Chefe da Aprilia, Gresini perde luta contra Covid-19 e morre aos 60 anos

Ex-piloto e chefe da Aprilia, Fausto Gresini morreu após cerca de dois meses de luta contra a Covid-19 no Hospital Maggiore, em Bolonha

A Covid-19 fez mais uma vítima no mundo do esporte a motor. Após cerca de dois meses internado na Itália, Fausto Gresini não resistiu e morreu aos 60 anos após complicações do quadro de coronavírus. A notícia foi confirmada na manhã desta terça-feira (23) nas redes sociais da equipe.

Gresini foi diagnosticado com Covid-19 no fim de dezembro, mais precisamente no dia 27, quase dois meses atrás. Inicialmente, o chefe da Aprilia foi internado no Hospital Santa Maria della Scaletta, em Ímola, mas depois, com o agravamento do seu estado de saúde, foi transferido para Bolonha, onde seguia internado na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Maggiore Carlo Alberto Pizzardi.

O quadro de Gresini havia piorado ainda mais nos últimos dias e as notícias foram se desencontrando. Na segunda-feira (22), por exemplo, a equipe teve de desmentir a notícia de que Fausto havia morrido, dada por diversos veículos pelo mundo.

Gresini chegou a melhorar no começo de fevereiro, o que levou a equipe médica até mesmo a considerar a saída da UTI do Hospital Maggiore. Em questão de dias, porém, tudo mudou.

Fausto deixa a esposa, Nádia, e os filhos Lorenzo, Luca, Alice e Agnese.

Fausto Gresini morreu vítima da Covid-19 (Foto: Gresini)

Nascido em Ímola em 23 de janeiro de 1961, Fausto teve uma sólida carreira como piloto nas 125cc, mas deixou sua marca também nos bastidores, comandando equipes em Moto3, Moto2, MotoGP e MotoE.

Fausto chegou ao Mundial de Motovelocidade em 1983, defendendo as cores da MBA nas 125cc. No primeiro, conseguiu um pódio ― um segundo lugar no GP da Suécia ― e uma pole, fechando o campeonato com o nono posto. No ano seguinte, veio a primeira vitória ― na mesma pista de Anderstorp ― e o terceiro lugar na disputa.

Após anos como piloto, o nome Gresini voltou ao Mundial em 1997, mas agora em outra função: a de equipe. Hoje nas quatro classes do campeonato promovido pela espanhola Dorna ― já que abriga a Aprilia na MotoGP ―, o time acolheu pilotos memoráveis, como Daijiro Kato, Sete Gibernau, Marco Melandri, Loris Capirossi, Alex Barros e Marco Simoncelli.

Como chefe de equipe, Fausto conquistou quatro títulos de pilotos ― em 2001, foi campeão com Kato nas 250cc; em 2010, venceu com Toni Elías na Moto2; em 2018, Jorge Martín levou a taça da Moto3; e em 2019, foi Matteo Ferrari quem conseguiu a vitória na MotoE ― e um de equipes ― na Moto3 em 2018. Além disso, foi vice-campeão três vezes seguidas entre 2003 e 2005, primeiro com Sete Gibernau e, por último, com Marco Melandri, e em 2018, com Fabio Di Giannantonio na Moto3.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar