Dovizioso quebra resistência da Yamaha e dá à Ducati primeira vitória em Mugello desde 2009. Rossi é quarto

Andrea Dovizioso quebrou a resistência das Yamaha em Mugello e deu à Ducati seu primeiro triunfo no GP da Itália desde Casey Stoner em 2009. Danilo Petrucci não resistiu à Maverick Viñales e ficou em terceiro, com Valentino Rossi aparecendo na quarta colocação

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Pode não ser exatamente o que a torcida esperava, mas Andrea Dovizioso completou a festa italiana em Mugello neste domingo (4). Depois das vitórias de Andrea Migno e Mattia Pasini em Moto3 e Moto2, respectivamente, o hino italiano voltou a soar em Scarperia, desta vez para o primeiro triunfo da Ducati em casa desde Casey Stoner em 2009.

 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : ‘pt’
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : ‘inread’
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Largando na primeira fila, Dovizioso conseguiu deixar para trás um problema estomacal que limitou sua participação no warm-up desta manhã e fez uma ótima corrida. Aproveitando a força do motor da Desmosedici, o #4 pressionou as Yamaha até quebrar a resistência da M1 e assumir a liderança com dez giros para o fim.
A classificação do Mundial de Motovelocidade após o GP da Itália
Andrea Dovizioso venceu em casa neste domingo (Foto: Michelin)
Uma vez na liderança, Andrea escapou da concorrência e abriu vantagem, deixando Maverick Viñales para se defender a pressão de Danilo Petrucci. Depois de alguma dificuldade imposta pelo piloto da Pramac, o #25 retomou a segunda colocação e recebeu a bandeirada 1s2 atrás  do italiano.
 
Ainda lidando com as sequelas de seu acidente em um treino de motocross, Valentino Rossi fez uma ótima largada e liderou as primeiras voltas em Mugello, mas, mesmo exibindo um bom ritmo, acabou batido pelos rivais. O italiano acabou em terceiro, 1s351 atrás de Petrucci.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Álvaro Bautista fez uma corrida impecável e garantiu o quinto posto, à frente de um apagado Marc Márquez. Johann Zarco ficou com o sétimo lugar, à frente de Jorge Lorenzo, Michele Pirro e Andrea Iannone.
 
Cal Crutchlow e Dani Pedrosa não conseguiram completar a prova. O espanhol cometeu um erro na Scarperia e caiu, levando o rival da LCR junto.
A vitória deste domingo foi a primeira de Dovizioso com pista seca. Antes, o #4 tinha vencido em Donington em 2009 e em Sepang no ano passado.
 
Além da marca pessoal e para a Ducati, Andrea quebra uma sequência de sete vitórias de pilotos espanhóis no GP da Itália.
 
Com o resultado, Viñales segue na liderança do Mundial, mas agora com 26 pontos de vantagem para Dovizioso, que avançou para a segunda colocação. Rossi segue em terceiro, 30 pontos atrás do companheiro de Yamaha. Márquez, Pedrosa e Zarco completam um top-6 separado por 41 pontos.
 
Saiba como foi o GP da Itália de MotoGP:
 
Aqueles que torciam por um dia mais frio, tiveram suas preces atendidas. O domingo amanheceu com um clima bastante diferente, até mesmo com chance de chuva. Antes da largada, os termômetros apontavam 25°C, com o asfalto chegando a 38°C, uma diferença significativa em relação aos mais de 50°C do treino classificatório. A velocidade do vento era de 11 km/h.
 
Pela terceira vez no ano, a pole era de Maverick Viñales, à frente de Valentino Rossi. É a segunda dobradinha consecutiva da casa de Iwata no grid. Andrea Dovizioso completa o top-3.
 
Em seu melhor resultado nos 47 GPs disputados até aqui, Michele Pirro ficou com o quarto posto no grid, seguido por Dani Pedrosa e Marc Márquez, que tinha sua pior posição de largada desde o 13º no grid de Mugello em 2015.
 
Neste domingo, os pilotos tinham a opção de pneus dianteiros macios, médios e duros, entretanto, apenas o dianteiro intermediário e os dois traseiros mais duros eram assimétricos. Na saída para a pista, as Yamaha estavam calçadas com um par de pneus duros, enquanto a Honda tinha uma escolha mais variada, com Márquez com um par de médios e Pedrosa escolhendo o duro na dianteira.
Na hora da largada, os 98.268 espectadores que pintavam Mugello de amarelo viram Rossi saltar para a ponta na entrada da San Donato, com Viñales em segundo, à frente de Lorenzo, Dovizioso e Márquez.
 
O #46 tratou de abrir vantagem na primeira volta, já que o vácuo é mortal em Mugello, especialmente com as Ducati por perto. 
 
Na abertura da segunda volta, Viñales tentou pressionar na entrada da San Donato, mas acabou mesmo ultrapassado por Lorenzo, que saltou para o segundo posto e ainda passou Rossi, mas escapou da linha e ficou em segundo.
 
O #99 fez uma nova tentativa e passou, mas levou o troco alguns metros adiante na Scarperia. 
 
Enquanto isso, Aleix foi punido com um ride-through por queima de largada.
 
Márquez subiu para terceiro, passando Viñales por dentro. Na passagem pela reta, a velocidade da Ducati fez diferença e Lorenzo retomou a liderança. Viñales voltou ao terceiro posto, à frente de Dovizioso e Petrucci, que passou Márquez por dentro na nove.
Maverick Viñales ficou com o segundo posto e ampliou vantagem na liderança do Mundial (Foto: Michelin)
Ainda o terceiro giro, Rossi atacou Lorenzo de novo e recuperou a liderança na Scarperia de novo, com Viñales aproveitando para assumir o segundo posto. Maverick, então, atacou o companheiro de Yamaha no fim da reta, mas o troco veio a jato pouco depois, ainda na San Donato. Enquanto isso, Dovizioso passou Lorenzo pela terceira colocação.
 
Viñales não desistiu e seguiu pressionando, até passar Rossi na Scarperia. Pouco depois, Dovizioso tomou a segunda colocação do #46 na Bucine.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Valentino não demorou para reagir e passou o rival da Ducati, que nem está em sua melhor condição, sofrendo com um problema estomacal.
 
Na ponta, Viñales tentava escapar, mas apenas tinha 0s253 de margem para Rossi, que vinha bem rápido atrás. Dovizioso seguia por perto, com Petrucci, Lorenzo e Márquez na sequência.
 
Na reta de Mugello, o motor Ducati voltou a fazer diferença e Dovizioso se colocou à frente de Rossi mais uma vez. O trio da ponta, aliás, já tinha 0s8 de vantagem para Petrucci, o quarto.
 
Na quinta volta da corrida, Rossi fez o melhor registro da prova até então: 1min47s887. No giro seguinte, Viñales tomou a marca: 1min47s643.
 
Dovizioso ia tentando chegar em Viñales, que mantinha a vantagem em torno de 0s39. Rossi seguia junto, com Petrucci tentando chegar. Márquez tinha a quarta colocação depois de aproveitar um erro de Lorenzo na curva 1.
 
Aos poucos, Dovizioso foi recortando a margem de Viñales, com Rossi chegando junto, trazendo Petrucci não tão longe. Márquez vinha 1s7 atrás, com Lorenzo chegando mais perto, escoltado por Bautista, Iannone e Zarco.
 
Mesmo correndo com dores, Rossi ia forçando o ritmo, rodando mais rápido que os dois pilotos que vinham à frente. Nesse embalo, o multicampeão se afastou um pouquinho de Petrucci e colou mais em Andrea, mas não o suficiente para passar.
 
Dovizioso, por sua vez, chegou a 0s0 de margem para Viñales, mas o Top Gun se manteve firme na ponta. Mais atrás, Bautista passou Lorenzo pelo sexto lugar.
 
Bautista, aliás, tomou o quinto posto de Márquez na reta e passou a tentar chegar em Petrucci, que vinha 2s8 à frente. Danilo estava cada vez mais perto de Rossi.
 
Quem também avançou foi Johann Zarco, que passou Lorenzo pela sétima colocação. O francês agora tinha 1s6 de atraso para Márquez.
 
Com a muita potência do motor Ducati, Petrucci aproveitava a reta para encostar em Rossi, mas o italiano recuperava a diferença no miolo do circuito italiano.
 
Com 12 voltas para o fim, Rossi voltou a aumentar o ritmo e colou em Dovizioso, tentando recuperar o segundo posto. 
 
Com nove voltas para o fim, Viñales errou e Petrucci aproveitou para assumir o segundo posto, 0s500 atrás de Dovizioso. Assim como o titular da Ducati, o piloto da Pramac corre com a GP17.
 
Mais atrás, Crutchlow passou Pedrosa e assumiu o 11º posto, 1s705 atrás de Pirro, que tentava chegar em Lorenzo.
 
Com sete giros para o fim, Rossi abriu 0s8 de atraso para Viñales. O #46 não estava em sua melhor condição física para manter pressão por 23 voltas.
 
Maverick, então, deu uma errada e permitiu uma ligeira aproximação do #46, que vinha bem folgado em relação a Bautista. 
 
Rossi aproveitou para aumentar o ritmo, mas foi Viñales quem colou em Petrucci, que conseguia escapar na força do motor.
 
Com quatro giros para o fim, Viñales retomou a segunda posição de Petrucci, já 1s3 atrás de Dovizioso. Quarto, Rossi já tinha 0s26 de atraso para o rival da Pramac.
 

#GALERIA(7061)

MotoGP, GP da Itália, Mugello, Corrida:

1 4 ANDREA DOVIZIOSO ITA DUCATI 41:32.126  
2 25 MAVERICK VIÑALES ESP YAMAHA +1.218  
3 9 DANILO PETRUCCI ITA DUCATI +2.334  
4 46 VALENTINO ROSSI ITA YAMAHA +3.685  
5 19 ÁLVARO BAUTISTA ESP ASPAR DUCATI +5.802  
6 93 MARC MÁRQUEZ ESP HONDA +5.885  
7 5 JOHANN ZARCO FRA TECH3 YAMAHA +13.205  
8 99 JORGE LORENZO ESP DUCATI +14.393  
9 51 MICHELE PIRRO ITA DUCATI +14.880  
10 29 ANDREA IANNONE ITA SUZUKI +15.502  
11 53 TITO RABAT ESP MARC VDS HONDA +22.004  
12 45 SCOTT REDDING ING PRAMAC DUCATI +24.952  
13 94 JONAS FOLGER ALE TECH3 YAMAHA +28.160  
14 8 HECTOR BARBERÁ ESP AVINTIA DUCATI +30.676  
15 43 JACK MILLER AUS MARC VDS HONDA +30.779  
16 17 KAREL ABRAHAM RTC ASPAR DUCATI +42.306  
17 50 SYLVAIN GUINTOLI FRA SUZUKI +46.294  
18 76 LORIS BAZ ESP AVINTIA DUCATI + 50.731  
19 22 SAM LOWES ING APRILIA + 50.740  
20 38 BRADLEY SMITH ING KTM + 50.897  
21 35 CAL CRUTCHLOW ING LCR HONDA NC  
22 26 DANI PEDROSA ESP HONDA NC  
23 41 ALEIX ESPARGARÓ ESP APRILIA NC  
24 44 POL ESPARGARÓ ESP KTM NC  
             
POLE MAVERICK VIÑALES ESP YAMAHA 1:46.575 177.1  km/h
VOLTA MAIS RÁPIDA MAVERICK VIÑALES ESP YAMAHA 1:47.643 175.4 km/h
RECORDE MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:47.639 175.4 km/h
MELHOR VOLTA ANDREA IANNONE ITA DUCATI 1:46.489 177.3 km/h
             
    Condições do tempo   PISTA SECA   ar: 25ºC | pista: 42ºC

ALONSO ATINGE NOVO PATAMAR NA HISTÓRIA DO AUTOMOBILISMO NA ESPETACULAR INDY 500

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = ‘ca-pub-6830925722933424’;
google_ad_slot = ‘8352893793’;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(‘crt_ftr’).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(‘cto_ifr’);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(‘px’)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write('’);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube