MotoGP

FIM julga protesto contra Ducati antes do GP da Argentina e põe em dúvida vitória de Dovizioso no Catar

A FIM (Federação Internacional de Motociclismo) confirmou que uma audiência será realizada antes do GP da Argentina para avaliar o protesto de Honda, KTM, Aprilia e Suzuki contra a moto da Ducati. As equipes questionam a legalidade de um defletor instalado na Desmosedici

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
A FIM (Federação Internacional de Motociclismo) confirmou que o protesto de Aprilia, KTM, Honda e Suzuki contra um defletor usado pela Ducati no GP do Catar será avaliado pela Corte de Apelações antes do GP da Argentina, marcado para 31 de março.
 
No último fim de semana, Aprilia, KTM, Suzuki e Honda apresentaram um protesto questionando a legalidade da Desmosedici ao fim do GP do Catar por conta de um defletor instalado no braço oscilante da Ducati, na frente do pneu traseiro. O Painel de Comissários rechaçou o protesto, mas as fábricas recorreram e o caso foi levado à Corte de Apelações da FIM.
No destaque, o polêmico defletor da Ducati (Foto: Ducati/ Arte: Rodrigo Berton)
Em uma nota enviada à imprensa, a FIM conformou que o caso foi levado à Corte de Apelações e anunciou que uma audiência será realizada antes da etapa de Termas de Río Hondo.
 
“Depois do GP do Catar de MotoGP, em 10 de março, os Painel de Comissários da MotoGP, que é composto por Freddie Spencer (IRTA), Bill Cumbow (FIM) e Ralf Bohnhorst (FIM), recebeu protestos de Aprilia Racing Team Gresini, Red Bull KTM Factory Racing, Repsol Honda Team e Team Suzuki Ecstar”, diz a nota enviada à imprensa. “Os protestos dizem respeito a dispositivos aerodinâmicos no braço oscilante traseiro das motos da Ducati guiadas por Andrea Dovizioso e Danilo Petrucci (Team Mission Winnow Ducati) e Jack Miller (Alma Pramac Racing). O Painel de Comissários da MotoGP rechaçou o protesto deles”, segue.
 
“Os times, então, apresentação uma apelação aos Comissários de Apelação da FIM, que consiste no comissário da FIM Stuart Higgs e um segundo comissário de apelação, Cesario Samarita, indicado pela Federação de Motociclismo do Catar. De acordo com o artigo 3.3.3.2 do Regulamento da FIM, os Comissários de Apelação da FIM remeteram o caso à Corte de Apelações da FIM”, explica. “A Corte de Apelações da MotoGP é composta por três juízes que pertencem à Comissão Internacional de Juízes da FIM. Uma audiência será organizada em breve com representantes dos times envolvidos”.
 
“A decisão da Corte de Apelações será anunciada antes do GP da Argentina, em 31 de março. O resultado do GP do Catar está sujeito à decisão final da Corte de Apelações da FIM”, anuncia. “A FIM não fará mais nenhum comentário neste momento”, conclui.