MotoGP

Faça sol ou chuva, Márquez segue protagonista. Mas pista molhada promove rivais diferentes em Valência

Em um primeiro dia de muita chuva, os pilotos tiveram um desafio extra em Valência nesta sexta-feira (16). Mas, apesar das dificuldades, muita gente saiu feliz do primeiro dia de atividades em Valência
Warm Up / JULIANA TESSER, de São Paulo
 Marc Márquez (Foto: Repsol)
A MotoGP teve um primeiro dia molhado em Valência. A chuva dos últimos dias segue firme e forte em Cheste e não deu trégua em nenhuma das duas sessões desta sexta-feira (16). Na atividade vespertina, porém, as condições foram ainda piores, o que impediu a melhora nos tempos.
 
Assim, com 1min39s767, Marc Márquez ficou com a melhor marca, fechando a sexta-feira com 0s106 de margem para Jack Miller, o segundo colocado. Danilo Petrucci e Andrea Dovizioso completam uma trinca da Ducati, com Dani Pedrosa aparecendo para ocupar a quinta colocação.
 
Líder dos trabalhos, Márquez destacou que foi um primeiro dia difícil em Valência, mas se mostrou satisfeito com a performance da Honda.
Marc Márquez espera brigar no mínimo pelo pódio em Valência (Foto: Repsol)
“Hoje foi um dia difícil para todo mundo, porque estava chovendo, mas também muito, muito frio, então tudo fica mais critico”, apontou Marc. “Mas, de qualquer forma, o bom é que aqui em Valência a pista seca, a água escoa da pista e isso é realmente bom. E a aderência é muito boa”, continuou. “Nós trabalhamos no acerto, encontramos alguns limites, mas, de qualquer forma, temos um bom ritmo, então isso é o mais importante”, frisou.
 
Ao contrário do ano passado, quando chegou à corrida final ainda disputando o título com Andrea Dovizioso, desta vez Márquez já tem a conta fechada, o que muda um pouco a maneira do espanhol de encarar a disputa.
 
“Eu estou tranquilo, pois já está tudo decidido. No ano passado, cheguei aqui com tudo no ar, estávamos lutando pelo campeonato, mas agora tudo está decidido. Se amanhã for no seco, vamos tentar estar na primeira fila”, anunciou. “No domingo, parece que vai chover outra vez, então a meta é terminar a corrida no pódio se pudermos. De qualquer forma, estamos bem para sermos competitivos nas duas condições”, avaliou.
 
Atrás do campeão antecipado na tabela do campeonato, Miller afirmou que ficou satisfeito com o desempenho da Pramac.
 
“A sensação é muito positiva”, comentou o australiano. “Esta manhã nós fomos muito bem e, de tarde, preferimos não fazer muitas voltas para não acabarmos com os pneus macios tendo em vista a classificação e a corrida. Estou satisfeito”, sublinhou.
Danilo Petrucci destacou boa performance dos pneus (Foto: Pramac)
Dono do terceiro melhor tempo, Petrucci contou que o primeiro dia no circuito Ricardo Tormo o lembrou de seus tempos no motocross.
 
“São condições muito, muito ruins, mas eu gosto bastante. Me lembra de antigamente, de quando eu era criança. Pela manhã, era como uma pista de motocross”, contou Petrucci. “Você tem de ficar atento volta após volta à água acumulada na pista e é diferente a cada volta, então você tem de se adaptar a cada giro. Eu gosto bastante. Nesta tarde, tinha muita água e eu curti a moto bastante”, frisou. 
 
“Eu não gosto deste clima, me sinto muito, muito ensopado, mas não posso decidir. O importante é que eu rodei com o mesmo pneu desta manhã. Nos últimos dez minutos eu não consegui mais pilotar, porque os pneus estavam acabados. Não estamos autorizados a fazer mais do que 34 voltas, mas eu fiz meu melhor tempo na 33ª volta, então estou bem feliz. Vamos ver amanhã, mas hoje eu estou bem feliz”, resumiu.
 
Melhor Yamaha nesta sexta-feira, Maverick Viñales fez a melhor de suas 28 voltas em 1min40s772 e ficou com o sétimo tempo, 1s005 atrás de Márquez.
 
“Estou satisfeito. Sempre me custou na chuva e aqui me senti bastante bem, entre os sete primeiros nos dois treinos e classificado para o Q2, que era o importante hoje”, começou Maverick. “No entanto, temos de tentar melhorar. A dúvida é em função da quantidade de água na pista. Quando mais água, mais difícil, porque tenho menos aderência”, relatou.
Maverick Viñales prometeu arriscar tudo na briga pelo 3º lugar no campeonato (Foto: Yamaha)
Brigando com Valentino Rossi pelo terceiro posto na classificação do campeonato, Viñales deixou claro que vai para o tudo ou nada nesta última etapa da temporada 2018.
 
“Tenho de arriscar ao máximo. Tenho muito para ganhar e pouco para perder, porque estou a dois pontos do terceiro lugar. Só me resta arriscar e tentar estar entre os cinco primeiros, o que seria bom na água”.
 
12º no resultado combinado, Rossi fez um balanço positivo do primeiro dia, mesmo que não tenha conseguido uma vaga no top-10.
 
“Esta manhã a pista estava um pouco mais rápida, porque tinha menos água, mas, infelizmente, não me sentia fantástico na moto, não era a combinação perfeita”, comentou Rossi. “Mas nós fizemos algumas boas mudanças, então fui mais forte de tarde. É uma pena que não tenhamos melhorado nosso tempo de volta. Estou fora do top-10, mas com um bom feeling e também um bom ritmo, então, no fim, não é tão ruim”, considerou.
 
Com chuva, até a Aprilia completou a sexta-feira otimista. Aleix Espargaró completou a melhor de suas 18 voltas em 1min40s967 e ficou com o 11º tempo, enquanto Scott Redding foi 1s890 mais lento e acabou em 22º.
Até Aleix Espargaró saiu otimista da sexta-feira (Foto: Aprilia)
Apesar de as posições não serem das mais impressionantes, Aleix se mostrou satisfeito com a evolução da RS-GP.
 
“A aderência da moto é muito boa e eu fui rápido, confirmando que demos alguns passos à frente neste sentido, porque problemas de aderência ficam piores no molhado”, apontou Aleix. “Se o fim de semana continuar assim, poderemos mirar posições importantes na corrida”, previu.
 
Redding, por sua vez, ressaltou a dificuldade deste primeiro dia, principalmente por conta do acumulo de água na pista.
 
“As condições de hoje certamente não foram fáceis. Assim que começa a chover mais forte, você começa a aquaplanar”, relatou Redding. “De qualquer forma, temos o potencial para ir bem no molhado. Esta manhã, eu tive dificuldade para encontrar o feeling certo, mas, no TL2, com algumas mudanças, eu consegui ser rápido. Agora nós vamos trabalhar para melhorar ainda mais, porque eu estou confiante nas nossas chances nessas corridas”, completou.