MotoGP

Crutchlow traça testes coletivos de Sepang em 2019 como meta de retorno após lesão em tornozelo

Cal Crutchlow vai ficar de fora das pistas até o próximo ano. Ainda no processo de recuperação da fratura em seu tornozelo direito, o inglês traçou a meta de tentar retornar para os treinos coletivos em Sepang, que acontecem em fevereiro de 2019
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Cal Crutchlow (Foto: Michelin)
Não é mais em 2018 que veremos Cal Crutchlow de volta às pistas. Recuperando-se de uma fratura no tornozelo direito, Cal Crutchlow, que vai ficar fora do GP de Valência, tem como objetivo conseguir voltar para os treinos coletivos de Sepang, que acontecem em fevereiro de 2019.
 
Durante o segundo treino livre para o GP da Austrália, o piloto sofreu um forte acidente, onde acabou se lesionando. O inglês já passou por duas cirurgias e está em processo de recuperação, mas já perdeu o GP da Malásia e vai ficar de fora da última etapa, sendo substituído por Stefan Bradl.
O momento da queda de Cal (Foto: Reprodução)
Apesar de tudo indicar que a lesão tinha encerrado a temporada do titular da LCR, ele ainda tinha esperanças de voltar para a moto ainda esse ano. “A lesão que tenho tem um tempo de recuperação de 12 meses e, como um piloto de moto típico, pensei que estaria em forma para o GP de Valência, mas infelizmente esse não é o caso”, frisou.

“Não posso colocar nenhum peso no meu tornozelo por seis meses, mas estou continuando a recuperação e tendo fisioterapia. Nesta semana, vou começar a tentar andar de bicicleta novamente e estou ansioso para me preparar para os testes em Sepang, em fevereiro de 2019”, completou.
 
A MotoGP tem dois testes pós-temporada neste ano. Um em Valência logo após a final, e depois em Jerez de la Frontera, na semana seguinte.
 
Os treinos que Crutchlow quer participar acontecem em Sepang, entre os dias 1 e 3 de fevereiro de 2019.