Contratado pela Honda para 2013, Márquez afirma: “Minha meta é subir tendo conquistado título”

Marc Márquez evita se deixar levar pela emoção de ter assegurado sua estreia na MotoGP com a Honda e defende que meta é conquistar o título da Moto2

Aos 19 anos, Marc Márquez mostra uma incrível maturidade. Contratado pela Honda para ser companheiro de Daniel Pedrosa na temporada de 2012 da MotoGP, o jovem piloto mantém os pés no chão e não se deixa levar para empolgação resultante do anúncio da fábrica nipônica.

Aproveitando o período de férias da Moto2 para se preparar para a segunda parte da temporada, o espanhol negou que a agora certa subida para a MotoGP tenha aumentado a pressão por resultados e garantiu que segue 100% focado na categoria intermediária do Mundial.
 

Márquez será companheiro de Daniel Pedrosa em 2013 (Foto: Repsol)


“Não, e para mim está muito claro onde a minha cabeça deve estar, que é na Moto2”, assegurou. “Você tem de viver com os efeitos de algo assim, porque é normal que as pessoas perguntem, mostrem interesse… isso é bom. Na quinta-feira em Mugello teve um ‘boom’ com a imprensa e eu fiquei um pouco ocupado, mas no final, quando acabou, eu estava focado na Moto2. Minha meta é vencer neste ano para subir tendo conquistado o título”, contou.

Valentino Rossi, um dos grandes expoentes do Mundial de Motovelocidade, destacou como uma das principais qualidades de Marc o fato de ele conseguir vencer mesmo quando não é o mais rápido. No entender do novato, são nestas condições que o piloto precisa saber como extrair o máximo de si.

“É, algumas vezes isso acontece. Pode acontecer de você não estar confortável em um circuito ou que você não seja o mais rápido no fim de semana, mas nesses momentos você tem de dar tudo e apostar as fichas certas”, comentou. “Existem circuitos que são melhores para mim do que outros e GPs onde eu sou mais rápido, mas você tem de tirar 100% de todas as situações.”

Questionado se fica ansioso ao se imaginar vestindo o uniforme da Honda ao lado de pilotos como Daniel Pedrosa, Jorge Lorenzo e Rossi, Marc novamente mostrou cautela e disse que a hora do nervosismo ainda vai chegar.

“Para ser honesto, agora eu não sinto nada. Acho que quando terminarmos a última corrida em Valência e estivermos prestes a testar a moto, aí, sim, eu vou sentir um frio na barriga, mas agora eu estou preocupado com a Moto2”, garantiu. “O próximo ano vai chegar logo.”

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube