carregando
MotoGP

Chefe da SIC diz que conversas por Rossi em 2021 começaram: “Mas nada fechado ainda”

Razlan Razali afirmou que Valentino Rossi na SIC é possível, mas ainda depende de série de acertos - principalmente em relação a patrocinadores e estrutura da equipe

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Desde que a Yamaha anunciou Fabio Quartararo como companheiro de Maverick Viñales para 2021, Valentino Rossi precisa decidir seu futuro. Fica na MotoGP? Se sim, em que equipe?

A alternativa óbvia é a SIC, equipe satélite da Yamaha, e o próprio Rossi já afirmou que não deseja mudança de fábrica na categoria. Portanto, era questão de tempo para que negociações fossem abertas.

Agora, de fato, elas começaram. Segundo Razlan Razali, chefe da SIC, as conversas já tiveram início e o próximo passo é discutir detalhes como patrocinadores e estrutura.

"Já sabemos a proposta da Yamaha. Agora temos que sentar com todas as partes e lidar com detalhes. Nada foi fechado ainda. Até aqui analisamos problemas técnicos. Não podemos esquecer que Valentino precisa ser compatível com nossos patrocinadores. Temos que equilibrar o custo de tê-lo por uma temporada com o que podemos conseguir em retorno, seja em desempenho na pista ou em resultados", comentou o dirigente ao 'Motorsport'.

"Está claro que tal mudança iria nos beneficiar em termos de exposição, e que ter Valentino é de grande valor. No momento tudo parece bom, mas temos que analisar os detalhes", seguiu. 
Valentino Rossi (Foto: Yamaha)
Paddockast #59
DUPLA IMPLACÁVEL: Daniel Serra e Ricardo Maurício


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Na questão estrutural da equipe, segundo Razali, o ponto é o que Rossi levaria com ele da Yamaha: "Normalmente, quando um piloto vem do time de fábrica ele traz os equipamentos com que se sente confortável. Estamos de acordo com isso, porque não queremos negar aos mecânicos e ténicos que ele escolher a chance de brigar por um título."

"Deixamos claro para a Yamaha que temos nossa equipe técnica e que preferimos não desmontar nossa estrutura. Claro que dois ou três membros do time de Rossi se juntariam a ele, mas temos que conversar", finalizou.


 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.