Com 3 provas para fim do Mundial, Viñales abandona Blusens Avintia: “É um time de segunda divisão”

Maverick Viñales surpreendeu na manhã desta sexta-feira (19) na Malásia ao abandonar a Blusens Avintia com três provas para o fim do Mundial. Espanhol afirmou que time não se esforçou para lutar pelo título de 2012 da Moto3

Maverick Viñales surpreendeu na manhã desta sexta-feira (19) na Malásia ao abandonar a Blusens Avintia com três provas para o fim da temporada. A situação fica ainda inacreditável já que espanhol ainda tem chances matemáticas de conquistar o título de 2012. O piloto justificou sua decisão alegando que a relação com o time foi ficando cada vez pior.

“Não vamos participar desta corrida já que a equipe não cumpriu o acordo que tínhamos”, afirmou.

Há poucas semanas, Viñales havia anunciado a extensão de seu acordo com o time, com o qual subiria para a Moto2 em 2014.

“Você pode assinar o que quiser, mas quando as coisas ficam cada vez piores, você tem de encontrar soluções”, defendeu. 

Viñales não participou do primeiro treino desta sexta-feira na Malásia (Foto: Repsol)
Maverick acusa o time de não ter feito todo o possível na luta pelo título desta temporada. O jovem piloto afirmou que teria disputado as três provas finais se a Blusens Avintia tivesse concordado em liberá-lo do contrato das próximas temporadas, mas decidiu ir embora após a recusa da equipe. 
 
“Desde a metade da temporada, eles não fizeram tudo que podiam”, afirmou. “Estou sempre dando o meu melhor, então eu queria deixar o time depois destas três corridas e ter uma saída limpa, mas não concordam, então hoje eu estou indo para casa.”
 
“É sempre melhor terminar de uma forma positiva, mas se eles querem dificultar, eu vou dificultar também”, considerou. “Eu teria corrido até o fim da temporada se eles tivessem concordado em me liberar no fim do ano.”
 
Viñales encerrou sua lista de acusações afirmando que a Blusens Avintia é uma equipe de segunda divisão. “Não é tanto sobre o apoio, mas eu acho que é um time de segunda divisão – tenho que tentar vencer o Mundial no ano que vem e não acho que poderia fazer isso com este time, então foi por isso que eu tomei essa decisão”, completou. 
 
De acordo com o site espanhol ‘Motocuatro’, Viñales não faz parte dos planos da gigante Repsol para a temporada de 2013. O espanhol foi piloto da empresa nesta temporada, mas a publicação garante que a companhia deve manter o apoio somente para Álex Márquez e Álex Rins entre os pilotos da Moto3. 
 
Em entrevista à emissora espanhola Tele 5, Maverick anunciou a demissão de agente, Ricard Jové, que também é chefe da Blusens Avintia. “Ricard Jové, apesar de ser meu agente, tornou-se parte da equipe, por isso, também não seguirei com ele.”
 
Maverick também mostrou não se preocupar com as consequências de sua atitude. “Se tenho de ficar um ano sem correr, não me importa. Não se perde a magia por ficar um ano sem correr”, filosofou.
 
Segundo a imprensa espanhola, Jové não apresentou a Viñales todas as propostas que o piloto recebeu para a temporada de 2013, incluindo uma oferta da Aspar e uma da Red Bull KTM Ajo. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube