MotoGP

Dovizioso vence GP de duas partes em Valência. Pol Espargaró põe KTM em 3º e Pedrosa dá adeus em 5º

Andrea Dovizioso levou a melhor em uma prova de duas partes em Valência e conquistou sua quarta vitória na temporada 2018 da MotoGP. Aproveitando uma queda de Valentino Rossi com cinco giros para o fim, Álex Rins ficou em segundo, com Pol Espargaró dando à KTM seu primeiro pódio na classe rainha. No dia do adeus à classe rainha, Dani Pedrosa ficou com o quinto posto
Warm Up / JULIANA TESSER, de São Paulo / NATHALIA DE VIVO, de São Paulo
 Andrea Dovizioso (Foto: Divulgação/MotoGP)


LEIA TAMBÉM
 Dani Pedrosa: Entre os maiores da história
 Pedrosa sai de cena em baixa, mas com direito figurar entre os grandes

O GP da Comunidade Valenciana teve um pouco tudo: surpresas, quedas, valentia e até despedidas. Em uma corrida de duas partes por conta da forte chuva que atingiu o circuito Ricardo Tormo neste domingo (18), Andrea Dovizioso levou a melhor e alcançou o quarto triunfo da temporada 2018.
 
Tal qual indicavam os meteorologistas, a chuva foi protagonista nesta última etapa da temporada. Por conta do acúmulo de água na pista, o GP teve de ser interrompido depois de 15 voltas. Após cerca de meia hora, a corrida foi retomada para outros 14 giros, ainda que a pista permanecesse um tanto ensopada.
 
Assim como na parte final da primeira metade da corrida, Álex Rins, Dovizioso e Valentino Rossi foram os destaques na luta pelo pódio, mas foi o piloto da Ducati que conseguiu quebrar a resistência dos rivais e disparou na ponta. Com cinco giros para o fim, o #46 sucumbiu às condições e caiu na curva 12, entrando o segundo posto de volta para o espanhol da Suzuki.
Andrea Dovizioso (Foto: Divulgação/MotoGP)
A presença mais surpreendente no pódio, por outro lado, foi fruto não só da coragem de Pol Espargaró, mas também do trabalho rápido dos mecânicos da KTM. O #44 tinha caído a primeira metade da disputa, mas conseguiu voltar para a prova. O time, então, aproveitou o intervalo para preparar a RC16 e mandar o catalão de volta à pista ― já que valia o resultado até a volta 13.

O mais novo dos irmãos Espargaró teve de vencer uma disputa com Dani Pedrosa, mas garantiu o terceiro posto, à frente de Michele Pirro, que também voltou à pista depois de abandonar a primeira metade da disputa.
 
Em seu adeus à MotoGP, Pedrosa foi a melhor Honda e ficou com a quinta colocação, 13s351 atrás do vencedor. Takaaki Nakagami aparece na sequência, seguido por Johann Zarco, que fez sua prova final pela Tech3. A caminho da Copa do Mundo de MotoE e do posto de piloto de testes da Aprilia, Bradley Smith aparece em oitavo, à frente de Stefan Bradl e Hafizh Syahrin, que completa o rol dos dez primeiros.

Em sua última prova pela Ducati, Jorge Lorenzo ficou em 12º, logo à frente de Rossi. Karel Abraham e Jordi Torres foram os dois últimos a verem a bandeirada em Valência.

Com o resultado deste domingo, Márquez fechou o ano com 321 pontos, 76 a mais que Dovizioso. Rossi ficou com o terceiro lugar, superando Viñales por cinco tentos. Rins ficou com a quinta posição na tabela, seguido por Zarco, Cal Crutchlow, Danilo Petrucci, Lorenzo e Andrea Iannone. Entre os estreantes, Franco Morbidelli levou a melhor e ficou em 15º.
 
Saiba como foi o GP da Comunidade Valenciana de MotoGP:
 
O clima decidiu movimentar a última etapa da temporada 2018 da MotoGP. Como indicava a previsão do tempo, o domingo era frio e chuvoso, com a temporada registrada em 15°C ― e o asfalto alcançando a marca de 14°C ― instantes antes da largada no Circuito Ricardo Tormo. 
 
Depois de passar pelo Q1 pela sexta vez no ano, Maverick Viñales tinha a pole-position, a primeira desde o GP de Aragão do ano passado. Assim, o #25 era apenas o segundo piloto desde a introdução do atual formato de classificação ― em 2013 ― a conquistar a posição de honra depois de passar pela fase inicial da classificação, feito antes registrado apenas por Marc Márquez.
 
Em sua melhor performance na MotoGP, Álex Rins tinha o segundo posto, à frente de Andrea Dovizioso. Se despedindo da Pramac, Danilo Petrucci tinha a quarta colocação, seguido por Márquez, que caiu no Q1 e ainda teve um ombro deslocado. Desde o início da temporada, o #93 largou sempre em uma das duas primeiras filas da grelha.
 
Repetindo o melhor resultado da KTM na MotoGP, Pol Espargaró aparecia em sexto, seguido por Andrea Iannone e Aleix Espargaró, que alcançou o melhor resultado da Aprilia desde o sétimo lugar em Assen neste ano. É a primeira vez também que as seis fábricas atuais estão no top-8 da grelha.
 
Piloto mais bem sucedido em Valência ― com sete vitórias ―, Dani Pedrosa ocupa o nono posto em sua prova de despedida na MotoGP. Valentino foi eliminado ainda no Q1 e ficou apenas em 16º, seu pior resultado desde o 18º em Aragão e a pior posição do #46 em Valência desde 2015, quando foi punido e saiu em 26º.
 
Voltando de lesão e se despedindo da Ducati, Jorge Lorenzo tinha a 13º colocação em Valência.
 
Neste fim de semana, os pilotos teriam de escolher entre os pneus de chuva macios e médios, apenas com os traseiros em versão assimétrica, com a borracha mais resistente do lado direito.
 
As luzes se apagaram e os pilotos estavam autorizados para a largada. Viñales bem que tentou puxar a fila, mas Rins saiu correndo e conseguiu pular para a primeira colocação, colocando o espanhol em segundo. Em terceiro vinha Dovizioso.
Mas Pol Espargaró vinha em grande desempenho, começando a caçar Andrea, tentando ultrapassá-lo, ora conseguindo, ora levando o troco. Atrás da dupla vinha Márquez já exercendo pressão.
 
Não demorou muito e no final da primeira vota o #4 da Ducati conseguiu dar o bote em cima do #25 da Yamaha para assumir o segundo degrau do pódio. Márquez também conseguiu subir um posto e era o quarto. A ordem era Rins, Dovizioso, Viñales, Marc e Pol.
 
Mas o #44 não se deu por vencido pelo campeão de 2018. Em um lance preciso, conseguiu superar o piloto para reassumir o quarto posto, começando a caçada em cima de Maverick, mas precisando se defender do #93.
 
Aleix Espargaró foi o primeiro piloto a protagonizar uma queda em Valência. Na curva 3, o piloto acabou perdendo sua moto e foi ao chão, precisando ser atendido na pista.
 
Enquanto isso, na ponta, Márquez escalava o pelotão e era o terceiro colocado, superando Pol Espargaró. Mais para trás, Viñales, Petrucci e Miller estavam bastante próximos e brigando pelo quinto lugar. Pouco depois, Jack foi ao chão.
 
Com 23 voltas para a bandeira quadriculada, a ordem na tabela era Rins, Dovizioso, Márquez, Pol Espargaró, Petrucci, Rossi, Viñales, Zarco, Iannone e Morbidelli.
 
Pol e Márquez estavam animados na briga pelo degrau mais baixo do pódio. Os pilotos estavam constantemente trocando de posições, com o titular da Honda levando a melhor no momento.
 
Até que a chuva apertou em Valência e, consequentemente, mais pilotos foram ao chão. Começou com Pirro, seguido por Pol Espargaró, Petrucci e Lüthi, que lutava para conquistar seu primeiro ponto.
 
Então, Márquez acabou sofrendo um forte tombo na curva 9. Com as condições cada vez piores em Ricardo Tormo, o piloto não conseguiu se manter em cima da moto. Mais uma vez sentiu o ombro e saiu visivelmente frustrado com a queda.
 
Com os tantos incidentes, a ordem ficou com Rins ainda na ponta, seguido por Dovizioso, Rossi, Viñales, Iannone, Morbidelli, Zarco, Pedrosa, Smith e Nakagami.

Sem surpresas, Iannone foi o piloto que engrossou a lista dos pilotos que foram ao chão. Na curva 12, o #29 acabou escorregando e quando atingiu o chão, deu algumas cambalhotas na caixa de brita.
 
Rins estava conseguindo se esquivar de maiores problemas na ponta do pelotão. O espanhol da Suzuki já tinha um respiro de 2s252 para Dovizioso, que tentava se aproximar, sem muito sucesso. Rossi completava o pódio do dia.
 
Com as condições bastante complicadas, Viñales protagonizou um tombo bastante feio. A moto do espanhol chacoalhou e o piloto foi arremessado. Quem também foi ao chão foi Morbidelli, que caiu na curva 8.
 
Enquanto isso, Dovizioso começava a se aproximar de Rins, trazendo Rossi junto. Inclusive, o #46 também estava ameaçadoramente próximo do #4, apenas esperando o melhor momento para dar o bote.
 
Com 14 voltas para o final, restavam apenas 16 pilotos na pista, com os demais abandonando. Enquanto isso, na ponta, Rins cometeu um erro e perdeu a ponta, permitindo a ultrapassagem de Dovizioso, o novo líder, com Rossi em segundo. Nesse momento, bandeira vermelha tremulou.
A corrida foi interrompida na volta 13. A disputa ainda precisava ter uma nova largada, pois ainda não havia sido completado 3/4 da disputa.
 
Após de cerca de meia hora de corrida interrompida, enfim a prova seria retomada. Quem largava da primeira colocação era Rins, seguido por Dovizioso, Rossi, Pedrosa, Zarco e Nakagami fechando as duas primeiras filas.
 
A largada estava autorizada e os motores estavam roncando novamente em Valência. Rins conseguiu manter a primeira colocação, seguido por Dovizioso e Rossi. Enquanto isso, Pedrosa já era o quarto. Pouco depois, o espanhol foi ultrapassado por Pol Espargaró.
A pista estava ainda bastante molhada, mas isso não impediu Dovizioso de dar um bote em cima de Rins e ultrapassá-lo, conseguindo a primeira colocação. Enquanto isso, Rossi tentava se aproximar do titular da Suzuki.
 
Com 12 voltas para o final, as condições estavam bastante complicadas em Ricardo Tormo. Rins tentava se aproximar de Dovizioso, com a dupla abrindo ligeiramente de Rossi. O trio, no entanto, já estava bastante confortável na ponta.

Na reta final, Álex estava tentando alcançar Andrea, mas sem sucesso. O italiano abriu 0s546 na ponta, deixando o #42 para trás. Rossi, Pol Espargaró e Pedrosa completavam o top-5 daquele momento.
 
Valentino então deu uma grande passada em cima de Rins. Com oito giros para a bandeira quadriculada, o italiano assumiu a segunda colocação, mas agora sustentava 1s668 de desvantagem para Dovizioso.
A parte final da disputa ainda reservou espaço para mais quedas em Valência. A vítima agora foi Álvaro Bautista, que faz sua despedida da MotoGP, já que vai para a Superbike no próximo ano.

E Valentino encerrou sua temporada com mais uma queda. Na curva 12, acabou caindo sozinho e caiu para o fundo do pelotão. Com isso, Dovizioso seguia na ponta, com Rins assumindo o segundo posto e Pol Espargaró tomando o degrau mais baixo do pódio.
 
A bandeira quadriculada tremulou em Ricardo Tormo e a temporada estava oficialmente terminada. Dovizioso encerrou o ano com uma vitória, enquanto Rins e Pol Espargaró completaram o pódio do dia.
 
Em clima de despedida, Pedrosa cruzou a linha de chegada na quinta colocação, enquanto Lorenzo encerra sua parceria com a Ducati na 12ª colocação, um posto a frente de Rossi, o 13º.

MotoGP 2018, GP da Comunidade Valenciana, Ricardo Tormo, Final:

1 A DOVIZIOSO Ducati 24:03.408 14 voltas
2 A RINS Suzuki +2.750  
3 P ESPARGARÓ KTM +7.406  
4 M PIRRO Ducati +8.647  
5 D PEDROSA Honda +13.351  
6 T NAKAGAMI LCR Honda +32.288  
7 J ZARCO Tech3 Yamaha +32.806  
8 B SMITH KTM +33.111  
9 S BRADL LCR Honda +36.376  
10 H SYAHRIN Tech3 Yamaha +37.198  
11 S REDDING Aprilia Gresini +44.326  
12 J LORENZO Ducati +46.146  
13 V ROSSI Yamaha +52.809  
14 K ABRAHAM Ángel Nieto Ducati +1:10.628  
15 J TORRES Avintia Ducati +1:16.739  
  A BAUTISTA Ángel Nieto Ducati NC  
  M VIÑALES Yamaha NC  
  D PETRUCCI Pramac Ducati NC  
  M MÁRQUEZ Honda NC  
  A IANNONE Suzuki NC  
  A ESPARGARÓ Aprilia Gresini NC  
  J MILLER Pramac Ducati NC  
  F MORBIDELLI Marc VDS Honda NC  
  T LÜTHI Marc VDS Honda NC  
         
REC J LORENZO Yamaha 1:31.171 158.1 km/h
MV J LORENZO Yamaha 1:29.401 161.2 km/h
         
  Condições do tempo PISTA MOLHADA   ar: 13ºC | pista: 13ºC