MotoGP

Chefe da MotoGP avalia que divisão de receitas “diferente da F1” garante competitividade de equipes privadas

Diretor-executivo da Dorna, Carmelo Ezpeleta avaliou que o sistema de divisão de receitas do Mundial de Motovelocidade assegura a competitividade das equipes menores. Dirigente ressaltou que o modelo é diferente daquele adotado na F1

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Diretor-executivo da Dorna, Carmelo Ezpeleta avaliou que o modelo de financiamento da MotoGP dá resultados melhores do que o utilizado na F1. Ao contrário da principal categoria do automobilismo, a classe das duas rodas repassa a maior parte de seus recursos para os times satélites.
 
Em entrevista à publicação francesa ‘Auto Hebdo’, Ezpeleta lembrou que os acordos comerciais não beneficiam apenas a Dorna, mas ressaltou que as equipes privadas recebem mais recursos do que as estruturas de fábrica.
Carmelo Ezpeleta avaliou que divisão de recursos garante competitividade das equipes menores (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Atual dono da F1, o Liberty Media ainda negocia um novo Pacto da Concórdia para entrar em vigor em 2021, mas é um pedido recorrente das equipes, especialmente das menores, uma distribuição mais igualitária dos recursos.
 
“Nossos acordos comerciais beneficiam tanto a Dorna quanto os times”, disse Ezpeleta. “Nosso sistema é diferente do que é feito na F1, já que damos mais dinheiro às equipes privadas do que aos times oficiais”, continuou.
 
“Essas equipes têm direito a apoio financeiro se decidirem fornecer uma moto para uma equipe privada. Nós encontramos algumas soluções para permitir que os times privados possam competir”, frisou.
 
Ainda, o dirigente considerou que o sucesso da MotoGP é resultado do foco no trabalho do lado humano.
 
“Nós assumimos que somos, em primeiro lugar, um esporte, e achamos que o elemento mais importante é o lado humano”, comentou. “A MotoGP é o melhor show de motocicletas do mundo, pois reunimos os melhores pilotos. Nossa meta é dar a eles uma estrutura que garanta as melhores oportunidades para que eles expressem seu talento”, sublinhou.
 
“Se a MotoGP é atrativa, é por isso”, concluiu.