Dispensado, Barberá critica opção da Pramac por Spies para temporada de 2013: “Não tem sentido”

Héctor Barberá disparou contra a decisão da Pramac de dispensar seus serviços e contratar Ben Spies. Espanhol lembrou a temporada difícil do atual titular da Yamaha e afirmou que Mundial é movido por interesses e não pelo talento

 

Héctor Barberá disparou contra a decisão da Pramac de contratar Ben Spies para a temporada de 2012 da MotoGP. O piloto norte-americano foi escolhido pela Ducati, que vai usar a estrutura da equipe satélite para ajudar no desenvolvimento do protótipo de 2013, e terá como companheiro Andrea Iannone, que será promovido da Moto2.
 
Barberá, que foi contratado pela Pramac para esta temporada após a Aspar, equipe de defendia, passar a utilizar a estrutura CRT, afirmou que Casey Stoner tinha razão ao afirmar que o Mundial se baseava em interesses. 
Barberá criticou escolha de Spies para vaga na Pramac (Foto: Pramac)
“Stoner tinha razão e o campeonato se move mais por interesses do que por méritos”, disparou em entrevista ao site ‘Grada 360’. “Não tem sentido contratar o Spies, que com uma Yamaha oficial, tem só cinco pontos a mais que eu. Iannone eu acho lógico, porque está melhorando, aprendendo e pode trazer coisas novas”, considerou, esquecendo que a diferença entre os dois é de 17 pontos.
 
Barberá destacou que guiou protótipos Ducati nos últimos dois anos, inclusive utilizando nesta temporada a GPZero, que é uma versão atualizada da GP11 dos ano passado, mas anterior ao atual modelo da Desmosedici. 
 
“Pilotei suas motos nos últimos dois anos. No primeiro fui a melhor moto satélite em uma equipe totalmente nova e, no segundo, correndo com uma moto do ano anterior que muitos pilotos descartaram depois de vários treinos, nós brigamos lado a lado com as oficiais”, ressaltou.
 
Ainda, Héctor voltou a lamentar o incidente com Dani Pedrosa no GP de San Marino, quando tirou o espanhol da corrida ainda na primeira curva. “Fiquei muito triste por ele, porque está no melhor momento de sua carreia. Mas sigo pensando que foi um lance de corrida”, afirmou. “Sua moto é mais rápida que a minha, por isso foi mais rápido e passou, quis evitá-lo, mas tinha ele e [Randy] De Puniet do lado. Eu não tinha para onde fugir, não tinha nenhum espaço. Eu estava lutando pela minha posição, que é no top-10, e ele estava ali por acaso”, continuou. 
 
Por fim, Barberá contou que tem propostas do Mundial de Superbike, da AMA, que é campeonato norte-americano de Superbike, e da Moto2, mas deixou claro que quer “correr na MotoGP” e se disse próximo da BQR.
 
“Sou um piloto apaixonado e das equipes com as quais me reuni, BQR está mais próxima da minha forma de ser”, ponderou. “Tem vontade de crescer, tem muitos anos de Mundial e estão procurando novos desafios. Antes de Aragón, em duas semanas, quero ter meu futuro claro e torná-lo público”, encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube