MotoGP

Dalla Porta dá bote no fim, vence em Sachsenring e toma liderança da Moto3

Lorenzo Dalla Porta deu o bote no trecho final de Sachsenring e assegurou a vitória no GP da Alemanha deste domingo (7). 0s072 atrás do companheiro de Leopard, Marcos Ramírez ficou em segundo. Em uma bela prova de recuperação, Arón Canet ficou com o terceiro lugar, mas perdeu a liderança do Mundial

Grande Prêmio / JULIANA TESSER, de São Paulo / NATHALIA DE VIVO, de São Paulo
A Moto3 tem um novo líder. Em uma daquelas corridas tradicionalmente agitadas, Lorenzo Dalla Porta deu o bote decisivo nos metros finais de Sachsenring e, além de conquistar a vitória neste domingo (7), também passou Arón Canet e assumiu a liderança no Mundial de Moto3.
 
A chuva que caiu mais cedo acabou por não interferir na disputa da corrida em Sachsenring. Com a pista seca, Romano Fenati foi quem largou melhor, mergulhando em primeiro na curva 1 da posta da saxônia.
 
A corrida, porém, aos poucos ganhou contornos de uma típica corrida da Moto3: um enorme pelotão e muitas trocas de posição. Marcos Ramírez, então, tomou a liderança e abriu mais de 0s6 de vantagem para Lorenzo Dalla Porta, o companheiro de Leopard. O que, claro, não durou.
Lorenzo Dalla Porta (Foto: Reprodução)
O #48 tomou a ponta, mas ficou pouco por lá, já que foi superado por John McPhee na sequência. Ramírez, então, foi por dentro e retomou a ponta, mas logo viu Fenati reassumir o comando.
 
Com 7 voltas para o fim, Dalla Porta tomou a ponta, mas McPhee surgiu na sequência para ser o primeiro colocado. As trocas seguiram intensas na ponta e, restando apenas dois giros em Sachsenring, era Ramírez no topo da tabela. 
 
Então líder do Mundial, Canet tomou a ponta, mas, no trecho da cascata da volta final, o duo da Leopard passou para assegurar a dobradinha.

0s185 atrás do vencedor, Fenati ficou com o quarto posto, à frente de Raúl Fernández e McPhee. Ai Ogura ficou com a sétima colocação, seguido por Tatsuki Suzuki e Jakub Kornfeil.

Paddockast #24
A BATALHA: Indy x MotoGP



Saiba como foi o GP da Alemanha da Moto3:
 
Como havia sido previsto, a manhã em Sachsenring amanheceu encoberto e com a ameaça de chuva rondando o circuito. Com temperaturas mais amenas que nos demais dias, o termômetro indicava 16ºC, como asfalto chegando a 22ºC. O vento soprava a 3 km/h.
 
Ayumu Sasaki, pole-position da prova alemã, conseguiu sua primeira posição de honra do grid da carreira. Essa é a segunda pole para um piloto japonês desde a introdução da Moto3, em 2012, após Hiroki Ono ficar com a frente no Japão, em 2016. Entretanto, recebeu uma punição na época e alinhou apenas em quarto.
 
Kaito Toba, que começa a prova da segunda colocação do grid, igualou seu melhor resultado de classificação com Assen. Essa é a terceira primeira fila do piloto, incluindo Catar, corrida que venceu.
 
As luzes se apagaram em Sachsenring e foi iniciado o GP da Alemanha.  Fenati fez grande largada, se catapultando para a primeira colocação do pelotão, seguido por Ramírez e Toba, os três primeiros.
Enquanto isso, mais para trás do pelotão, um grande acidente foi visto. Dois pilotos se envolveram, e foram Rodrigo e López. Ambos acabaram indo no chão na curva 3, encerrando prematuramente suas provas.
 
Enquanto isso, na ponta, Romano tentava se afastar do restante do pelotão, abrindo um respiro de 0s250 após o primeiro giro. Ramírez, Toba, Dalla Porta e Sasaki completando o top-5 do momento. Mais para trás, Booth-Amos também ia ao chão.
 
Mas como de costume na irmã menor do Mundial de Motovelocidade, as coisas estavam bastante próximas nas primeiras colocações, com os três primeiros pilotos separados por uma diferença de apenas 0s317.
 
E McPhee brilhou em Sachsenring. Ao anotar a marca de 1min26s780, o piloto nada menor do que cravou um novo recorde no circuito alemão.
 
Então, as coisas acabaram mudando no traçado. Ramírez acabou dando o bote em cima do ponteiro da Sniper e se tornou o novo primeiro colocado. Dalla Porta chegou a acompanhar o #42, mas viu o #55 assumir a segunda colocação.
Com 23 giros para o encerramento da prova, Ramírez puxava os adversários, seguido por Dalla Porta e Fenati. Quem vinha na sequência era Kornfeil, com Sasaki e Arenas logo depois. Toba, McPhee, Öncü e Arbolino completando o top-10.
 
Então, em um belo lance, Jakub conseguiu se catapultar do quarto posto diretamente para a primeira colocação, assumindo a liderança. Mas não por muito tempo, pois o #42 logo daria o troco para retomar a posição.
 
Ramírez se agarrou no primeiro posto, mas via a constante ameaça de Kornfeil, o segundo, e Dalla Porta, o terceiro, constantemente. O piloto não conseguia abrir uma diferença, estando apenas 0119 à frente dos adversários.
 
As coisas mudaram rapidamente em Sachsering. A liderança agora estava nas mãos do #48, enquanto McPhee e Ramírez completavam o pódio. Fenati e Sasaki eram os nomes que fechavam o top-5.

Então, quando Ramírez reassumiu a primeira colocação, conseguiu abrir uma considerável vantagem para o restante do pelotão. O titular da Leopard estava 0s540 à frente do restante dos pilotos.
 
Com 14 voltas para a bandeira quadriculada, Ramírez era quem puxava a disputa com um respiro de 0s344 para Dalla Porta, segundo colocado. McPhee, Kornfeil e Fenati completavam o top-5 do momento.
 
Enquanto na ponta da corrida Marco cometeu um erro, abrindo demais na curva e caindo para terceiro, mais para trás Arenas e Tobase envolveram em um incidente na curva 1 e acabaram parando na caixa de brita.
 
Mas isso não impediu o #42 da Leoparde de se recuperar e conseguir superar os dois pilotos da ponta para reassumir a primeira colocação. Mas com o grupo da ponta bastante próximo, as coisas não demoraram em mudar.
 
Em uma emocionante batalha, ficou com Fenati o primeiro posto do GP da Alemanha. Enquanto isso, quem seguia o piloto era Kornfeil, com McPhee completando o pódio momentâneo.
 
Ainda sobravam nove voltas a serem completadas e as coisas seguiam abertas em Sachsenring. A ordem era Fenati, Dalla Porta, McPhee, Kornfeil, Ramírez, Fernández, Sasaki, Suzuki, Antonelli e Binder.

O grupo da ponta estava bastante colado e com sete pilotos brigando pelas colocações do pódio. O novo líder da corrida era Dalla Porta, mas o competidor logo foi superado por McPhee.
 
Caminhando para a reta final, ainda era impossível prever quem iria vencer a corrida. Com quatro voltas para terminar, Dalla Porta era o líder com um mínimo respiro de0s083. McPhee seguia o ponteiro, com Fernández completando o pódio.
 
Mas o bolo de pilotos da ponta seguia bastante próximo, com constante mudança de posições nas colocações mais para trás. Um exemplo é como Ramírez saltou da terceira para a primeira colocação.
 
Enquanto isso, Canet, atual líder da classificação e na segunda colocação, recebia um alerta de que estava excedendo os limites da pista. O piloto poderia ser punido com uma volta longa caso não respeitasse.
 
Já Dalla Porta não tinha muita sorte na corrida. O #48 da Leopard acabou perdendo posições e caindo para quarto. Mas isso não duraria muito, pois logo daria o troco para se colocar no segundo posto.

Na última volta da corrida, a ordem era Ramírez, Canet, Fenati, Dalla Porta e Suzuki completando o top-5 da prova.
 
Entretanto, as coisas não permaneceriam assim por muito tempo, pois o #44 daria a investida certeira para colocar as mãos na primeira colocação. Dalla porta e Ramírez eram quem vinham na sequência.
 
Mais para trás, era possível ver mais uma queda no pelotão. Binder e Foggia se envolviam em um incidente e ambos iam para o chão, com a dupla não conseguindo cruzar a linha de chegada.
 
Com a bandeira quadriculada, uma verdadeira festa dentro dos boxes da Leopard. Nos últimos metros, o #48 conseguiu tomar a ponta para vencer, enquanto o #42 vinha em segundo e fazia 1-2 da equipe. Canet terminou em terceiro.
 
Fenati foi quem cruzou a linha de chegada em quarto, com Fernández aparecendo em quinto. McPhee veio na sequência, com Ogura, Suzuki, Sasaki e Kornfeil completando o rol dos dez primeiros pilotos da corrida.
 
Moto3 2019, GP da Alemanha, Sachsenring, Final:

1 L DALLA PORTA Leopard Honda 38:03.113 27 voltas
2 M RAMÍREZ Leopard Honda +0.072  
3 A CANET MAX KTM +0.120  
4 R FENATI Snipers Honda +0.185  
5 R FERNANDEZ Ángel Nieto KTM +0.323  
6 J MCPHEE SIC HONDA +0.445  
7 A OGURA Asia Honda +0.678  
8 T SUZUKI SIC58 Honda +0.749  
9 A SASAKI SIC HONDA +0.829  
10 J KORNFEIL Prüstel KTM +0.955  
11 S GARCIA Estrella Galicia 0,0 Honda +1.064  
12 N ANTONELLI SIC58 Honda +2.239  
13 F SALAC Prüstel KTM +6.379  
14 C ÖNCÜ Red Bull KTM Ajo +6.648  
15 T ARBOLINO Snipers Honda +6.652  
16 J MASIÀ Worldwide KTM +6.685  
17 K MASAKI RBA KTM +18.243  
18 S NEPA CIP KTM +33.859  
19 A MIGNO Worldwide KTM +33.882  
20 M YURCHENKO RBA KTM +36.088  
21 A ARENAS Ángel Nieto KTM +36.123  
22 R ROSSI Gresini Honda +36.859  
23 D GEIGER Kiefer KTM +1:17.087  
24 T BOOTH-AMOS CIP KTM +1 volta  
  D FOGGIA VR46 KTM NC  
  C VIETTI VR46 KTM NC  
  D BINDER Avintia KTM NC  
  K TOBA Asia Honda NC  
  G RODRIGO Gresini KTM NC  
  A LÓPEZ Estrella Galicia 0,0 Honda NC  
         
VMR C ÖNCÜ Red Bull KTM Ajo 1:26.714 152.4 km/h
REC B BINDER Ambrogio Mahindra 1:26.877 152.1 km/h
MV M RAMÍREZ Leopard Honda 1:26.044 153.5 km/h
         
  Condições do tempo PISTA SECA   ar: 16ºC | pista: 22ºC



Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.