Crutchlow encontra janela perfeita na chuva de Silverstone, afasta rivais e fatura pole na MotoGP. Márquez cai e é 5º

Embalado pelo triunfo de Brno, Cal Crutchlow foi impecável no piso encharcado de Silverstone e faturou sua primeira pole na temporada. Valentino Rossi conseguiu pegar o segundo posto, com Maverick Viñales e Dani Pedrosa passando Marc nos instantes finais

O nascimento da pequena Willow fez muito bem a Cal Crutchlow. Embalado pelo triunfo de Brno, o piloto da LCR voltou a brilhar neste sábado (3), desta vez aproveitando um momento perfeito para cravar uma volta voadora e garantir sua primeira pole-position na temporada 2016.
 
Em bom ritmo ao longo de todo o fim de semana, o #35 aproveitou sua terceira volta para cravar 2min19s265 e garantir a posição de honra, na hora destruindo a marca que mantinha Jorge Lorenzo na ponta.
 
Os rivais, então, passaram a tentar roubar a posição do piloto da LCR, mas quem chegou mais perto foi Valentino Rossi, que virou 0s9 mais devagar. Nos instantes finais da sessão, Maverick Viñales tomou para si a última vaga na primeira fila. 
Cal Crutchlow conquistou a pole em Silverstone (Foto: LCR)
Dani Pedrosa também mostrou uma ligeira melhora no piso molhado de Silverstone e tomou de Marc Márquez a ponta da segunda fila. O líder do Mundial sofreu uma queda na Copse nos instantes finais e não conseguiu fazer sua volta final.
 
Eugene Laverty também chamou a atenção na Inglaterra. O norte-irlandês foi o melhor no Q1 e vinha em ritmo de pole em sua volta final, mas sofreu uma queda forte e acabou em sexto, seu melhor grid no ano. 
 
Scott Redding abre a terceira fila, à frente de Andrea Iannone, que não conseguiu repetir a mesma performance dos treinos livres. Jorge Lorenzo vai largar em nono, com Andrea Dovizioso, que também caiu na sessão, completando o top-10.
 

Márquez bate Dovizioso e lidera TL4 movimentado

 
A previsão era mesmo de chuva, mas ela chegou um tiquinho mais cedo do que o esperado. O tempo virou ao fim dos treinos livres e o último treino livre da MotoGP começou com chuva.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

A temperatura estava na casa dos 16°C, com o asfalto apenas dois graus mais quente. Os ventos sopravam a uma velocidade de 5 km/h.
 
Na saída para a pista, Lorenzo calçou a Yamaha com um par de pneus macios, assim como Rossi, a dupla da Honda e Danilo Petrucci. Ao longo do ano, os pilotos de Yamaha tiveram dificuldades em alguns momentos para aquecer a borracha da frente.
 
Com 2min23s615, Petrucci foi o primeiro a aparecer no topo da tabela, à frente de Iannone e Miller. O piloto da Marc VDS não está tendo vida fácil com a lesão que tem na mão, o que dificulta o trabalho na hora da freada.
 
Danilo baixou sua marca, mas viu Iannone ser 0s765 melhor e roubar a ponta. Miller era o terceiro, seguido por Dovizioso, Laverty e Rossi.
 
Petrucci logo reagiu e recuperou a ponta, superando Iannone por 0s068. Logo em seguida, Crutchlow pegou o primeiro lugar, mas foi derrubado para segundo por Andrea, que virou 0s814 melhor. Laverty era agora o terceiro, seguido por Miller.
 
Estreante na MotoGP, Alex Lowes se deu bem o molhado e vinha em 11º, 3s551 atrás do líder, mas à frente de Pol Espargaró, o 13º, seu companheiro de equipe.
 
Ainda com Iannone na ponta, Dovizioso saltou para o segundo posto, à frente de Márquez, Rossi, Petrucci e Crutchlow.
 
No giro seguinte, Márquez saltou para segundo, mas logo perdeu a posição para Crutchlow, que foi 0s342 melhor. Mais atrás, Lowes tinha um impressionante décimo posto.
Valentino Rossi ficou com o segundo posto do grid (Foto: Yamaha)
Rossi também melhorou e passou Dovizioso pela quarta colocação, 1s315 mais lento que Iannone. Lorenzo, por outro lado, vinha em 11º.
 
Pouco depois, Eugene Laverty anotou 2min19s106 e saltou para o terceiro posto. O norte-irlandês vai deixar a MotoGP no fim do ano.
 
Em meados da sessão, Redding caiu na curva 12, a Farm, mas escapou ileso. O que não foi o caso da Ducati da Pramac.
 
Os pilotos, então, partiram para os boxes. Iannone tinha o comando do TL4, com Crutchlow, Laverty, Márquez, Rossi, Dovizioso, Pedrosa, Lorenzo, Pol e Miller completando o top-10.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Pedrosa seguiu trabalhando e saltou para o segundo posto, 0s467 atrás de Iannone, que seguia na ponta. Crutchlow caiu para terceiro, à frente de Laverty, Márquez e Rossi.
 
Nesse ponto da sessão, a chuva já tinha parado, mas o vento era fraco e a temperatura estava baixa, o que não ajudaria no processo de secagem.
 
Na sequência, Pedrosa cravou 2min18s185 e assumiu o comando da sessão, 0s077 melhor que Iannone. Mais atrás, Lorenzo também virou melhor e assumiu o sexto posto, com Lowes aparecendo para se instalar em décimo.
 
Márquez, então, baixou para 2min18s165 e passou o companheiro de equipe por 0s020. Dovizioso dividiu as duas Honda e assumiu a segunda colocação, 0s008 atrás do líder. Iannone era quarto, à frente de Lorenzo.
 
Lowes melhorou de novo e saltou para oitavo, 1s299 atrás do líder, mas caiu uma posição, com Miller passando à frente.
 
Crutchlow apertou o passo e assumiu a ponta da sessão ao anotar 2min17s818, mas logo caiu para segundo, com Dovizioso passando 0s130 melhor. Márquez era o terceiro, à frente de Pedrosa, Iannone, Lorenzo e Rossi.
 
Já com o cronômetro travado no TL4, Márquez pulou para a liderança, 0s010 melhor que Dovizioso, o segundo colocado. Crutchlow ficou em terceiro, à frente de Pedrosa, Iannone, Rossi, Lorenzo, Laverty, Barberá e Miller. Lowes ficou em 12º, 0s843 à frente de Pol.
 
Em casa, Laverty avança ao Q2 acompanhado por Miller
 
Conforme estabelecido pelo resultado combinado dos treinos livres, o Q1 contou com Bradl, Barberá, Petrucci, Bautista, Lowes, Miller, Pol, Laverty, Rabat, Hernández e Baz.
 
Tão logo o cronômetro foi disparado para o Q1, a chuva voltou a cair em Silverstone, o que, de certa forma, facilita a vida dos pilotos, já que a pista não começa a secar.
 
Em casa, Lowes começou bem a sessão, direto no topo da tabela, 0s073 à frente de Baz. Terceiro, Barberá vinha a 0s228 de uma vaga na fase seguinte.
Maverick Viñales fecha primeira fila na Inglaterra (Foto: Suzuki)
Na volta seguinte, Pol tomou a ponta, 0s194 à frente de Petrucci. Baz era o terceiro, seguido por Laverty e Lowes.
 
Logo depois, Bradl teve seu turno na ponta, 0s256 mais rápido que Pol, que caiu para o segundo posto. Miller era agora o terceiro.
 
Em sua quarta volta, Laverty saltou para a ponta, abrindo 0s319 de margem para Bradl. Pol foi parar em terceiro, 0s256 atrás da vaga no Q2.
 
Lowes vinha em um ótimo ritmo, mas perdeu um pouquinho na parcial final. Ainda assim, o gêmeo de Sam saltou para o segundo posto, 0s209 atrás de Eugene e 0s110 à frente de Bradl.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Baz, então, colocou água na cerveja inglesa, já que passou Laverty por 0s244 e derrubou Lowes para terceiro ao assumir o comando da sessão. Pouco depois, foi Miller quem saltou para a ponta, 0s021 melhor que Loris.
 
Nos segundos finais, Laverty cravou 2min18s193 e saltou para a ponta, 0s338 melhor que Miller. Pol subiu para quarto, mas foi derrubado por Petrucci quase que imediatamente.
 
Com a bandeira quadriculada tremulando no circuito inglês, a chuva já era mais forte o que dificultava as chances de melhora. 
 
Assim, Laverty e Miller avançam ao Q2, com Baz saindo em 13º, à frente de Petrucci, Pol, Lowes, Bradl, Barberá, Bautista, Hernández e Rabat.
Crutchlow brilha e é pole em casa
 
Aprovados no Q1, Laverty e Miller se juntaram a Márquez, Viñales, Iannone, Crutchlow, Lorenzo, Redding, Dovizioso, Pedrosa, Aleix e Rossi para a fase final da classificação.
 
Quando o pit-lane foi aberto, a dupla da Yamaha entrou na pista com uma combinação de pneus macios, assim como a Suzuki. Os demais optaram pelo composto extramacio na frente.
 
No início do Q2, o vento tinha aumentado consideravelmente e soprava a uma velocidade de 29 km/h.
 
Quando as voltas foram computadas, o primeiro a ocupar a pole provisória foi Lorenzo, que virou em 2min22s192, 1s199 melhor que Iannone, o segundo colocado. 
 
Ainda nos primeiros minutos da sessão, Jack Miller levou um tombo na Luffield, a 17ª curva. Um incidente nada bom para alguém que já corre lesionado.
 
Na sequência, Viñales pulou para o segundo posto, reduzindo para 0s747 a margem de Lorenzo. 
Alex Lowes faz uma boa estreia na MotoGP (Foto: Tech3)
Pouco depois, Cal passou em 2min19s265 e tomo0u a ponta com incríveis 2s297 de margem para Lorenzo. Dovizioso era o terceiro, à frente de Márquez e Rossi.
 
Com o passar do tempo e a permanência da chuva, as condições de pista iam degradando mais e mais.
 
Pouco depois, Rossi baixou para 2min22s269 e assumiu o terceiro posto, 0s151 à frente de Dovizioso, o quarto. Viñales melhorou instantes depois e se instalou em segundo, sendo batido por Márquez quase que de imediato. Ainda assim, o piloto da Honda tinha mais de 1s5 de atraso para Crutchlow.
 
Rossi, então, fez sua tentativa. Com 2min20s263, o italiano assumiu o segundo lugar, 0s998 atrás de Cal.
 
Com pouco menos de dois minutos, Márquez caiu na Copse, encerrando a sessão. Dovizioso também tinha sucumbido às condições. O italiano corre com um joelho lesionado em um acidente num teste em Misano.
 
Laverty aproveitou sua boa performance e saltou para o quarto posto, uma bela atuação do norte-irlandês. O piloto da Aspar fez uma nova tentativa, mas caiu forte e não conseguiu completar a volta que tinha ritmo de pole.

MotoGP, GP da Grã-Bretanha, Silverstone, Grid de Largada:
 

1 35 CAL CRUTCHLOW ING LCR HONDA 2:19.265  
2 46 VALENTINO ROSSI ITA YAMAHA 2:20.263 +0.998
3 25 MAVERICK VIÑALES ESP SUZUKI 2:20.514 +1.249
4 26 DANI PEDROSA ESP HONDA 2:20.742 +1.477
5 93 MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 2:20.779 +1.514
6 50 EUGENE LAVERTY IRL ASPAR DUCATI 2:20.821 +1.556
7 45 SCOTT REDDING ING PRAMAC DUCATI 2:21.074 +1.809
8 29 ANDREA IANNONE ITA  DUCATI 2:21.446 +2.181
9 99 JORGE LORENZO ESP YAMAHA 2:21.687 +2.422
10 4 ANDREA DOVIZIOSO ITA DUCATI 2:22.420 +3.155
11 41 ALEIX ESPARGARÓ ESP SUZUKI 2:25.285 +6.020
12 43 JACK MILLER AUS MARC VDS HONDA 2:18.531 *+0.338
13 76 LORIS BAZ FRA AVINTIA DUCATI 2:18.552 *+0.359
14 9 DANILO PETRUCCI ITA PRAMAC DUCATI 2:18.657 *+0.464
15 44 POL ESPARGARÓ ESP TECH3 YAMAHA 2:18.871 *+0.678
16 22 ALEX LOWES ING TECH3 YAMAHA 2:18.900 *+0.707
17 6 STEFAN BRADL ALE APRILIA GRESINI 2:19.115 *+0.922
18 8 HECTOR BARBERÁ ESP AVINTIA DUCATI 2:19.125 *+0.932
19 19 ÁLVARO BAUTISTA ESP APRILIA GRESINI 2:20.299 *+2.106
20 68 YONNY HERNÁNDEZ COL ASPAR DUCATI 2:21.255 *+3.062
21 53 TITO RABAT ESP MARC VDS HONDA 2:21.774 *+3.581
             
RECORDE DANI PEDROSA ESP HONDA 2:01.941 174.1 km/h
MELHOR VOLTA MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 2:00.234 176.6 km/h
             
    Condições do tempo   CHUVA   ar: 16ºC | pista: 17ºC
*Diferença em relação ao melhor tempo do Q1
 

#GALERIA(5769)

PADDOCK GP #44 DEBATE VITÓRIAS DE ROSBERG EM SPA E DE RAHAL NO TEXAS

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube