MotoGP

Canet segura rivais em final de corrida agitado e dá à equipe de Biaggi primeira vitória na Moto3 em Austin

Arón Canet segurou os rivais em um agitadíssimo fim de GP das Américas para dar à equipe de Max Biaggi sua primeira vitória no Mundial de Moto3. 0s909 atrás, Jaume Masià ficou com o segundo posto, com Andrea Migno completando o pódio

Grande Prêmio / JULIANA TESSER, de São Paulo / NATHALIA DE VIVO, de São Paulo
O GP das Américas foi bem a carinha da Moto3. Na primeira parte da disputa, as trocas de posição não foram tão frenéticas como de costume, mas as voltas finais compensaram e muito a falta de agitação inicial. Ao fim das 17 voltas, foi Arón Canet quem levou a melhor e deu à equipe de Max Biaggi sua primeira vitória na Moto3 neste domingo (14).
 
Dono da pole, Niccolò Antonelli manteve a ponta nos primeiros metros, mas logo cedeu o comando para Tatsuki Suzuki, seu companheiro de SIC 58. O nipônico chegou a abrir uma boa vantagem na ponta, mas acabou caçado por Canet e Andrea Migno, que fez uma boa prova de recuperação.
Arón Canet venceu o GP das Américas de Moto3 (Foto: MAX Racing)
🏍️ Confira a classificação do Mundial de Moto3 após o GP das Américas

Migno conseguiu deixar Canet para trás e herdou a ponta quando, com cinco voltas para o fim, Suzuki caiu e abandonou. Arón, então, foi ao ataque e, mesmo com um final bastante intenso, conseguiu se isolar da disputa que acontecia atrás para cruzar a linha de chegada com 0s909 de margem para Jaume Masià, que ficou em segundo.
 
Migno, então, acabou com o terceiro posto, com Gabriel Rodrigo ficando a 0s027 do pódio. Foi o primeiro top-3 dominado pela KTM desde  a etapa de Le Mans do ano passado. Antonelli acabou apenas em quinto, seguido por Tony Arbolino, Raúl Fernández e Alonso López. Celestino Vietti e Dennis Foggia completam o top-10.

Com o resultado deste domingo, Masià lidera a classificação do Mundial empatado em 45 pontos com Canet. Lorenzo Dalla Porta aparece em terceiro, com os mesmos 32 pontos de Antonelli, o quarto. Kaito Toba, que era o líder da Moto3 antes de sofrer uma queda neste domingo, caiu para o quinto posto.
 
Resultado de imagem para emoji microfonePaddockast #14: O melhor piloto de MotoGP de todos os tempos



 Ouça no Spotify
 Ouça no iTunes
 Ouça no Android
 Ouça no playerFM

Saiba como foi o GP das Américas de Moto3:
 
Depois de um sábado que foi tumultuado pela chuva, o domingo amanheceu com sol em Austin, apesar das temperaturas mais baixas. Na hora da largada da Moto3, os termômetros marcavam 15°C, com o asfalto alcançando 24°C.
 
Pela sexta vez nos 121 GPs da carreira, Niccolò Antonelli tinha a pole, a terceira seguida da Honda em Austin na Moto3. Melhor KTM no grid, Raúl Fernández tinha o segundo posto à frente de Gabriel Rodrigo.
 
Vencedor na Argentina, Jaume Masià abre a segunda fila da grelha, seguido por Darryn Binder e Arón Canet. Único do grid atual com vitória em Austin, Romano Fenati tem o 12º no grid de seu centésimo GP.
 
Para a prova deste fim de semana, a Dunlop manteve a mesma alocação de pneus de Losail e Termas de Río Hondo e levou para o Texas os pneus M e S.
 
Luzes apagadas e largada autorizada em Austin. Antonelli tentou manter a primeira colocação do pelotão, mas não contava com o belo bote de Fernandéz, que já na primeira curva assumia a ponta. Entretanto, alguns metros mais para frente, Niccolò reassumia a liderança.
 
O começo da corrida começou bastante agitado. Antonelli vinha em primeiro, enquanto Raul e Gabriel Rodrigo disputavam a segunda colocação, com o #19 levando a melhor. López e Binder completavam o top-5.
 
Can Öncü já levou a pior ainda no início da disputa. Na abertura da segunda volta, o titular da KTM Ajo acabou registrando a primeira queda do dia, abandonando a prova norte-americana.
 
Mas na ponta do pelotão, as coisas continuavam bastante movimentada. Em um golpe certeiro, o argentino Rodrigo conseguiu superar Antonelli para se tornar o novo líder do momento. Mas Niccolò não se dava por vencido, dando fortes investidas e conseguindo consumar a ultrapassagem.
 
O grupo da ponta contava com cerca de seis pilotos, que disputavam ferozmente as primeiras colocações. Antonelli tentava se proteger dos ataques de Rodrigo. Enquanto isso, Darryn, terceiro, cometeu um erro, mas conseguiu manter a boa colocação.
 
Então, de forma inesperada, a corrida testemunhava um novo piloto na liderança. Saltando do quarto posto, López tratou de se catapultar para primeiro, com Rodrigo, Binder, Antonelli e Suzuki fechando o top-5.
 
Mais uma nova mudança na ponteira de Austin. Suzuki tratou de saltar para o primeiro ponto, enquanto Binder o seguia de perto. López, Antonelli, Rodrigo, Canet, Kornfeil, Fernandéz, Migno e Dalla Porta completavam a lista dos dez primeiros.
 
Suzuki começava a abrir cada vez mais vantagem para Canet, o segundo colocado. Com dez voltas para o final, o japonês tinha um respiro de 1s1. Enquanto isso, Darryn seguia a dupla de perto precisando segurar as investidas de Migno, o quarto.
 
Restavam oito voltas para a bandeira quadriculada e Suzuki já sustentava bela folga na ponta. Canet, Migno, Rodrigo e López vinham logo na sequência.
 
Quem fazia prova de recuperação era Fenati. Depois de largar em 12º, fez largada ruim e caiu para o fim do pelotão. Agora, neste ponto da prova aparecia na oitava colocação. Mas foi só falar que o piloto acabou se envolvendo em um incidente com Kornfeil e foi ao chão.
Na reta final, Canet quase zerou a diferença para o japonês ponteiro, com Migno acompanhando o #44. Ainda restavam cinco voltas para a bandeira quadriculada, deixando tempo para a dupla de pilotos. Até que, em belo ataque, o #16 assumiu o segundo posto.
 
Então, em uma reviravolta totalmente inesperada, Suzuki acabou vítima das condições da pista. Na curva 7, o piloto foi ao chão, indo para a área de escape da pista e, decepcionado, sequer tentou voltar para a corrida. Migno herdou a liderança.
Com três giros restantes, as coisas seguiam abertas nos Estados Unidos. Após largar da quinta fila, Migno liderava a disputa, mas tinha que lidar com a constante pressão de Canet. Enquanto isso, López completava o pódio do momento.
 
Na curva 1, na abertura da volta 15, Canet deu o bote em cima de Andrea e enfim conseguiu surgir em primeiro. Logo o piloto abriu um respiro de pouco mais de 0s1 para o adversário. Então, nessa mesma briga, Rodrigo também apareceu para se colocar em segundo, jogando o #16 para terceiro.

Na última volta, as coisas ainda estavam totalmente abertas em Austin. Canet, que estava em primeiro, precisou segurar os ataques de Migno e Rodrigo. Então, Masià também apareceu na disputa, se enfiando em terceiro e, nos últimos metros, cruzando a linha de chegada em segundo, com Migno em terceiro e completando o pódio. Rodrigo e Antonelli fechavam o top-5.

Moto3 2019, GP das Américas, Austin, Final:

1 A CANET MAX KTM 39:06.761 18 voltas
2 J MASIÀ Worldwide KTM +0.909  
3 A MIGNO Worldwide KTM +1.077  
4 G RODRIGO RBA KTM +1.104  
5 N ANTONELLI SIC58 Honda +1.187  
6 T ARBOLINO Snipers Honda +1.322  
7 R FERNANDEZ Ángel Nieto KTM +1.418  
8 A LÓPEZ Estrella Galicia 0,0 Honda +1.596  
9 C VIETTI VR46 KTM +1.735  
10 D FOGGIA VR46 KTM +7.876  
11 A OGURA Asia Honda +8.020  
12 M RAMÍREZ Leopard Honda +8.644  
13 L DALLA PORTA Leopard Honda +8.779  
14 J MCPHEE SIC HONDA +8.780  
15 D BINDER CIP KTM +9.369  
16 K MASAKI RBA KTM +25.290  
17 V PEREZ Avintia KTM +33.964  
18 M YURCHENKO RBA KTM +34.165  
19 S GARCIA Estrella Galicia 0,0 Honda +34.462  
20 F SALAC Prüstel KTM +34.590  
21 R ROSSI Gresini Honda +50.739  
  A SASAKI SIC HONDA NC  
  A VIU Ángel Nieto KTM NC  
  T SUZUKI SIC58 Honda NC  
  T BOOTH-AMOS CIP KTM NC  
  R FENATI Snipers Honda NC  
  J KORNFEIL Prüstel KTM NC  
  K TOBA Asia Honda NC  
  C ÖNCÜ Red Bull KTM Ajo NC  
         
VMR A LÓPEZ Estrella Galicia 0,0 Honda 2:16.931 144.9 km/h
REC A CANET Estrella Galicia 0,0 Honda 2:15.583 146.3 km/h
MV A CANET Estrella Galicia 0,0 Honda 2:14.644 147.4 km/h
         
  Condições do tempo PISTA SECA   ar: 15ºC | pista: 27ºC