Bagnaia mostra força da Ducati e Aleix Espargaró faz Aprilia reluzir no 1º dia em Jerez

O primeiro dia de treinos para o GP da Espanha trouxe uma Ducati firme e forte com Francesco Bagnaia, mas Aleix Espargaró também se destacou ao mostrar a força da Aprilia

Tito Rabat perdeu o controle da moto na última curva do circuito espanhol (Vídeo: MotoGP)

O primeiro dia de treinos para o GP da Espanha, em Jerez de la Frontera, foi alvissareiro. Para os fãs e para as fábricas. Nesta sexta-feira (30), os 23 pilotos fecharam o dia separados por 1s814, mas 14 deles andaram no mesmo segundo do líder.

Mas além da já tradicional competitividade da categoria, a boa nova do dia ficou pela força de Francesco Bagnaia e Aleix Espargaró. O jovem italiano exibiu uma Ducati firme e forte, enquanto o catalão voltou a mostrar que a força da RS-GP é de verdade.

Melhor tempo do dia, Pecco além de cravar 1min37s209, ainda saiu satisfeito com as sensações com a Desmosedici.

“O dia correu bem e, na pista, consegui ser muito veloz. De manhã, não me senti bem de imediato e tivemos de fazer algumas alterações. De tarde, no entanto, apesar de estarmos com o pneu duro na traseira, que não é muito bom para nós, consegui ser rápido o bastante e, especialmente na segunda volta com o pneu médio usado, consegui acertar um bom tempo. Era a 24ª volta do pneu, então, na minha opinião, foi muito bom”, comentou. “Quando o box me deu sinal verde para fazer um tempo de ataque, eu me diverti. Estou muito contente, pois gosto muito de fazer volta rápida com esta moto e sai muito bem. É realmente lindo”, seguiu.

“Em comparação com o ano passado, tenho muito mais confiança na dianteira. Sou um piloto que prefere as sensações da dianteira, já que as da traseira eu consigo gerenciar. Na frente, por outro lado, se você não tem, está sempre arriscando uma queda e não sabe até onde pode forçar”, explicou. “Apesar de estar muito frio nesta manhã, uma condição em que tive muita dificuldade no ano passado, consegui fazer o quarto tempo mais rápido, então é uma moto com a qual me sinto muito bem”, salientou.

Fabio Quartararo (Foto: Yamaha)

Fabio Quartararo, líder do Mundial, ficou com o segundo tempo, 0s178 mais lento que o italiano. O francês de Nice fez um balanço positivo das atividades, mas ainda está preocupado com o desgaste dos pneus.

“Antes de mais nada, estou me sentindo bem na moto, isso é importante. Temos um ótimo ritmo, mas estamos em dificuldade com os pneus usados, o que é estranho”, pontuou. “No ano passado, quando fazia muito mais calor, não senti nenhum desgaste no pneu traseiro. Hoje, senti uma queda grande de manhã e de tarde, então precisamos checar o que está acontecendo. Já temos uma ideia clara do que tentar amanhã, e acho que vai funcionar. Me sinto ótimo e tenho muita confiança com a moto”, frisou.

Companheiro de Yamaha, Maverick Viñales fez o quinto melhor tempo, pouco mais de 0s5 atrás do ponteiro. O espanhol ainda tenta deixar para trás a exibição de Portugal, quando despencou para a última colocação ainda nos primeiros metros.

Maverick Viñales (Foto: Yamaha)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

“Ainda não sei em relação às minhas chances, veremos no domingo. É muito importante entender o nível da moto”, comentou Maverick. “Nós tentamos algumas coisas importantes na pista. Acho que foi bom e tivemos um ritmo forte e consistente e também fomos rápidos em uma volta. Hoje não tive uma sensação incrível com a moto, mas estávamos lá de qualquer forma, dentro do top-5. Foi um dia sólido. Basicamente, nos sentimos bem e acho que podemos dar um bom passo à frente”, opinou.

Com 1min37s646, Aleix Espargaró colocou a Aprilia na terceira colocação e sai deste primeiro dia confiante de que pode incomodar os rivais neste fim de semana de GP da Espanha.

“Foi só sexta-feira, mas ser o mais rápido desde a primeira volta é importante, Especialmente olhando para o ritmo em configuração de corrida. Acho que fui um dos pilotos mais competitivos. Amanhã, espero que as condições de pista mudem e que eu possa movimentar as coisas para todo mundo”, torceu. “De qualquer forma, não há dúvidas em relação à nossa velocidade, ainda que não tenha conseguido melhorar muito o tempo de ataque com o pneu macio. Em uma pista como esta, ultrapassar não é simples, então a nossa meta para amanhã tem de ser no máximo as três primeiras filas”, considerou.

Aleix Espargaró andou bem no primeiro dia de treinos em Jerez (Foto: Gresini)

A outra boa novidade no traçado andaluz foi o renascimento da KTM. Destaque da temporada passada, a casa de Mattighofen foi bastante apagada nas primeiras três corridas deste ano, mas apareceu mais contundente em Jerez de la Frontera. Brad Binder liderou o primeiro treino do dia, mas foi Miguel Oliveira quem colocou a RC16 mais alto na tabela nesta sexta. O português fez o sétimo tempo, com o sul-africano em sétimo. Danilo Petrucci fez a 17ª marca, enquanto Iker Lecuona foi 22º.

Ao longo de todo o ano, a KTM tem apontado para os pneus como causa das dificuldades do protótipo rubro-taurino. Para 2021, a Michelin modificou os calçados: os dianteiros ficaram mais resistentes. Assim, o médio atual é, por exemplo, o duro do ano passado, o que exigiu a introdução de um novo pneu duro. Na traseira, foi o caminho inverso, então os franceses trouxeram um novo macio.

“Não foi um grande dia, mas também não foi o pior”, disse Miguel. “Tivemos um arranque sólido este fim de semana. Sem dúvida, gostaríamos de ter sido mais veloz com os pneus usados no início da sessão, mas quando usamos para a volta rápida, coseguimos ser mais competitivos”, explicou.

Siga o GRANDE PRÊMIO nas redes sociais:
YouTube | Facebook | Twitter Instagram | Pinterest | Twitch | DailyMotion

“Ainda temos algum trabalho a fazer amanhã. Por enquanto, foi um primeiro dia positivo e estamos confiantes. Esperamos que amanhã seja um dia melhor”, torceu.

Mais experiente entre todos os pilotos da marca austríaca, Danilo Petrucci segue pegando a mão com a moto, mas também apontou dificuldade com os pneus.

“Tentamos algumas coisas diferentes hoje, mas, mais ou menos, ainda temos um bom ritmo com os pneus da corrida, mas com o novo pneu macio, não posso realmente melhorar. Nossa tarefa por enquanto é encontrar o motivo”, explicou Danilo. “No geral, gosto da moto, mas não posso ser mais rápido com os pneu macio, o que é um problema para a largada e tudo mais, então precisamos focar nisso amanhã”, completou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube