Candidato a receber MotoGP no Reino Unido, Circuito de Gales perde investimento público e tem futuro incerto

O projeto do Circuito de Gales contava com um grande investimento público, de aproximadamente R$ 843 milhões. O governo vetou tal montante, o que deve impedir a construção do autódromo, garantindo a continuidade de Silverstone como casa da MotoGP no Reino Unido

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;


O Circuito de Gales surgiu como oponente de Silverstone na briga por uma vaga no calendário da MotoGP, mas não deve ter fôlego nem para sair do papel. O Governo de Gales vetou o investimento público de £ 200 milhões – aproximadamente R$ 843 milhões – na construção do autódromo, decisão que deixa o projeto em situação delicada.
 
O montante requisitado representava 46% do custo total da obra – que deve girar na casa dos £ 433 milhões, ou R$ 1.826 bilhão. A proposta atendia os desejos do governo, que não estava disposto a arcar com mais de 50% da obra. Todavia, um comunicado do secretário de Economia e Infraestrutura de Gales, Ken States, revela o temor de que o governo seja responsável pela maior parte dos investimentos da obra.
 
Skates também indica que a proposta de construção do autódromo superestimou o impacto da MotoGP em Gales – os responsáveis pelo projeto do autódromo acreditam que 6000 empregos seriam criados, mas o governo aponta que apenas um total de 600 seria possível.
Acostume-se com a maquete: isso deve ser o máximo que o Circuito de Gales vai conseguir (Foto: Divulgação)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Ao invés de investir no autódromo, o governo se comprometeu com uma injeção de £ 100 milhões – R$ 421 milhões – na construção de um centro de tecnologias automotivas em Gales.
 
Sem apoio governamental, o Circuito de Gales dificilmente será capaz de virar realidade. Assim, Silverstone se aproxima de renovar o contrato atual com a MotoGP, que expira em 2019, e seguir como casa da categoria no Reino Unido.
NOVA DERROTA EM 2017 MOSTRA QUE TOYOTA E LE MANS SÃO COMO ‘ÁGUA E ÓLEO’

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube