Em contagem regressiva para aposentadoria, Stoner diz ter orgulho da rivalidade com Pedrosa e Lorenzo

Em sua última temporada na MotoGP, Casey Stoner afirmou que se sente orgulhoso de ter construído sua carreira ao lado de Jorge Lorenzo e Daniel Pedrosa. Australiano acredita que a rivalidade do trio fez deles pilotos melhores

Prestes a encerrar sua carreira na MotoGP, Casey Stoner afirmou se sentir orgulhoso por ter construído sua carreira ao lado de Jorge Lorenzo e Daniel Pedrosa. O trio andou junto na 125cc e na 250cc e hoje domina a classe rainha do Mundial de Motovelocidade, sendo os únicos três pilotos a terem vencido nesta temporada.

“Eu estou muito feliz por ter crescido e passado por diferentes categorias com esses dois”, disse Stoner. “Tive ótimas corridas com eles ao longo dos últimos anos e acho que a nossa rivalidade nos levou a um nível muito alto”, opinou.

“Às vezes, alguns pilotos conseguem nos acompanhar. Nos vencer. Mas nós, normalmente, terminamos empurrando um ao outro para frente e continuamos a empurrar um ao outro adiante.”
 

Stoner afirmou ter orgulho de ter construído sua carreira ao lado de Lorenzo e Pedrosa (Foto: MotoGP)


O bicampeão afirmou que quando olhar para trás e rever sua carreira, se sentirá orgulhoso de ter feito parte deste trio. Na visão do australiano, a rivalidade serviu para fazer deles pilotos melhores.

“Vou olhar para trás depois de todos estes anos e me sentir orgulhoso de, pelo menos, ter feito parte disso e nós três, não importa onde estejamos e que dia seja, normalmente estamos na frente empurrando um ao outro. A quantidade de pódios em que estivemos juntos, nós três, é enorme”, recordou. “Acho que é uma ótima rivalidade. Começou muitos, muitos anos atrás. Eu não vejo razão nenhuma para não continuar pelo resto desta temporada, mas não será, necessariamente, sempre as mesmas pessoas na frente. Acho que outros irão melhorar e mudar um pouco a ordem.”

O titular da Honda também se disse impressionado com a performance de Lorenzo em 2012. O piloto da Yamaha tem exibido um ótimo ritmo e, com exceção do GP da Holanda, quando foi derrubado por Álvaro Bautista nos metros iniciais, completou todas as corridas em primeiro ou segundo.

“O Jorge terminando em primeiro ou segundo em todas as corridas este ano tem sido impressionante e, com certeza, ele estará na frente”, considerou.

Por fim, Casey avaliou que desempenho de hoje é resultado do aprendizado nas categorias de acesso. “Acho que somos pilotos muito fortes, com muita motivação”, opinou. “Nas categorias menores nós éramos muito rápidos e técnicos, então com essas motos, que você precisa andar de uma maneira muito suave e ser muito sensível, agora somos os mais fortes. E nós também temos motos muito competitivas”, reconheceu. “Então este ano é muito difícil para o resto nos bater constantemente”, encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube