Coluna Wild Card, por Juliana Tesser: A conquista do Oeste

Honda, Yamaha e LCR desembarcaram em Austin nesta semana para uma bateria de testes privados no Circuito das Américas. Traçado norte-americano recebe MotoGP pela primeira vez em abril deste ano

 

O Circuito das Américas recebe nesta semana pela primeira vez os protótipos das duas principais equipes da MotoGP. De olho no circuito estreante, a Honda decidiu agendar um teste privado em Austin e convidou Stefan Bradl para participar da sessão. Por um pedido da Dorna, a promotora do Mundial, a fábrica nipônica aceitou abrir o exercício para as demais escuderias rivais e ganhou a companhia da Yamaha.
 
Após os primeiros testes, o que se sabe é que a pista texana favorece a Honda. Valentino Rossi e Jorge Lorenzo já reconheceram que a melhor aceleração da RC213V vai beneficiar a equipe adversária no estreante traçado e seguem em busca de uma evolução da M1 neste mesmo quesito.
Márquez vem dominando os primeiros testes em Austin (Foto: Repsol)
O destaque absoluto deste início de teste ficou com Marc Márquez. Ainda pegando a mão no protótipo nipônico, o jovem espanhol se mostrou confortável na pista e impôs uma larga vantagem aos rivais nesses primeiros exercícios.
 
Apesar de estreante na categoria, Marc já mostrou a que veio. Reafirmando as expectativas de todos que acompanham o Mundial de Motovelocidade, o espanhol mostrou que vai se adaptar rapidamente e cada treino confirma sua posição entre os quatro grandes da MotoGP.
 
Falando no top-4, é bom ver que Dani Pedrosa conseguiu se manter em boa forma durante as férias. Se o piloto que alinhar a moto 26 no GP do Catar for o mesmo das últimas corridas da temporada, a competitividade de 2013 já ficará garantida somente com a dupla da Honda. 
 
Na Yamaha, o cenário também é bastante positivo. Jorge Lorenzo segue exibindo um ritmo constante e, apesar de ter sido batido por Pedrosa algumas vezes, mostra que tem plenas chances de lutar pelo tricampeonato.
 
A situação de Valentino Rossi também mostra que ele terá condições de brigar pelo pódio. É difícil dizer que o italiano vai lutar pelo título, mas, pessoalmente, não acho nada impossível. Já disse uma vez que a Ducati não matou o multicampeão, e não custa repetir. 
 
Valentino segue sendo o mesmo piloto de antes. Mais velho, é verdade, mas pode ser que isso não mude muita coisa. Como disse o italiano, ele ensinou muitos de seus métodos para essa nova geração de pilotos que domina o top-3, mas Rossi já mostrou que sabe se reinventar. 
 
Quem também vem bem este ano é Stefan Bradl. Agora debaixo das asas da HRC, o germânico deve ter mais condições de mostrar serviço e vai procurar fazer isso rapidamente.
 
Os testes em Austin seguem nesta quinta-feira, mas a Yamaha deve ficar de fora deste dia final de atividades. Afinal de contas, Valentino precisa embarcar para o Brasil para participar do lançamento da Nova Factor Segunda Geração 2014. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube