Bastianini vê Martín com “algo a mais”, mas aguarda definição de futuro na Ducati

Mais frágil entre os três postulantes à vaga na equipe de fábrica da Ducati, Enea Bastianini segue aguardando a decisão da fábrica italiana para poder definir futuro profissional

Enea Bastianini sabe que tem a posição mais frágil entre os postulantes à vaga ao lado de Francesco Bagnaia na Ducati a partir de 2025. O italiano reconheceu que Jorge Martín tem “algo a mais” na disputa e também exaltou a força de Marc Márquez no início das corridas.

A Ducati tinha indicado que definiria o futuro companheiro de Bagnaia até o GP da Itália deste fim de semana, mas acabou adiando a decisão, que agora só deve chegar antes do GP da Holanda. Ainda assim, a disputa é entre três pilotos: Martín, Márquez e Bastianini,

Nesta quinta-feira, o jornal italiano La Gazzetta dello Sport noticiou que a Ducati já chegou a um acordo com Martín, mas agora tenta se acertar com Márquez para que ele defenda a Pramac no próximo ano. Enquanto o atual líder da MotoGP está mais do que feliz com a possibilidade de ser o escolhido, o #93 já descartou a Pramac e colocou a equipe de fábrica ou a própria Gresini — desde que com a moto do ano — como únicas opções para permanecer com a casa de Borgo Panigale.

Questionado sobre os rumores que circulam em Mugello nesta quinta-feira, Bastianini respondeu: “Tem sido caótico. Desde a primeira corrida tem sido assim. Não é um problema, mas, às vezes, você fica sendo questionado sobre o futuro, e eu penso: ‘Uau! De novo, de novo e de novo’. Mas é normal”.

Enea Bastianini ainda espera definição da Ducati (Foto: Ducati)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Enea está no segundo ano de um contrato de dois com a Ducati, mas teve a primeira temporada bastante condicionada por lesão. O italiano ainda conseguiu uma vitória no ano passado, mas até aqui, ainda não voltou ao topo do pódio, mesmo que esteja no top-4 do campeonato.

“Eu, Marc e Jorge estamos todos no top-4 da classificação dos pilotos. Mas Jorge, no momento, tem algo mais em comparação com os outros. Vimos isso muitas vezes”, assumiu. “Marc é bom nas corridas. Ele é o mais forte nas primeiras voltas. Eu sou constante, mas, no momento, não sou realmente explosivo. A escolha da Ducati pode ser complicada, eu sei. Mas, depois dessa corrida, teremos o resultado e aí ficaremos felizes [com o fim dos boatos]”, acrescentou.

Ainda que não esteja na melhor posição da disputa pela Ducati, Bastianini é um candidato para um lugar na Aprilia, que busca um substituto para Aleix Espargaró e já manifestou preferência por um italiano. No entanto, a KTM também surge como opção, via GasGas Tech3.

Perguntado sobre qual das opções prefere, Bastianini respondeu: “Tenho uma preferência, mas, de novo, é cedo para falar sobre isso, pois quero entender melhor a situação depois de Mugello, depois da decisão da Ducati”.

“Aí tenho três semanas [antes da próxima corrida] para entender o qual a minha melhor escolha. Mas, no momento, tenho de pensar em outras coisas, como a razão de a minha velocidade não ter sido boa em Barcelona”, encerrou.

MotoGP volta a acelerar entre os dias 31 de maio e 2 de junho para o GP da Itália, em Mugello, com a 7ª etapa da temporada 2024. O GRANDE PRÊMIO faz a cobertura completa do evento, assim como das outras classes do Mundial de Motovelocidade durante todo o ano.

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da MotoGP direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.