Chuva espanta pilotos novamente, e melhor tempo do 2° treino livre em Misano fica com Abraham

Karel Abraham aproveitou um raro momento sem chuva no segundo treino livre da MotoGP para cravar a melhor marca da sessão da tarde. O tempo ruim novamente prejudicou o trabalho das equipes

O mau tempo em Misano continuou na tarde desta sexta-feira (14) e prejudicou o trabalho de equipes e pilotos. Jorge Lorenzo, líder do campeonato, sequer deixou os boxes. E o exemplo do espanhol foi seguido por boa parte do grid. Entre os que decidiram arriscar, Karel Abraham acabou marcando o tempo mais rápido da sessão, com 1min42s030. O tcheco conseguiu a marca em um raro momento sem chuva na pista italiana. A segunda posição ficou com a moto CRT de James Ellison. Michele Pirro foi o terceiro, à frente de Yonny Hernandez e Jonathan Rea. 
 

Abraham foi o mais rápido no segundo teste em Misano (Foto: MotoGP)

Confira como foi o segundo treino livre da MotoGP nesta sexta-feira

A garoa e o frio não deram trégua no início da tarde em Misano, e as condições da pista estavam realmente instáveis quando a segunda sessão do dia começou. Assim como acontecera pela manhã, os pilotos demoraram a sair dos boxes. Primeiramente, os competidores de CRT foram à pista, sob o comando de Danilo Petrucci, que já havia sido o mais rápido no primeiro treino.

Em seguida, David Salom, James Ellison, Mattia Pasini e Michele Pirro também resolveram dar inícios aos trabalhos. Entre os pilotos de fábrica, Ben Spies foi o primeiro a sair e a fazer volta cronometrada. Álvaro Bautista, Andrea Dovizioso e Dani Pedrosa também saíram, mas apenas para voltas de instalação.

Enquanto isso, Yonny Hernandez, em sua segunda volta rápida, sofria uma queda na primeira curva, mas sem gravidade. Na tabela de tempos, a liderança pertencia a Salom, com 1min48s249. Mas logo Spies cravou 1min46s471 e foi para primeiro. Ficou pouco tempo. Ellison apareceu com 1min45s997 e tomou a ponta do norte-americano da Yamaha. Aí o estreante e substituto de Casey Stoner, virou 1min45s841 e pulou para frente. 

Mas a marca do piloto da Honda logo seria superada. E quem a bateu foi Ellison novamente, com 1min43s204. A liderança de James durou apenas três minutos. Karel Abraham, em sua quarta volta, já conseguia 1min42s030, para assumir o comando das ações. Aí a garoa fina deu lugar a uma chuva mais forte, o que prendeu por mais alguns momentos os pilotos nos boxes, como Jorge Lorenzo, que aproveitou para conversa com Giacomo Agostini  nos pits da Yamaha.
 

De volta após lesão, Hayden não deixou os boxes da Ducati nesta sexta (Foto: MotoGP)

Quando as condições melhoraram um pouco mais, Petrucci, Hernandez, Valentino Rossi, Rea e Spies voltaram à pista. Mas, de novo, apenas voltas de apresentação. E o tempo não melhorava. E Abraham continuava líder, com Ellison em segundo, a 1s1 do tcheco. Pirro, Hernandez, Rea, Petrucci, Salom, Spies, Randy de Puniet e Pasini completavam os dez primeiros.

Repetindo a primeira sessão, os cinco minutos finais viram alguma movimentação, com alguns pilotos tentando ainda melhorar suas marcas, mas o tempo ruim não permitiu. E o treino finalizou mesmo com Karel Abraham na frente. Com a previsão de sol e tempo seco para sábado e domingo, os dois postulantes ao título, o líder do campeonato, Lorenzo, optou por não sair dos boxes. 

O terceiro treino livre acontece neste sábado, 10h10 na hora local, 5h pelo horário de Brasília. O Grande Prêmio acompanha ‘in loco’ o GP de San Marino e da Riviera di Rimini neste final de semana, com a jornalista Evelyn Guimarães. Acompanhe a cobertura aqui.  

MotoGP, GP de San Marino e da Riviera di Rimini, treino livre 2:
 

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube