MotoGP

Com duas fraturas, Rossi passa por operação após acidente de moto e está fora do GP de San Marino

A Yamaha confirmou no início da noite desta quinta-feira (31) que Valentino Rossi foi diagnosticado com duas fraturas na perna direita. O italiano se acidentou durante um treino de enduro perto de casa em Tavullia

Warm Up / JULIANA TESSER, de São Paulo

A Yamaha confirmou no início da noite desta quinta-feira (31) que Valentino Rossi foi diagnosticado com duas fraturas na perna direita. O italiano de 38 anos sofreu uma queda enquanto treinava de enduro nas cercanias de Tavullia, sua cidade natal.

Em um comunicado divulgado à 0h10 (19h10 de Brasília), a Yamaha confirmou uma dupla fratura na perna direita do italiano.
 
“Depois de um acidente em um treino de enduro nesta quinta-feira, 31 de agosto, a estrela do Movistar Yamaha MotoGP Valentino Rossi foi diagnosticada com fraturas deslocadas na tíbia e na fíbula de sua perna direita”, diz a nota. “O piloto italiano de 38 anos vai passar por cirurgia assim que possível”, continua.
 
“Um novo boletim médico será emitido na manhã de sexta-feira, 1 de setembro”, completa o texto.
Valentino Rossi sofreu um acidente enquanto treinava de enduro (Foto: Michelin)

Segundo o site ‘Corse di Moto’, Rossi estava treinando em Perchiule, perto de Urbino, e caiu após a perna direita ficar presa em uma pedra. Ainda de acordo com a publicação, o piloto está acompanhado da mãe, Stefania Palma, e do meio irmão, Luca Marini, também piloto no Mundial de Moto2.

Em junho de 2010, Rossi sofreu uma forte queda durante um treino classificatório para a etapa de Mugello da MotoGP e sofreu uma fratura exposta da tíbia direita. Na época com 31 anos, o italiano levou cerca de 40 dias para voltar às pistas.

Em maio passado, Rossi sofreu uma queda na pista do Cross Club Cavallara, em Mondavio, mas apesar de ter sido atingido pela moto às vésperas do GP da Itália, conseguiu suportar o incômodo e disputou todas as provas do ano normalmente.

Uma lesão neste ponto da temporada representa o fim do sonho do décimo título mundial de Rossi em 2017, já que restam apenas seis corridas para o fim do Mundial. A próxima parada do campeonato, inclusive, é no próximo fim de semana em Misano, na segunda corrida de casa do #46 no ano.

No último fim de semana, em Silverstone, Rossi liderou a maior parte da corrida, mas recebeu a bandeirada em terceiro, atrás de Dovizioso e Maverick Viñales. O multicampeão também aproveitou a prova inglesa para se tornar o primeiro piloto a disputar 300 corridas na classe rainha do Mundial de Motovelocidade.

Quarto colocado na classificação da MotoGP, o piloto da Yamaha tem apenas 26 pontos de atraso para Dovizioso, o líder do Mundial.
 
ALONSO COLHE O QUE PLANTA E FICA SEM NOVAS ALTERNATIVAS NA F1 PARA 2018