Crutchlow lidera segundo treino livre em Mugello marcado por queda de Viñales. Rossi fica em 12º

Cal Crutchlow apareceu na parte final do segundo treino em Mugello para cravar 1min47s365 e garantir a liderança da MotoGP. 0s161 mais lento, Andrea Dovizioso ficou em segundo, à frente de Jonas Folger. Valentino Rossi fez o 12º tempo, 0s014 à frente de Maverick Viñales, que sofreu uma queda em meados do exercício

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Cal Crutchlow foi o mais rápido na segunda sessão de treinos livres para o GP da Itália de MotoGP. O britânico apareceu na parte final do exercício desta tarde de sexta-feira (2) para cravar 1min47s365 e garantir a melhor marca em Mugello.
 
Depois de uma manhã mais dominada pela Ducati, a sessão da tarde trouxe mais variedade à folha de tempos, com Honda, Ducati e Yamaha garantindo vaga no top-3.
 
0s161 mais lento que Crutchlow, Andrea Dovizioso ficou com o segundo tempo, à frente de Jonas Folger e Johann Zarco. Dani Pedrosa também aproveitou as altas temperaturas da Toscana para ficar com o quinto registro.
Cal Crutchlow ficou com a melhor marca do dia em Mugello (Foto: Michelin)
Héctor Barberá foi 0s345 mais lento que o líder e ficou em sexto, à frente de Álvaro Bautista. Andrea Iannone aparece na sequência, com Michele Pirro e Danilo Petrucci completando o top-10.
 
11º, Jorge Lorenzo ficou a 0s589 do #35 e apenas 0s046 à frente de Valentino Rossi, que lida com suas dores decorrentes de um acidente de motocross. Maverick Viñales levou um tombo na Arrabbiata 2, uma das curvas mais rápidas de Mugello, e acabou em 13º, à frente de um apagado Marc Márquez.

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : ‘pt’
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : ‘inread’
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Saiba como foi o segundo treino da MotoGP em Mugello:
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Em um dia de tempo bom na Toscana, a temperatura só fez aumentar. Quando os pilotos da MotoGP voltaram para a pista nesta tarde, os termômetros apontavam 27°C, com o asfalto chegando a 53°C. A velocidade do vento era de 8 km/h.
 
Quando a pista foi liberada, os pilotos todos deixaram os boxes, com Lorenzo e Pirro sendo os últimos a descer o pit-lane.
 
Com 1min48s900, Petrucci foi o primeiro no topo da tabela, 0s545 à frente de Pirro. Lorenzo aparecia em terceiro, com Dovizioso completando um top-4 da Ducati.
 
No giro seguinte, Viñales saltou para o comando da sessão com 1min48s333, 0s099 mais rápido que Aleix, que colocou a Aprilia no segundo posto. Petrucci era terceiro, à frente de Iannone, Bautista, Zarco e Pirro. Rossi vinha em 13º.
 
Na quarta volta, foi Iannone quem saltou para a liderança ao anotar 1min48s067, 0s035 melhor que Viñales, o segundo. Aleix vinha em terceiro, seguido por Folger, Dovizioso e Bautista.
 
Com pouco menos de dez minutos de sessão, Petrucci teve problemas na Luco, a segunda curva de Mugello e acabou a pé. Pouco depois, Aleix sofreu uma queda na Borgo San Lorenzo, com Lowes caindo instantes mais tarde. O britânico ficou um tempo procurando uma carona para voltar aos boxes.
 
Enquanto isso, Pedrosa tomou a liderança da sessão com 1min48s043, 0s007 melhor que Dovizioso, o dono da segunda marca. Iannone vinha em terceiro, à frente de Viñales e Márquez.
 
O revezamento no topo da tabela continuou com Bautista, que registrou 1min47s908 em sua sexta volta. 0s116 mais lento, Viñales era o segundo. Rossi vinha em 18º.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Testando a carenagem desenvolvida pela Yamaha para compensar a ausência de asas, Viñales sofreu uma queda na Arrabbiata 2, a nona curva de Mugello, uma das mais rápidas do circuito. A YZR-M1 acabou destruída, enquanto Maverick executou uma série de rolamentos na brita. Apesar do susto, o #25 deixou a pista caminhando.
 
Do outro lado dos boxes da Yamaha, Rossi ia tentando contornar suas dores para avançar na tabela. Com 1min48s618, o #46 assumiu o 12º posto, 0s710 mais lento que Bautista, o líder.
Com 25 minutos pela frente, Bautista seguia na liderança da sessão, à frente de Viñales, Pedrosa, Dovizioso, Zarco, Iannone, Márquez, Aleix, Folger e Petrucci. Rossi era 12º.
 
De volta à pista após passar pelos boxes da Ducati, Dovizioso anotou 1min47s864 e passou ao topo da folha de tempos, 0s044 à frente de Bautista. No giro seguinte, Andrea foi ainda mais longe, chegando a 1min47s526 para abrir 0s382 de margem para Álvaro. O #4 tinha um pneu duro na frente da Desmosedici e um médio atrás.
 
Na mesma combinação de calçados, Pedrosa saltou para segundo, 0s173 mais lento que o ponteiro. 
 
Enquanto as coisas iam bem para o piloto de Forli, Lowes viveu um novo revés. O britânico saiu com a moto reserva para dar sequência à sessão, mas teve de voltar a pé para a garagem por conta de um problema com a RS-GP.
Valentino Rossi lida com as dores de um acidente de motocross (Foto: Michelin)
Com pouco mais de 12 minutos para o fim da sessão, Viñales voltou correndo aos boxes da Yamaha depois de trocar de macacão e limpar o braço esquerdo, que tinha alguns machucados por causa do acidente. O #25 tinha agora o quinto tempo, 0s498 atrás do líder Dovizioso.
 
Alguns minutos depois, Lorenzo saltou para a quinta colocação, 0s428 atrás de Dovizioso, que seguia no topo da tabela. Petrucci também avançou e se instalou em sexto, 0s029 atrás do #99.
 
Passada a barreira de três minutos para o fim, Crutchlow cravou 1min47s365 e saltou para a liderança, 0s161 mais rápido que Dovizioso, que caiu para segundo, à frente de Folger, Pedrosa e Barberá. Mais atrás. Rossi também melhorou, mas apenas para ficar em 16º.
 
Com 1min47s685, Zarco avançou para a quarta colocação, 0s142 mais lento que o companheiro de Tech3, que vinha em terceiro.
 
Em seu penúltimo giro nesta tarde, Rossi alcançou 1min48s000 e saltou para a 12ª colocação, 0s635 atrás de Crutchlow.
 

#GALERIA(7057)

MotoGP, GP da Itália, Mugello, 2º Treino Livre:

1 35 CAL CRUTCHLOW ING LCR HONDA 1:47.365  
2 4 ANDREA DOVIZIOSO ITA DUCATI 1:47.526 +0.161
3 94 JONAS FOLGER ALE TECH3 YAMAHA 1:47.543 +0.178
4 5 JOHANN ZARCO FRA TECH3 YAMAHA 1:47.685 +0.320
5 26 DANI PEDROSA ESP HONDA 1:47.699 +0.334
6 8 HECTOR BARBERÁ ESP AVINTIA DUCATI 1:47.710 +0.345
7 19 ÁLVARO BAUTISTA ESP ASPAR DUCATI 1:47.728 +0.363
8 29 ANDREA IANNONE ITA SUZUKI 1:47.807 +0.442
9 51 MICHELE PIRRO ITA DUCATI 1:47.883 +0.518
10 9 DANILO PETRUCCI ITA DUCATI 1:47.950 +0.585
11 99 JORGE LORENZO ESP DUCATI 1:47.954 +0.589
12 46 VALENTINO ROSSI ITA YAMAHA 1:48.000 +0.635
13 25 MAVERICK VIÑALES ESP YAMAHA 1:48.014 +0.649
14 93 MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:48.103 +0.738
15 45 SCOTT REDDING ING PRAMAC DUCATI 1:48.111 +0.746
16 41 ALEIX ESPARGARÓ ESP APRILIA 1:48.129 +0.764
17 43 JACK MILLER AUS MARC VDS HONDA 1:48.560 +1.195
18 53 TITO RABAT ESP MARC VDS HONDA 1:48.664 +1.299
19 76 LORIS BAZ ESP AVINTIA DUCATI 1:48.751 +1.386
20 22 SAM LOWES ING APRILIA 1:48.842 +1.477
21 17 KAREL ABRAHAM RTC ASPAR DUCATI 1:48.925 +1.560
22 44 POL ESPARGARÓ ESP KTM 1:49.524 +2.159
23 38 BRADLEY SMITH ING KTM 1:49.640 +2.275
24 50 SYLVAIN GUINTOLI FRA SUZUKI 1:50.504 +3.139
             
RECORDE MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:47.639 175.4 km/h
MELHOR VOLTA ANDREA IANNONE ITA DUCATI 1:46.489 177.3 km/h
             
    Condições do tempo   PISTA SECA   ar: 27°C | pista: 54ºC

ALONSO ATINGE NOVO PATAMAR NA HISTÓRIA DO AUTOMOBILISMO NA ESPETACULAR INDY 500

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = ‘ca-pub-6830925722933424’;
google_ad_slot = ‘8352893793’;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(‘crt_ftr’).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(‘cto_ifr’);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(‘px’)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write('’);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube