MotoGP

Em cenários distintos, Bagnaia e Martín podem ser campeões já na Malásia. Confira matemática

Depois de desperdiçar o primeiro match-point em Phillip Island, Francesco Bagnaia chega ao circuito de Sepang com uma segunda chance de conquistar o título da Moto2. Com top-3 separado por 20 pontos, Moto3 também pode coroar Jorge Martín neste fim de semana
Warm Up / JULIANA TESSER, de São Paulo
 Franceco Bagnaia (Foto: VR46)
Sepang pode ver a coroação de dois campeões do Mundial de Motovelocidade. Depois de perder o primeiro match-point em Phillip Island, Francesco Bagnaia chega à Malásia com uma segunda chance de assegurar a taça da Moto2, enquanto Jorge Martín terá sua primeira oportunidade de se sagrar campeão da Moto3.
 
A situação na classe intermediária é um pouco mais tranquila. Com 50 pontos ainda em disputa, Bagnaia hoje tem 36 de margem para Miguel Oliveira. Assim, o italiano se torna campeão simplesmente terminando à frente do rival da KTM.
Francesco Bagnaia pode se tornar campeão da Moto2 em Sepang (Foto: Divulgação/MotoGP)
Para seguir para a final de Valência com alguma chance, Oliveira teria de cortar essa vantagem para, pelo menos, 24 pontos ― já que, Bagnaia tem vantagem no critério de desempate por conta das oito vitórias conquistadas no ano, que não podem ser igualadas por Miguel.
 
Desta forma, se Pecco terminar a corrida no pódio, o título será definido independente do resultado do português. Se Bagnaia completar a prova malaia entre quarto e sétimo, Miguel teria de, obrigatoriamente, vencer para adiar a decisão. 
 
Se o #42 ficar entre oitavo e 11º, a disputa pelo título acaba caso Oliveira não consiga nada melhor que o terceiro posto. No caso de Francesco completar a disputa entre 12º e 14º, o campeonato acaba se o #44 ficar fora do pódio. Na eventualidade do piloto da VR46 ficar em 15º ou não pontuar, o rival da Ajo teria, então, de completar a disputa dentro do top-4.
 
Na Moto3, porém, a situação é diferente. Além de Martín, Marco Bezzecchi e Fabio Di Giannantonio ainda tem chances de título. E com diferenças bastante menores.
 
Derrubado por Gabriel Rodrigo em Phillip Island, Bezzecchi agora tem 12 pontos a menos que Martín, enquanto o atraso de Di Giannantonio é de 20 tentos. Assim, o #88 precisa elevar a diferença em relação ao piloto da Prüstel para, pelo menos, 25.
Jorge Martín tem o primeiro match-point na Malásia (Foto: Gresini)
Dos três, Martín é o único que pode alcançar o título em território malaio, mas com a obrigatoriedade de somar, ao menos, 13 pontos mais que Marco. Assim como acontece com Bagnaia, o número de vitórias dá vantagem a Jorge em caso de empate na tabela de pontuação.
 
Com tal cenário, Martín leva o título em Sepang se vencer e Bezzecchi não passar de quinto. Se o #88 ficar em segundo, então Bezzecchi teria de ficar no máximo em nono e Di Giannantonio não alcançar o pódio.
 
Caso Martín receba a bandeirada em terceiro, a briga pelo título só segue para Valência se Bezzecchi não passar de 13º e Di Giannantonio não conseguir nada melhor do que o quinto posto. Se o espanhol da Gresini ficar em quarto, vai ter de torcer para Marco não pontuar e Fabio não passar de oitavo.
 
O GP da Malásia de Moto3 acontece às 2h (de Brasília) de domingo (4). A largada da corrida da Moto2 está agendada para as 3h20.