MotoGP

Crutchlow revela que temeu não voltar a andar após lesões sofridas na Austrália e vê pódio no Catar como sonho

Cal Crutchlow avaliou que o terceiro lugar no GP do Catar de domingo (11) é como um sonho. Britânico revelou que temeu não voltar a andar após as múltiplas fraturas que sofreu em um acidente em Phillip Island há quatro meses

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
 
Por conta das múltiplas fraturas, Cal perdeu as últimas três corridas do ano passado, além dos testes de Valência e Jerez. O britânico voltou a subir na RC213V para a pré-temporada, mas classificou os testes coletivos como “perda de tempo”.
 
Falando à imprensa depois de rodar entre os ponteiros ao longo de toda a corrida, Crutchlow celebrou a volta às pistas e afirmou que subir no pódio foi como um “sonho”.
Cal Crutchlow admitiu que pensou que não poderia andar (Foto: LCR)
“É ótimo estar de volta e poder correr na MotoGP, ainda mais no pódio”, disse Crutchlow. “Nós trabalhamos duro neste fim de semana, porque os testes foram meio que um desperdício de tempo para mim. E este também foi um fim de semana difícil”, seguiu.
 
“Se você me perguntasse depois do warm-up, quando terminei em 13º ou 14º, se eu estaria no pódio, eu teria rido”, admitiu. “Parece que toda corrida na MotoGP tem uma batalha e é bom estar nela. Foi bom poder correr e, para ser honesto, conquistar o pódio é um sonho”, desabafou.
 
“Em determinado momento, nós nem sabíamos se eu voltaria, quando mais voltar e ser competitivo”, contou.
 
Ainda, o britânico contou que, após o acidente na Austrália, sua prioridade era poder ter “uma vida normal” e revelou que chegou a duvidar se poderia andar novamente.
 
“Tenho de agradecer muitas pessoas por poder andar novamente, ainda mais por correr”, declarou. “No começo, foi tudo bem. Ficar sentado e ver as corridas da MotoGP, eu estava bem, aceitando. Mas aí, quando não podia andar, foi difícil”, reconheceu.
 
“Eu podia pedalar a semana inteira sem problemas, mas eu não podia andar. Não sabia se podia andar de novo”, revelou. “Eles [médicos] me disseram que iria, mas quando você sente tanta dor, você não sabe”, concluiu.

GUIA 2019
🏁 MotoGP abre 2019 imprevisível e com promessa de alta competitividade
🏁 Por equilíbrio, MotoGP introduz mudanças aerodinâmica e eletrônica
🏁 Yamaha mostra evolução. Mas a dúvida permanece: é o suficiente?
🏁 Ducati sai da pré-temporada forte e vê chance de recuperar título
🏁 Honda carrega mistério: Márquez e Lorenzo vão se aguentar sem brigas?
🏁 
Após anos de 'chove e não molha', Suzuki vê chance de dar próximo passo
🏁 KTM tem Pedrosa como trunfo e chance de acelerar evolução da RC16
🏁 Aprilia mira evolução e busca recuperação após 2018 decepcionante
🏁 Moto2 tem motor Triumph, mudança na classificação e classe talentosa
🏁 Moto3 traz nova classificação, volta de Fenati, time de Biaggi e promessa Öncü
🏁 Até com Gibernau, Mundial estreia Copa do Mundo de MotoE em 2019