim do pelotão.

 

Então, em uma bela ultrapassagem dupla, Canet supera Masiá e Di Giannantonio para tomar a segunda colocação da tabela. Bezzecchi seguia na ponta com 14 voltas para o fim, com Rodrigo e Norrodin completando o top-5.

Bezzecchi caminhava a passos largos para conquistar sua primeira vitória da carreira. Em grande atuação, o piloto pulou para a ponta no início da prova para não ser mais ameaçado no restante dos giros.

Uma animada briga que teve durante grande parte da corrida foi entre Canet e Di Giannantonio. Disputando a segunda colocação, faltavam cinco voltas para o encerramento quando o #44 deu o bote em cima do #21. Ele tentou dar o troco, mas sem sucesso.
 
Então, em um enorme golpe de azar, quando figurava na quarta colocação, acabou perdendo a moto e foi ao chão. Com isso, perdeu posições e foi para o final da tabela, arruinando a ótima prova que vinha fazendo.
 
Enquanto isso, quem ganhava inúmeros postos era Martín. Na última volta, o #88 estava em 15º, mostrando que sua aposta por pneu slick foi certeira e fazendo ótima corrida de recuperação na Argentina.

Dali para o final, nada mais mudou no traçado. Em atuação exemplar, Bezzecchi conquistou sua primeira vitória na carreira. Na segunda colocação, Canet segurou as últimas investidas de Di Giannantonio para terminar em segundo. Bastianini foi quarto, com Norrodin completando o top-5. Martín recebeu a bandeira em 11º.

Moto3 2018, GP da Argentina, Termas de Río Hondo, Final:

 
1 12 MARCO BEZZECCHI ITA PRÜSTEL KTM 41:43.822 21 voltas
2 44 ARÓN CANET ESP ESTRELLA GALICIA 0,0 Honda +4.689  
3 21 FABIO DI GIANNANTONIO ITA GRESINI Honda +4.963  
4 33 ENEA BASTIANINI ITA LEOPARD Honda +5.818  
5 7 ADAM NORRODIN MAL PETRONAS Honda +9.112  
6 72 ALONSO LÓPEZ ESP ESTRELLA GALICIA 0,0 Honda +13.349  
7 48 LORENZO DALLA PORTA ITA LEOPARD Honda +13.925  
8 23 NICCOLÒ ANTONELLI ITA SIC58 Honda +14.363  
9 19 GABRIEL RODRIGO ARG RBA KTM +16.573  
10 14 TONY ARBOLINO ITA SNIPERS HONDA +24.299  
11 88 JORGE MARTÍN ESP GRESINI Honda +25.373  
12 42 MARCOS RAMÍREZ ESP WORLDWIDE KTM +26.060  
13 16 ANDREA MIGNO ITA ÁNGEL NIETO KTM +26.376  
14 84 JAKUB KORNFEIL TCH PRÜSTEL KTM +26.488  
15 11 LIVIO LOI BEL AVINTIA KTM +26.537  
16 71 AYUMU SASAKI JAP PETRONAS Honda +29.252  
17 17 JOHN MCPHEE ING CIP KTM +32.937  
18 41 NAKARIN ATIRATPHUVAPAT TAI TEAM ASIA Honda +33.892  
19 27 KAITO TOBA JAP TEAM ASIA Honda +37.665  
20 22 KAZUKI MASAKI JAP RBA KTM +38.202  
21 24 TATSUKI SUZUKI JAP SIC58 Honda +1:02.305  
22 40 DARRYN BINDER RSA RED BULL KTM AJO +1:17.384  
23 65 PHILIPP OETTL ALE SCHEDL GP KTM +1:36.986  
24 76 MAKAR YURCHENKO CAZ CIP KTM +1 volta  
  5 JAUME MASIÁ ESP WORLDWIDE KTM NC  
  10 DENNIS FOGGIA ITA VR46 KTM NC  
  75 ALBERT ARENAS ESP ÁNGEL NIETO KTM NC  
  8 NICOLÒ BULEGA ITA VR46 KTM NC  
             
POLE TONY ARBOLINO ITA SNIPERS HONDA 1:53.782 152.0 km/h
VOLTA MAIS RÁPIDA JORGE MARTÍN ESP GRESINI Honda 1:55.968 149.1 km/h
RECORDE MIGUEL OLIVEIRA POR RED BULL KTM AJO 1:48.977 158.7 km/h
MELHOR VOLTA MIGUEL OLIVEIRA POR RED BULL KTM AJO 1:48.461 159.5 km/h
             
    Condições do tempo   PISTA MOLHADA   ar: 22ºC | pista: 23ºC

#GALERIA(8344)

CEDO DEMAIS?

ALONSO ENTRA NO ‘MODO EMPOLGOU’ ANTES DO TEMPO

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube