Chuva não atrapalha, e Márquez faz história com 13 vitórias na temporada 2014. 2º, Rossi confirma vice na MotoGP

Controlando todos os elementos, Marc Márquez fez uma bela prova para conquistar seu 13º triunfo na MotoGP e estabelecer um novo recorde de vitórias na classe rainha do Mundial de Motovelocidade. Confirmando renascimento, Valentino Rossi selou o vice-campeonato com um segundo lugar em Valência

A cobertura completa do GP da Comunidade Valenciana no GRANDE PRÊMIO
icone_TV Automobilismo na TV: a programação do fim de semana

Marc Márquez voltou a fazer história. Nem mesmo a chuva intermitente que atingiu Valência neste domingo (9) foi capaz de impedir o titular da Honda de chegar ao 13º triunfo da temporada 2014. Com o resultado, o piloto de Cervera supera Mick Doohan e se torna o piloto com mais triunfos em uma única temporada da classe rainha. 

Além da marca de Doohan, o espanhol também igualou Casey Stoner e Jim Redman no número de vitórias no Mundial de Motovelocidade: 45 (19 na MotoGP, 16 na Moto2 e dez nas 125cc).
Andrea Iannone, Valentino Rossi e Marc Márquez brigaram pela ponta no início da corrida (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
A classificação final do Mundial de MotoGP

Mostrando um bom ritmo neste domingo, Valentino Rossi se mostrou bastante combativo na parte inicial da disputa, mas não teve como acompanhar Márquez e sua RC213V. O piloto da Yamaha chegou a reduzir o atraso para o espanhol em alguns momentos, mas não o bastante para ameaçar a vitória.

 
Mesmo assim, Rossi sai de Valência com muito o que comemorar. Com o resultado, o piloto de Tavullia garantiu, aos 35 anos, o vice-campeonato de 2014.
 
Dani Pedrosa até fez parecer que pressionaria Márquez pela vitória, mas detonou o pneu traseiro enquanto perseguia Valentino e acabou em terceiro, mais de 10s segundos atrás do #46.
 
Na volta final em Valência, Andrea Dovizioso conseguiu bater Cal Crutchlow por 0s068 e ficou com o quarto lugar. Mais atrás, Pol Espargaró superou o irmão, Aleix, e garantiu o sexto posto.
 
Stefan Bradl fecha seu ciclo com a LCR na oitava colocação, tendo corrido isolado em boa parte da disputa. Piloto de testes da Ducati, Michele Pirro aparece em nono, com Scott Redding fechando a lista dos dez melhores.
Brigando pelo vice-campeonato com Rossi, Jorge Lorenzo teve uma prova para esquecer. O espanhol decidiu entrar nos boxes para pegar a moto reserva em uma das aparições especiais da chuva. A aposta não compensou e o piloto destruiu os pneus de pista molhada no asfalto seco.
 
Assim, Jorge, que não tinha mais qualquer opção na corrida, decidiu se retirar da disputa e ficou com o terceiro posto no Mundial.
 
A prova de reestreia da Suzuki também não foi nenhum grande sucesso. Ainda na primeira parte da corrida, Randy de Puniet levou a GSX-RR de volta para os boxes e de lá não mais saiu. 
 

As imagens exclusivas deste domingo em Valência
#GALERIA(5142)

Saiba como foi o GP da Comunidade Valenciana de MotoGP:
 
Pela 50ª vez na categoria rainha do Mundial de Motovelocidade, Valentino Rossi saiu na pole. A primeira posição em Valência marca o retorno do italiano à ponta do grid depois de mais de quatro anos de ausência — a última vez em que o piloto da Yamaha puxou a fila tinha sido no GP da França de 2010. 
 
Em suas outras 49 poles, Rossi conseguiu 33 vitórias e terminou no pódio em 44 ocasiões. Com o resultado, o italiano se torna o mais velho a conquistar a posição de honra no grid desde que Jeremy McWilliams faturou a pole no GP da Austrália de 2002.
 
Ainda se recuperando de lesão, Andrea Iannone conquistou o segundo posto no grid — sua quinta vez na primeira fila em 2014. 
 
Vindo de uma sequência ruim, Dani Pedrosa, que soma três vitórias em Valência na classe rainha, aparece em terceiro, à frente de Jorge Lorenzo, que perdeu a vaga na primeira linha do grid nos instantes finais da classificação. 
Valentino Rossi garantiu o vice-campeonato (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Marc Márquez sofreu uma queda no treino que definiu o grid e vai sair em quinto, seu pior grid no ano. Todas as 18 vitórias do espanhol na MotoGP foram conquistadas a partir da primeira fila do grid. 
 
Ainda se recuperando de uma fratura no pé, Pol Espargaró garantiu o sexto posto de largada, à frente de Bradley Smith. Em seu adeus à Ducati, Cal Crutchlow larga em oitavo, com Andrea Dovizioso e Stefan Bradl fechando o top-10. Presenteado com a estreia da GSR-RR, Randy de Puniet colocou a Suzuki no 20º posto do grid.
 
A caminho do grid de Valência, Marc Márquez viu que algumas crianças o esperavam e teve tempo para posar para fotos, inclusive com uma das crianças no colo. 
 
Para a prova deste fim de semana, a Bridgestone levou para Valência dois tipos de pneus macios — simétrico e assimétrico — e os extramacios. Para a traseira, os times de fábrica podiam escolher entre a borracha dura e a média, com aqueles que obedecem ao regulamento Aberto, mais Ducati e Suzuki, tendo os médios e macios à disposição. 
 
Com o título já definido em favor de Márquez, que alinhou no grid com um capacete dourado comemorativo, a grande atração da corrida em Valência era a disputa de Rossi e Lorenzo pelo vice-campeonato O italiano tinha 12 pontos de vantagem na disputa.
Pouco antes da largada, uma enorme nuvem negra cobria o céu de Valência. A chance de chuva era uma realidade.
Andrea Iannone começou bem, mas não contabilizou com a aposta na chuva (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Em termos de escolha de pneus, apenas dos dois pilotos da Tech3, Álvaro Bautista e Andrea Iannone apostaram no pneu dianteiro macio assimétrico. As duplas de Honda e Yamaha escolheram a borracha branca simétrica. Na traseira, os compostos médios eram a opção mais popular. De Puniet, por outro lado, apostou em um par de pneus macios.
Para a última das 18 provas da temporada, 101 mil pessoas lotaram o circuito que recebe o nome do piloto Ricardo Tormo, que morreu vítima de leucemia em 1998.
 
Na largada, Iannone saiu muito bem e tomou a ponta, à frente de Rossi, Márquez, Lorenzo, Pedrosa, Smith, Pol e Crutchlow. Dani tentou passar Jorge, mas o piloto da Yamaha conseguiu se manter na frente.
 
Enquanto perseguia Iannone, Rossi já tinha Márquez colado na traseira. O espanhol, por sua vez, era perseguido por Lorenzo.
 
Na abertura do segundo giro, Pedrosa passou Lorenzo, que deu o troco imediatamente. Crutchlow aparecia em sexto, seguido por Dovizioso.
 
Mais uma vez, Pedrosa passou Lorenzo e assumiu o quinto posto. Cal passou Jorge, que deu o troco.
 
Ainda na segunda volta, os fiscais exibiram bandeiras brancas pela pista, sinalizando que os pilotos podiam trocar de motos caso desejassem. A chuva começava a apertar em Valência e os times precisavam correr para preparar as motos para a configuração de chuva.
 
Iannone permanecia na ponta e ia escapando de Rossi. Márquez, por sua vez, já tinha mais de 1s de atraso para o italiano da Yamaha. Pedrosa era o quarto, à frente de Crutchlow, Dovizioso e Lorenzo.
 
No setor intermediário da pista de Valência, a chuva era bem forte, mas as motos ainda não estavam prontas. Os times começaram a corrida com a moto reserva na configuração de pista seca e precisam mudar tudo, inclusive os discos de freio. 
 
Iannone ia escapando na ponta, abrindo 1s806 de vantagem para Rossi. Márquez vinha 1s132 atrás de Rossi, com Crutchlow 0s530 atrás. Pedrosa tinha passado Dovizioso e pressionava Cal.
 
A chuva não demorou a parar em Valência e os pilotos voltaram a apertar o ritmo. Rossi, por exemplo, voltou a diminuir o atraso em relação à Iannone, que rodava com um pneu dianteiro macio assimétrico contra o simétrico do multicampeão. 
 
Rodando sozinho na ponta, Iannone vinha fazendo um belo trabalho. O italiano ainda não está completamente em forma após o acidente que o manteve fora do GP da Malásia. 
 
Mais atrás, Pedrosa passou Crutchlow pelo quarto posto e agora tinha Márquez como próximo alvo. O espanhol da moto #26 precisava desesperadamente de um bom resultado. 
 
Com um bom ritmo, Rossi conseguiu reduzir ligeiramente a vantagem de Iannone, mas o piloto da Pramac tinha mais de 1s2 de vantagem.
 
Mais atrás, Dovizioso pegou Crutchlow e não demorou a passar. Uma bela manobra do italiano. 
 
Ao mesmo tempo em que Rossi tentava chegar em Iannone, Márquez ia diminuído a diferença para Valentino. Pedrosa, por sua vez, também vinha chegando mais perto.
 
Depois de ser batido por Dovizioso, Crutchlow também foi ultrapassado por Lorenzo, que subiu para sexto. O espanhol fechou o sábado bastante irritado com Rossi, que se aproveitou do vácuo do companheiro de equipe para cravar a 50ª pole da carreira na categoria rainha do Mundial.
 
Com a melhor volta da corrida, Márquez vinha reduzindo bem a vantagem de Rossi, que estava quase igualmente distante de Andrea. Pobre Iannone. Seria ele engolido a qualquer momento?
 
Com mais ritmo, Márquez vinha se aproximando de Rossi mais rapidamente, mas o italiano não ficava parado e tratava de ir para cima do piloto #29.
Dani Pedrosa não conseguiu acompanhar Rossi (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Mais atrás, Lorenzo teve de suar para deixar Dovizioso para trás, mas conseguiu passar para assumir o quinto lugar, 1s511 atrás de Pedrosa, o quarto.
 
Perseguindo Rossi, Márquez errou na curva nove e abriu demais a trajetória, se afastando de Valentino. Isso, no entanto, não impediu o bicampeão de colar no italiano segundos mais tarde.
 
Pouco depois, o top-3 estava separado por 0s367. Bem nos freios, Márquez passou Rossi por dentro e subiu para segundo. Pouco depois, Marc freou mais tarde e deixou Iannone para trás, mas o italiano conseguiu dar o troco. Rossi chegou junto, voltando a briga.
 
Márquez insistiu e conseguiu tirar a ponta de Iannone. O piloto da Pramac, que já venceu o astro da Honda na Moto2, não perdeu contato e seguiu vivo na briga.
 
Rossi vinha colado em Iannone, mas agora já tinha Pedrosa pressionando atrás. O piloto da Honda tinha mais ritmo que Valentino. 
 
Uma vez na ponta, Márquez passou a abrir vantagem, enquanto Rossi ainda buscava um ponto para passar Iannone. Na curva seis, o experiente italiano passou por dentro, mas já tinha 1s012 de atraso para Marc.
 
Sem muita demora, Pedrosa também deixou Iannone para trás e assumiu o terceiro posto. Lorenzo vinha em quinto, 1s098 atrás do piloto da Pramac. Dovizioso era o sexto, seguido por Crutchlow, Smith, Pol e Aleix Espargaró. 
 
Restando 18 voltas para o fim, Valentino tentava reduzir o atraso em relação a Márquez e já se afastava um pouco de Pedrosa. O espanhol, no entanto, conseguiu subir o ritmo e voltou a se aproximar.
 
Ainda nesse giro, Randy de Puniet abandonou a disputa que marca o retorno da Suzuki ao Mundial de MotoGP.
 
Como vem acontecendo nas últimas corridas, o ritmo de Rossi melhorou na parte intermediária da corrida, quando ele começou a registrar seus melhores tempos de volta. Ainda assim, Pedrosa seguia colado.
 
Mais atrás, Lorenzo já pressionava Iannone pelo quarto posto. O titular da Pramac já tinha 2s213 de atraso para Pedrosa. O espanhol precisou insistir, mas encontrou uma porta para passar e se acomodar no quarto lugar.
 
Lá na frente, a diferença de Márquez para Rossi seguiria variando, às vezes para mais, às vezes para menos. Pedrosa seguia na mesma balada, mais perto e mais longe de Valentino. 
 
Com bom ritmo, Pedrosa intensificou a pressão me Rossi, que ia conseguindo escapar.
 
Depois de um belo início de prova, Iannone escapou da pista na curva 13, caindo para sétimo, atrás de Dovizioso e Crutchlow.
 
Restando 14 voltas para o fim, Márquez já tinha 2s162 de vantagem para Rossi, que seguia sob ataque de Pedrosa. Se quisesse brigar pela vitória, Dani precisava se mexer rapidamente.
 
Além da briga entre #46 e #26, as coisas no pelotão intermediário também estavam esquentado, com Dovizioso, Crutchlow e Iannone brigando pela quinta colocação. Inicialmente, Cal tinha vantagem.
Pol Espargaró venceu o irmão Aleix em Valência (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Com 13 giros para o fim, a chuva que movimentou o início de prova voltou a aparecer. Se aumentasse, as coisas esquentariam mais uma vez.
 
A dupla da Ducati chegou em Lorenzo e Cal conseguiu passar. Na sequência, Dovizioso tomou a frente, deixando Jorge cair para sexto. O bicampeão da Yamaha nunca fica muito confortável quando as condições mudam.
 
Com a variação climática, a diferença de Márquez para Rossi caiu pata 0s744. O atraso de Pedrosa em relação ao italiano subiu consideravelmente.
 
Na 19ª volta, Lorenzo e Iannone foram juntos aos pits para pegar a moto reserva preparada para chuva. Se os demais tivessem que trocar, os dois teriam uma boa vantagem.
 
Na frente, Márquez permanecia no comando, agora com 0s921 de vantagem para Rossi. Pedrosa era o terceiro, à frente de Dovizioso, Crutchlow, Aleix e Pol Espargaró, Bradl, Redding e Bautista. Lorenzo aparecia em 18º, com Iannone em 19º.
 
Faltando dez giros para a bandeira quadriculada, a chuva não parecia piorar e Rossi vinha chegando em Márquez. Pedrosa tinha mais de 8s de atraso para o rival da Yamaha.
 
Equipado com compostos de chuva, Lorenzo caiu para 20º após ser ultrapassado por Michael Laverty, que se despede da MotoGP neste fim de semana.
 
No pit-lane, os mecânicos seguiam preparado para novas mudanças climáticas, mas sem chamar ninguém para os boxes. Se a chuva não voltar, Lorenzo e Iannone terão errado feio na aposta climática. 
 
Na ponta, Márquez voltou a abrir em relação a Rossi, mas o italiano vinha empenhado em reduzir o atraso, rodando mais rápido que todos os demais. Terceiro, Pedrosa vinha 10s204 atrás do piloto de Tavullia.
 
Pouco atrás, Dovizioso seguia se defendendo dos ataques de Crutchlow pela quarta colocação. Aleix vinha em sexto, 16s atrás do #35. Pol aparecia atrás do irmão, com Bradl, Pirro e Redding fechando o top-10.
Jorge Lorenzo fez uma corrida para esquecer (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Contratado como piloto de testes da HRC para 2015, Hiroshi Aoyama corria a estreante RC213V-RS, equipada com um motor de válvulas pneumáticas. O nipônico aparecia em 16º, lutando pela posição da frente com Karel Abraham.
 
Na 24ª volta da disputa, a chuva voltou a apertar. Mas sem levar ninguém aos boxes, exceto Lorenzo, que decidiu abandonar a prova. Um fim de semana para esquecer para o #99. Com a falta de chuva, os pneus de pista molhada se desgastaram de mais. 
 
Ainda rodando em segundo, Rossi já tinha mais de 3s de atraso para Márquez, mas seguia com 11s de vantagem para Pedrosa. Um pouco atrás, Crutchlow seguia pressionando Dovizioso, que ia se mantendo à frente. Lembrando que Andrea corre com uma versão atualizada da Desmosedici, o que nçao acontece com Cal.
 
Mesmo com equipamento mais velho, Crutchlow conseguiu passar e subiu para quarto. Mais atrás, Pol passou Aleix pela sétima colocação. 
 
Na parte final da corrida, Márquez seguiu tranquilo para receber a bandeirada à frente de Rossi e Pedrosa. Mais atrás, Dovizioso bateu Crutchlow por 0s068 e ficou com o quarto posto.
 

MotoGP, GP da Comunidade Valenciana, Ricardo Tormo, Final:

 
1
93
MARC MÁRQUEZ
ESP
HONDA
46.39.627
30 voltas
2
46
VALENTINO ROSSI
ITA
YAMAHA
+3.516
 
3
26
DANI PEDROSA
ESP
HONDA
+14.040
 
4
4
ANDREA DOVIZIOSO
ITA
DUCATI
+16.705
 
5
35
CAL CRUTCHLOW
ING
DUCATI
+16.773
 
6
44
POL ESPARGARÓ
ESP
TECH3 YAMAHA
+37.884
 
7
41
ALEIX ESPARGARÓ
ESP
FORWARD
+38.168
 
8
6
STEFAN BRADL
ALE
LCR HONDA
+41.803
 
9
51
MICHELE PIRRO
ITA
DUCATI
+45.710
 
10
45
SCOTT REDDING
ING
GRESINI HONDA
+51.191
 
11
8
HECTOR BARBERÁ
ESP
AVINTIA DUCATI
+56.512
 
12
9
DANILO PETRUCCI
ITA
IODA ART
+57.000
 
13
69
NICKY HAYDEN
EUA
ASPAR HONDA
+57.262
 
14
38
BRADLEY SMITH
ING
TECH3 YAMAHA
+57.517
 
15
7
HIROSHI AOYAMA
JAP
ASPAR HONDA
+58.775
 
16
19
ÁLVARO BAUTISTA
ESP
GRESINI HONDA
+58.864
 
17
17
KAREL ABRAHAM
TCH
AB
+1:02.389
 
18
15
ALEX DE ANGELIS
RSM
FORWARD
+1:15.795
 
19
70
MICHAEL LAVERTY
ING
PAUL BIRD
+1:26.309
 
20
23
BROC PARKES
AUS
PAUL BIRD
+1:37.212
 
21
63
MIKE DI MEGLIO
FRA
AVINTIA
+1 volta
 
22
29
ANDREA IANNONE
ITA
PRAMAC DUCATI
+1 volta
 
 
99
JORGE LORENZO
ESP
YAMAHA
NC
 
 
14
RANDY DE PUNIET
FRA
SUZUKI
NC
 
 
68
YONNY HERNÁNDEZ
COL
PRAMAC DUCATI
NC
 
 
 
 
 
 
 
 
POLE
VALENTINO ROSSI
ITA
YAMAHA
1:30.843
158.7 km/h
VOLTA MAIS RÁPIDA
MARC MÁRQUEZ
ESP
HONDA
1:31.515
157.5 km/h
RECORDE
DANI PEDROSA
ESP
HONDA
1:31.628
157.3 km/h
MELHOR VOLTA
MARC MÁRQUEZ
ESP
HONDA
1:30.237
159.7 km/h
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Condições do tempo
 
PISTA SECA
 
ar: 18ºC | pista: 22ºC

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube