Bradl explica que dores na mão atrapalharam teste, mas comemora evolução da LCR no Texas

Terceiro colocado nos testes desta quinta-feira (14), Stefan Bradl afirmou que dores na mão atrapalharam desempenho. Germânico celebrou chance de testar em Austin antes do início do Mundial e destacou evolução da LCR

 As imagens desta quinta-feira em Austin

Com a dupla da Yamaha longe da pista, Stefan Bradl não teve trabalho para garantir a terceira colocação na tabela de tempos nesta quinta-feira (14). O germânico cravou 2min04s225 em sua melhor volta no circuito de Austin e ficou a 0s944 de Marc Márquez, o mais rápido da sessão.

Bradl reclamou de dores na mão nesta quinta (Foto: LCR)
Depois de concluir os testes no estreante circuito norte-americano, o piloto da LCR revelou que teve um problema na mão nesta quinta e não pôde ser tão agressivo quanto gostaria. 
 
“Durante a noite a minha mão esquerda começou a doer e esta manhã ela estava estranhamente inchada”, contou. “Por esta razão, não pude ser muito agressivo na moto, especialmente nas freadas fortes e curvas para a esquerda, e nós decidimos cancelar a simulação de corrida desta tarde”, justificou. 
 
Apesar do problema, o campeão de 2011 da Moto2 ponderou que a equipe satélite da Honda conseguiu melhorar ao longo dos testes e pôde coletar informações que serão importantes para a prova de abril próximo. 
 
“Melhoramos em áreas como estabilidade da freada, testamos diferentes pneus duros, traseiros e dianteiros, e reunimos mais informações para o fim de semana de corrida”, considerou. “No geral, foi um teste útil para nós, porque tivemos o primeiro contato com esta nova pista e ganhamos mais tempo de pista antes do início da temporada”, finalizou. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube