MotoGP

Fenati se desculpa por “gesto vergonhoso”, nega intenção de machucar e desabafa: “Não fui homem”

Em um comunicado emitido na manhã desta segunda-feira (10), Romano Fenati se desculpou pelo que classificou como um “gesto vergonhoso” e afirmou que não tinha a intenção de machucar Stefano Manzi. Italiano afirmou que “não foi homem” e falou de seu caráter impulsivo

Warm Up / JULIANA TESSER, de São Paulo

Romano Fenati emitiu um comunicado nesta segunda-feira (10) pedindo desculpas pelo que classificou como um “gesto vergonhoso”. O italiano afirmou que não tinha a intenção de machucar Stefano Manzi, mas reconheceu que deveria ter procurado outro caminho para “buscar justiça”.
 
No GP de San Marino e da Riviera de Rimini de Moto2, o piloto da Snipers vinha disputando posição com o rival da Forward, mas, com três voltas para o fim da corrida em Misano, pressionou a alavanca do freio dianteiro da Suter do rival. Manzi até conseguiu se manter na pista, mas caiu pouco depois e não completou a prova.
Romano Fenati se desculpou pelo que chamou que "gesto vergonhoso" (Foto: Ongetta)
Fenati, então, foi sancionado pelo Painel de Comissários da FIM (Federação Internacional de Motociclismo), que aplicou uma bandeira preta e desclassificou o italiano. Depois, a entidade máxima do esporte anunciou a suspensão de Romano por duas corridas, em Aragão e Tailândia, no caso.
 
 
“Peço desculpas a todo o mundo esportivo”, começou Fenati. “Esta manhã, com a mente lúcida, gostaria que tivesse sido apenas um pesadelo. Eu penso e repenso aquele momento, cometi um gesto vergonhoso, não fui homem”, desabafou.
 
“Um homem teria terminado a corrida e ido à direção de prova para tentar buscar justiça pelos episódios anteriores. Eu não deveria ter reagido à provocação”, admitiu. “As críticas estão corretas, e eu entendo o ressentimento por mim. Quero me desculpar com todos que acreditaram em mim e todos aqueles que se sentiram feridos pela minha ação”, declarou. 
 
Apesar do passado marcado por polêmicas, Fenati se disse “um piloto que sempre foi correto”, mas reconheceu ter uma personalidade impulsiva. Ainda, Romano negou que tivesse a intenção de machucar Manzi.
 
“Eu não sou assim, quem me conhece bem, sabe. Na minha carreira, sempre fui um piloto correto. No ano passado, fui um dos poucos que não recebeu punições, nunca coloquei a vida de ninguém em risco, ao contrário, sempre afirmei que existem pilotos perigosos na pista por conta do estilo de pilotagem”, lembrou. “É verdade, infelizmente tenho uma personalidade impulsiva, mas a minha intenção certamente não era de machucar um piloto como eu, mas fazê-lo entender que ele estava fazendo algo perigoso e que eu também poderia cometer o mesmo erro que ele tinha acabado de cometer comigo”, alegou.
 
“Não quero me justificar, sei que meu gesto é injustificável, só quero me desculpar com todos. Agora terei tempo para refletir e clarear as minhas ideias”, completou.