Ducati começa com pé direito e põe cinco pilotos no top-10 no primeiro dia em Aragão

Com 1min49s262, Jack Miller assegurou o melhor tempo desta sexta-feira (10) no MotorLand, 0s273 à frente de Aleix Espargaró, o segundo colocado. Além do australiano, Johann Zarco, Jorge Martín, Francesco Bagnaia e Enea Bastianini também colocaram a Desmosedici entre os dez melhores do dia

Historicamente, Aragão é um traçado que encaixa bem com a Honda, mas, nesta sexta-feira (10), foi a Ducati que começou com vantagem. Além de marcar o melhor tempo no MotorLand com Jack Miller, a casa de Bolonha viu outros quatro pilotos garantirem espaço na lista dos melhores ― a exceção foi Luca Marini, que fechou o dia em 16º, 0s843 atrás do líder.

Depois de uma manhã liderada por Marc Márquez, os tempos caíram na parte da tarde, e Miller assegurou a melhor marca ao cravar 1min47s613. Vindo de um pódio no GP da Grã-Bretanha, Aleix Espargaró colocou a Aprilia na segunda colocação, à frente de Cal Crutchlow, que surpreendeu como a melhor Yamaha ao ficar com o terceiro tempo.

Jack Miller saiu satisfeito do primeiro dia na Espanha (Foto: Divulgação/MotoGP)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

0s375 mais lento do que Miller, Johann Zarco ficou com o quarto tempo, 0s035 à frente de Jorge Martín. Francesco Bagnaia foi o sexto, escoltado por Fabio Quartararo, o líder do Mundial. Marc Márquez, que levou um tombo na parte da tarde, ficou em oitavo, com Takaaki Nakagami e Enea Bastianini fechando o rol dos dez mais rápidos.

Dono do melhor tempo, Miller saiu satisfeito, mas também surpreso, já que esperava a pista em piores condições, especialmente por causa da chuva da noite passada.

“Esta, definitivamente, é a melhor maneira de começar o fim de semana. É um resultado que inspira confiança”, disse Jack. “Encontramos a pista em boas condições desde o princípio. Para ser sincero, fiquei surpreso, uma vez que choveu ontem de noite e tinha poeira na pista. Esperava que o asfalto estivesse muito mais escorregadio, mas a pista estava rápida e a aderência permitiu que forçássemos imediatamente”, seguiu.

Aleix Espargaró conseguiu o segundo melhor tempo neta sexta (Foto: Divulgação/MotoGP)

WEB STORY
Fatos e curiosidades sobre o GP de Aragão de MotoGP

Jack admitiu que a Ducati errou a não no TL2 tentando melhorar a GP21, mas conseguiu voltar ao rumo certo.

“Esta manhã, consegui ter um bom ritmo com os pneus usados, mas não fiquei satisfeito com isso nesta tarde. No TL2, tentamos algumas coisas que talvez tenham nos levado para a direção errada, mas quando voltamos para o acerto da manhã, encontrei meu ritmo outra vez”, relatou. “Ainda tem algumas áreas em que podemos trabalhar, mas, no geral, estamos indo bem. Agora a meta é continuar sendo rápido”, sublinhou.

“Têm muitos pilotos competitivos aqui em Aragão, então será importante melhorar consistentemente para estar entre os protagonistas da corrida de domingo”, completou.

Embalado após dar à Aprilia o primeiro pódio em Silverstone, Aleix Espargaró ficou feliz com o resultado de hoje, mas ainda não está satisfeito com a sensação que teve em cima da RS-GP.

“Estou extremamente satisfeito com os resultados de hoje, tanto em relação ao tempo de ataque quanto com o trabalho que fizemos com os pneus usados pensando na corrida”, contou Aleix. “Para ser sincero, ainda não tenho a sensação perfeita. Consigo ser rápido, mas em termos de feeling, acho que ainda tenho margem de melhora”, pontuou.

“Esta manhã, a aderência no asfalto era muito ruim, mas melhorou gradualmente. Pensando no domingo, quando são esperadas temperaturas mais elevadas,claramente teremos de trabalhar bem na escolha de pneus e no acerto”, alertou.

Cal Crutchlow foi a melhor Yamaha do dia (Foto: Yamaha)

Substituto temporário de Maverick Viñales na equipe de fábrica ― enquanto Franco Morbidelli não retorna após a cirurgia no joelho esquerdo ―, Cal Crutchlow celebrou a chance de forçar a YZR-M1 ao limite.

“Não fiquei surpreso com a volta que fiz depois daquele primeiro setor. Sabia que o primeiro setor era bom, então sabia que ficaria bem com o restante da volta”, relatou Cal. “O primeiro setor não é sempre o meu melhor e fui com calma, pois estava um pouco assustado com o pneu dianteiro frio na curva 2. Mas depois fiquei bem”, continuei.

“Foi bom fazer aquela volta. Não forcei e fiz uma volta como aquela o ano todo, então era de tentar fazer uma. E consegui”, comentou. “Tivemos um bom dia hoje. É bom conseguir ficar na parte de cima da tabela, mas não me importo com a posição. Claro, queremos ser rápidos, mas é mais uma questão de dar informações sobre como me sinto com a moto. Tentei algumas coisas novas hoje. Como piloto de testes, esse é o meu trabalho. Foi bom ser rápido e forçar a moto ao meu limite”, completou.

Depois de percorrer 950 km entre a França e Aragão a bordo de uma moto de 40 anos, Johann Zarco aproveitou as qualidades da Desmosedici para assegurar o quarto melhor tempo, 0s375 atrás de Jack.

“Estou feliz com hoje e encontrei a sensação certa. No TL2, consegui fazer uma volta rápida e espero continuar nesse caminho para amanhã”, frisou.

Companheiro do francês, Jorge Martín foi muito menos econômico nas palavras e admitiu que ficou surpreso com o desempenho das Ducati.

Johann Zarco também ficou na parte de cima da tabela (Foto: Pramac)

“Esperava que este circuito fosse bom para a Ducati, mas não é o melhor”, disse Martín. “Vendo as minhas sensações e seguindo Fabio na pista, vi que existem circuitos melhores para as características da nossa moto, mas somos quatro na frente, o que é um bom indicativo”, seguiu.

Novato na MotoGP, Jorge comentou que gosta de disputar posição com os colegas de Ducati, mas reconheceu que existem coisas mais fáceis na MotoGP.

“Me motiva lutar contra os colegas de marca, ainda que seja mais difícil lutar contra uma Ducati oficial do que contra uma Suzuki, por exemplo”, indicou.

O caçula dos pilotos da Pramac comentou que ainda tem muita margem de melhora e, por isso, se vê com boas chances na classificação, especialmente se conseguir avançar direto para a fase final do treino que define o grid de largada.

“Depois do TL1, não me via tão competitivo, mas com o pneu médio durante a tarde, consegui dar um passo gigante. Levando em conta que estamos ali em termos de volta rápida e que eu e a moto temos muita margem, acho que se passarmos direto ao Q2, teremos opção de pole e espero aproveitar”, torceu.

0s419 mais lento que o companheiro de equipe, Bagnaia considerou que a Ducati fez um bom trabalho, especialmente por considerar que a equipe sempre teve dificuldades no MotorLand.

Jorge Martín celebrou chance de brigar com colegas de marca (Foto: Pramac)

“Estou feliz com o resultado obtido neste primeiro dia no MotorLand de Aragão. Ano passado, nós pilotos da Ducati tivemos muitas dificuldades nesta pista, mas hoje conseguimos ser rápidos desde o início, o que mostra que fizemos um grande trabalho com a Desmosedici GP”, ponderou Pecco. “Já temos um bom acerto base e, nas duas sessões de hoje, tentamos pneus diferentes, exceto o dianteiro duro, e conseguimos ser competitivos com todos eles. Estou satisfeito com o bom trabalho que fizemos neste primeiro dia e estou confiante de que podemos nos sair bem também na classificação de amanhã”, apontou.

Líder do Mundial, Quartararo foi para Aragão preocupado, mas não saiu decepcionado do primeiro dia por lá.

“Foi um ótimo dia. Só na hora de fazer a volta rápida que encontrei muito tráfego e não consegui fazer a volta, mas ainda assim não foi tão ruim”, disse Fabio. “Estava a menos de 0s5 em relação a Jack antes do tráfego, então estou bem feliz, pois sei que o potencial está lá”, avaliou.

A sexta-feira, porém, não passou livre de problemas, já que o piloto de Nice foi picado por uma abelha que invadiu o capacete durante o TL2.

“Entrou uma abelha no meu capacete e, naquele momento, estava machucando muito, mas está tudo bem e, no geral, estou realmente feliz, pois a primeira saída desta tarde foi realmente boa. Na segunda, queríamos tentar alguma coisa, mas não foi bom, então fico com a primeira sensação, com o ritmo de 1min48s alto”, explicou. “O quarto setor é um dos piores do calendário, mas estou pronto para tudo. Amanhã teremos algumas boas ideias para melhorar ali”, avisou.

Fabio Quartararo teve problemas com uma abelha nesta sexta (Foto: Yamaha)

Dono de cinco vitórias no traçado de Alcañiz, Marc Márquez começou o dia com o pé direito, mas teve um tropeço com uma queda na parte da tarde. Ainda assim, ficou em oitavo, 0s435 atrás do ponteiro.

“Tínhamos um plano perfeito: um pneu novo para o TL1 e aí trabalhar para a corrida no TL2, mas com a queda, mudamos um pouco o nosso plano”, disse Márquez. “Isso nos deu a chance de tentar o traseiro duro, então não impactou muito nosso fim de semana. Com certeza, fiquei frustrado quando caí, pois estava sentindo que tudo estava sob controle. Sim, estava atrás de Álex, no vácuo e freando um pouco mais tarde, mas sabia que estava rápido demais e tentei abrir a trajetória, mas aí atingi uma parte suja da pista e caí. Foi por isso que fiquei frustrado com a queda”, detalhou.

“Só forcei em algumas voltas hoje para poupar energia, mas quando forçamos o ritmo de corrida, o tempo de volta estava vindo”, concluiu.

A largada do GP de Aragão de MotoGP está marcada para as 9h (de Brasília) de domingo (12). O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2021.

VEJA TAMBÉM
Quartararo usa receita infalível e ganha terreno em MotoGP de rivais claudicantes
WEB STORY: Raio-x do strike de Marc Márquez no GP da Grã-Bretanha de MotoGP
Yamaha fecha estrutura, corrige tropeço com Morbidelli e dá nova chance a Dovizioso
Caos gerado por Viñales abre inesperada segunda chance para Dovizioso na MotoGP
Pódio coroa trajetória de Aleix Espargaró e mostra que Aprilia enfim está no rumo certo
Rivais reconhecem força de Quartararo e começam a jogar toalha na briga pelo título
Pódio premia longo e árduo trabalho de Aleix Espargaró para reconstruir Aprilia na MotoGP
Rins finalmente desencanta após série de quedas e até lesão na MotoGP 2021

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar