Ducati e VR46 encerram novela e confirmam acordo para três temporadas da MotoGP

Após mistérios e enrolações, Ducati e VR46 finalmente confirmaram o acordo para fornecimento de motos a partir da próxima temporada da MotoGP. O time de Valentino Rossi, que estreia na classe rainha do Mundial, vai contar com apoio da fábrica de Bolonha por três anos

Como foi o GP da Alemanha de MotoGP vencido por Marc Márquez (Vídeo: GRANDE PRÊMIO com Reuters)

A VR46, equipe de Valentino Rossi, finalmente definiu com qual montadora vai se unir a partir da temporada 2022, quando estreia na MotoGP. A parceria com a Ducati foi anunciada nesta quinta-feira (24) após uma intensa novela de ambas as partes. O acordo é válido por três anos, até o fim de 2024.

O grande passo dado pela VR46 foi anunciado em abril, quando o time de Valentino Rossi foi confirmado na MotoGP após uma polêmica aliança com a Arábia Saudita, através da petrolífera estatal do país asiático. Hoje, a marca de Rossi já está na classe rainha por meio de uma parceria com a Ducati e a Avintia, que abriga Luca Marini.

Com a decisão desta quinta-feira, a Ducati vai correr com oito motos no grid da MotoGP em 2022. Além do time de fábrica e da Pramac, a fábrica de Bolonha vai também alinhar com a VR46 e a Gresini, que encerra a união com a Aprilia.

LEIA TAMBÉM
⇝ Rossi fornece máquina de lavar e macula imagem unindo VR46 e Arábia Saudita

Valentino Rossi agora é dono de equipe da MotoGP. Mas vai seguir como piloto? (Foto: SRT)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

A VR46 também firmou um compromisso com a Dorna por cinco temporadas na classe principal do Mundial de Motovelocidade. Outra novidade anunciada foi a escolha de Pablo Nieto, atual chefe do time na Moto2 e na Moto3, para ocupar o cargo também na MotoGP.

“Estamos felizes em anunciar que em 2022 vamos correr na MotoGP com dois pilotos usando as cores da VR46. Uma jornada que começou oito anos atrás, com a academia, uma bela aventura dividida com a Sky. Uma longa e exigente jornada, mas cheia de satisfação, o que nos deixa orgulhosos”, disse Alessio Salucci, o ‘Uccio’, responsável pela Academia de Pilotos VR46.

“É um momento decisivo em nossa história e que não seria possível sem Carmeleto Ezpeleta, que sempre acreditou em nosso projeto, e a Ducati, que acreditou em nos dar espaço no futuro”, completou.

Carmelo Ezpeleta, diretor-executivo da Dorna, também comentou a novidade. “É empolgante para fãs de todo o mundo e para o paddock da MotoGP que seguiu a incrível carreira de Valentino Rossi ver o crescimento da VR46. Valentino é, e vai continuar, muito importante no Mundial de Motovelocidade com seu extraordinário legado inspirando novas gerações de pilotos e fãs”, afirmou.

VR46 vai entrar de vez na MotoGP em 2022 (Foto: VR46)

Nos últimos meses, Valentino Rossi focou as negociações para o futuro da VR46 com Ducati e Yamaha, duas montadoras que ele defendeu durante a carreira. Ainda que o coração do multicampeão batesse mais forte pela Yamaha, foi a marca italiana que levou vantagem, especialmente pelos rivais japoneses indicarem a intenção de não fornecer mais do que as quatro motos atuais.

A negociação foi divulgada sem querer por Paolo Ciabatti, diretor-esportivo da Ducati, no último fim de semana, durante o GP da Alemanha, que entregou o acordo e também a data do anúncio em uma entrevista à Sky Italia. A dupla de pilotos ainda não está definida, mas Luca Marini, irmão de Rossi, é o favorito a uma das vagas. Atualmente, ele corre na Avintia Ducati. “A decisão sobre os pilotos da VR46 é a equipe que vai tomar. Quando considerarem oportuno dizer os nomes, seguramente será a melhor opção para eles e para nós também”, completou o dirigente.

Luigi Dall’Igna, chefe da Ducati, foi outro que comentou sobre o assunto às vésperas do GP da Holanda.

“Estamos agradecidos por alcançar o acordo com a VR46 para os próximos três anos. A academia sempre trabalhou sério, com grande profissionalismo, dando a muitos pilotos a oportunidade de ganhar experiência na Moto2 e na Moto3, e hoje eles podem se orgulhar de ter três pilotos jovems com muito talento [no grid da MotoGP]. A VR46 também nos mostrou que é capaz de gerenciar um time de sucesso e por isso vamos dar o máximo de suporte técnico para a nova equipe da MotoGP, convencidos de que enconstramos uma ambiciosa e motivada parceira, com o objetivo em comum de grandes resultados”, pontuou.

LEIA TAMBÉM
⇝ Marc Márquez agarra chance e interrompe calvário para manter reinado em Sachsenring
⇝ Quartararo amplia liderança na MotoGP com pódio na Alemanha. Confira classificação
⇝ Vitória de Marc Márquez anima, mas pouco muda situação ruim da Honda na MotoGP
Com oito motos, Ducati investe na juventude e prepara bases de futuro forte na MotoGP

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar