MotoGP

“Feliz” por Petrucci, Dovizioso fala em boa corrida na Itália, mas admite: “É ruim para o campeonato”

Andrea Dovizioso avaliou que o resultado do GP da Itália não foi positivo para suas pretensões de título, já que Marc Márquez conseguiu ampliar sua vantagem na classificação. Ainda assim, o #4 falou que foi uma boa corrida e se disse feliz pela vitória de Danilo Petrucci

Grande Prêmio / JULIANA TESSER, de São Paulo
Andrea Dovizioso fechou o GP da Itália com uma sensação agridoce. O #4 se disse feliz pelo triunfo de Danilo Petrucci, mas considerou que o terceiro lugar em Mugello foi ruim para o campeonato, já que Marc Márquez ampliou sua vantagem em mais quatro pontos.
 
Dovizioso largou apenas em nono na pista da Toscana, mas fez uma excelente largada e se colocou entre os ponteiros já no primeiro giro. Na volta final, o piloto de Forli chegou a tomar a liderança, mas foi superado por Petrucci e Márquez e não conseguiu devolver a ultrapassagem.
Andrea Dovizioso pressionou Ducati por melhoras (Foto: Divulgação/MotoGP)
Ainda assim, Andrea se disse feliz pela corrida, já que conseguiu ter a atuação que planejou.
 
“Estou realmente feliz com a corrida. Fizemos a corrida que queríamos. Tivemos um pouco de dificuldade durante o fim de semana, mas o feeling voltou no sábado”, contou Andrea. “Nós estávamos lá na corrida. Fiz uma largada perfeita. Me coloquei na posição certa. Poupei os pneus. Pilotei de uma maneira realmente boa para as condições, porque foi muito difícil para todos. A temperatura estava muito alta”, destacou.
 
Na abertura da última volta, Dovizioso e Márquez passaram Petrucci, mas o #9 encontrou um jeito de dar o troco ainda na San Donato, a primeira curva de Mugello.
 
“Acho que fiz uma boa estratégia. Eu queria ser o primeiro na última volta desde a primeira curva”, contou Andrea. “Danilo nos ultrapassou de maneira muito agressiva. Eu tive de levantar a moto, Marc fechou a porta de novo e eu tive de soltar o acelerador, então perdi a posição”, relatou.

Paddockast #20
Punições tardias, circuitos chatos... O que tem de acabar no esporte a motor?



Nos metros finais, Dovizioso não teve mais chances de passar Márquez, que estava focado em manter a posição à frente do principal rival na briga pelo título.
 
“A aderência estava muito baixa na última volta para tentar alguma loucura. Eu tentei analisar e fazer alguma estratégia, mas não consegui e na última curva [Álex] Rins quase me passou”, falou. “É ruim para o campeonato, porque perdemos alguns pontos, mas, no geral, a corrida foi boa e estou realmente feliz por Danilo. Disse desde o início da temporada que ele tinha potencial”, lembrou.
 
Além disso, Andrea voltou a insistir que a Ducati precisa de algo mais para lutar com Márquez, já que, mesmo em um circuito mais difícil para o espanhol, ele ainda conseguiu brigar pela vitória.
 
“Ainda não estou feliz com a maneira como pilotamos, porque se Márquez está lutando conosco nesta corrida, isso significa que no meio das curvas nós ainda somos muito lentos”, ponderou. “Na aceleração e na freada, nós estamos realmente bem, mas a razão de Marc poder ficar conosco ― ele é um piloto forte ―, mas também no meio das curvas ele é mais rápido do que nós”, frisou.
 
“Com um pneu pior do que o nosso, ele conseguiu ficar com a gente até o final”, destacou. “Essa é a parte ruim, porque temos de melhorar alguma coisa se realmente queremos lutar pelo campeonato. Nós estamos lá. Não vamos desistir até o final, mas isso não é o bastante. Precisamos de algo mais”, reforçou. 





Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.